Cânticos 1,2,3

Cânticos 1,2,3 – NTLH Nova Tradução na Linguagem de Hoje

1 Este é o Cântico dos Cânticos, a mais bela das canções de Salomão.
2 Que os seus lábios me cubram de beijos! O seu amor é melhor do que o vinho.

3 O seu perfume é suave; o seu nome é para mim como perfume derramado. Nenhuma mulher poderia deixar de amá-lo.

4 Leve-me com você! Vamos depressa! Seja o meu rei e leve-me para o seu quarto.

5 Mulheres de Jerusalém, eu sou morena, porém sou bela. Sou morena escura como as barracas do deserto, como as cortinas do palácio de Salomão.

6 Não fiquem me olhando assim por causa da minha cor, pois foi o sol que me queimou. Meus irmãos ficaram zangados comigo e me fizeram trabalhar nas plantações de uvas. Por isso, não tive tempo de cuidar de mim mesma.

7 Diga, meu amor: Aonde é que você leva as suas ovelhas para pastar? Onde é que elas descansam ao meio-dia? Diga, e assim não terei de andar procurando você entre as ovelhas dos outros pastores.

8 Se você, a mais bela de todas as mulheres, não sabe o lugar, siga as ovelhas dos outros e assim encontrará pasto para os seus cabritos perto das barracas dos pastores.

9 Você é tão bela, minha querida, como os animais da carruagem de Faraó.

10 O seu rosto é lindo no meio de duas tranças; como é formoso o seu pescoço enfeitado de colares!

11 Vamos fazer para você uma corrente de ouro, toda enfeitada de prata.

12 Quando o meu rei estava sentado no seu sofá, sentia-se o cheiro agradável do meu perfume.

13 O meu amado tem cheiro de mirra quando descansa sobre os meus seios.

14 O meu amado é como as flores do campo nas plantações de uvas que ficam perto da Fonte de Gedi.

15 Como você é bela, minha querida! Como você é linda! Como os seus olhos brilham de amor!

16 Como você é belo, meu querido! Como é encantador! A grama verde será a nossa cama;

17 os cedros serão as vigas da nossa casa, e os pinheiros serão o telhado.

Cânticos 2

1 Eu sou a rosa dos campos de Sarom; sou o lírio dos vales.
2 Como um lírio entre os espinhos, assim é a minha amada entre as outras mulheres.

3 Como a macieira entre as árvores da floresta, assim é o meu amado entre os outros homens. Eu me sinto feliz nos seus braços, e os seus carinhos são doces para mim.

4 Ele me levou ao salão de festas, e ali nós nos entregamos ao amor.

5 Tragam passas para eu recuperar as minhas forças e maçãs para me refrescar, pois estou desmaiando de amor.

6 A sua mão esquerda está debaixo da minha cabeça, e a direita me abraça.

7 Mulheres de Jerusalém, prometam e jurem, pelas gazelas e pelas corças selvagens, que vocês não vão perturbar o nosso amor.

8 Estou ouvindo a voz do meu amor. Ele vem depressa, descendo as montanhas, correndo pelos montes.

9 O meu amado é como uma gazela; é como um filhote de corço. O meu querido está ali, do lado de fora da nossa casa. Ele está olhando para dentro, pelas janelas; está me espiando pelas grades.

10 O meu amor está falando comigo.

11 O inverno já foi, a chuva passou,

12 e as flores aparecem nos campos. É tempo de cantar; ouve-se nos campos o canto das rolinhas.

13 Os figos estão começando a amadurecer, e já se pode sentir o perfume das parreiras em flor. Venha então, meu amor. Venha comigo, minha querida.

14 Você está escondida como uma pomba na fenda de uma rocha. Mostre-me o seu rosto; deixe-me ouvir a sua voz; pois a sua voz é suave, e o seu rosto é lindo.

15 Peguem as raposas, apanhem as raposinhas, antes que elas estraguem a nossa plantação de uvas, que está em flor.

16 O meu querido é meu, e eu sou dele. Ele leva as suas ovelhas para pastarem entre os lírios,

17 enquanto o dia ainda está fresco e a escuridão está desaparecendo. Meu querido, volte depressa, correndo como uma gazela, como um filhote de corço nos montes de Beter.

Cânticos 3

1 Noites e noites, na minha cama, eu procurei o meu amado; procurei, porém não o encontrei.
2 Então me levantei e andei por toda a cidade, pelas ruas e pelas praças. Eu procurei o meu amado; procurei, mas não o pude achar.

3 Os guardas que patrulham a cidade me encontraram, e eu perguntei: “Vocês viram o meu amado? ”

4 E, logo que saí de perto deles, eu o encontrei. Eu abracei o meu amado e não o deixei ir embora até que ele foi comigo à casa da minha mãe, ao quarto daquela que me deu à luz.

5 Mulheres de Jerusalém, prometam e jurem, pelas gazelas e pelas corças selvagens, que vocês não vão perturbar o nosso amor.

6 O que é aquilo que vem subindo do deserto? Parece uma nuvem de fumaça de mirra, e de incenso, e de todo tipo de perfumes vendidos pelos mercadores.

7 É a liteira do rei Salomão; sessenta soldados, os melhores de Israel, formam a sua guarda pessoal.

8 Todos eles sabem usar bem a espada e são treinados para a guerra. Cada um está armado com uma espada, por causa dos perigos da noite.

9 A liteira que o rei Salomão mandou fazer era de madeira da melhor qualidade.

10 As suas colunas eram cobertas de prata, e o seu teto era de tecido bordado a ouro. As suas almofadas, forradas de fino tecido vermelho, foram feitas com carinho pelas mulheres de Jerusalém.

11 Mulheres de Sião, venham ver o rei! O rei Salomão está usando a coroa que recebeu da sua mãe no dia do seu casamento, naquele dia de tanta felicidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *