MEDITAÇÕES  SOBRE  A  SANTA  CEIA.

815. POR QUE PARTICIPAR DA SANTA CEIA?
1. Para ser obediente ao Senhor. Mt. 26:26; Mc. 14:22.
2. Em memória à morte do Senhor. Lc. 22:19; 1 Co. 11:24,25.
3. Para confessar que, pelo sangue de Jesus, temos o perdão. Mt. 26:28.
4. Para ter comunhão com Cristo e com os crentes. 1 Co. 10:16,17.
5. Para oferecer gratidão e adoração. Ap.  5:9,13,14.
6. Para anunciar a volta do Senhor. 1 Co. 11:26.
7. Para participar da vida eterna. Jo. 6:54ss.

816. DOIS SIMBOLOS MARAVILHOSOS: PÃO E VINHO.
O grão de trigo, do qual vem o pão, cai primeiro na terra e morre. Isto aconteceu com o Senhor. Jo. 12:24.
1. O significado do pão.
a) O trigo é cortado, trilhado e moído. Assim o nosso Senhor foi batido, açoitado, coroado com espinhos e morto. Hb. 2:9.
b) O pão também nos mostra a natureza da Sua morte. O pão é assado no forno com muito calor. Pv. 17:3; 1 Co. 3:13,15; 1 Pe. 4:12.
c) O pão é um símbolo do novo homem. Cristo é o autor da nossa nova vida. Pv. 8:35; Ap. 21:5.
Pão é o alimento do novo homem. Jo. 6:35.
Sim, ainda mais, Ele oferece a plenitude da vida nova. Jo. 1:16.
d) O pão também mostra nossa nova e maravilhosa união, um pão, um corpo. Nós somos um, com Ele, e através dEle. Jo.17:21; Gl. 3:28; Hb.2:11.
e) Um com Ele por toda eternidade. Jo. 17:24; Ap. 19:9.
2. O significado do vinho.
a) O vinho lembra de Sua vida oferecida por nós. Jo. 10:18; Is. 53:7,8.
b) Lembra da nova aliança no sangue de Jesus. Lc. 22:20.
c) De que maneira recebemos esta nova vida? Jo. 6:55,56.

817. A ÚLTIMA PASCOA.
Jesus celebrou-a com Seus discípulos na noite em que foi traído. 1 Co. 11:23. A páscoa também é chamada de: a festa dos pães asmos.
1. Esta festa era celebrada em memória:
a) À noite, no Egito, quando Deus mandou Seu juízo sobre Faraó, matando todos os primogênitos do Egito e libertando o povo de Israel. Todos os primogênitos do povo de Israel foram consagrados ao Senhor. Êx. 12; 13:1,2.
b) Ao cordeiro, dado para eles por Deus. Deus colocou Seu povo debaixo da proteção do sangue deste cordeiro, que morreu no lugar de Israel. Jo. 1:29.
c) A saída do Egito, da terra da escravidão. Para os egípcios foi a noite de maior sofrimento, mas para Israel a noite de maior alegria. Foi a saída da escravidão, que durou séculos.
2. Em contrapartida a esta noite; está a noite da traição do Filho do homem. l Co. 11:23.
a) A noite da traição foi a que mais pesou para o Senhor e para a história da humanidade. l Co. 11:23.
b) Naquela noite Ele celebrou a páscoa com seus discípulos. Lc. 22:15.
c) Nela, Ele foi entregue por todos nós. Is. 53:3-7.
d) Na mesma noite, o primogênito colocou-se no abismo que o pecado causou entre Deus e os homens. Ez. 22:30; Is. 59:16.
e) Nela, Deus colocou-nos debaixo da aspersão do sangue. l Pe. 1:2.
Mas deu seu Filho como Cordeiro da páscoa. l Co. 5:7; 1 Pe. 1:19.

818. A CEIA DO SENHOR E SUA CELEBRAÇÃO.
A festa da páscoa, que o Senhor desejou comer com seus discípulos já havia passado.
Jesus, o verdadeiro cordeiro pascal, deveria ser logo sacrificado. Agora o Senhor instituiu uma nova e muito mais significativa ceia. Naquela noite terminou a dispensação judaica (a lei) e a graça vigorou. Observemos brevemente a singular celebração.
A festa da páscoa passou. Judas aceitou a parte que o Senhor lhe tinha dado e retirou-se. O Senhor ficou sozinho com os onze. Então tomou pão e vinho e explicou-lhes estes símbolos. Sem palavras, esta ceia apresenta as mais preciosas verdades: a salvação consumada e o perdão dos pecados.
1. É uma festa de redenção. Ef. 1:7.
2. É uma festa em memória de Jesus. Lc. 22:19; 1 Co. 11:24,25.
Como Israel festejou a sua libertação do Egito, assim festejamos também nossa libertação do pecado. A ceia é em memória do seu sofrimento e da sua morte.
3. É um testemunho de fé dos participantes.
Os discípulos creram no Senhor e O seguiram. Assim como nenhum incircunciso podia participar da festa da páscoa, também esta ceia é só para aqueles que experimentaram a redenção pelo sangue de Jesus. Êx.12:43-48.
4. Ela é uma ceia de comunhão mútua.
Em Israel nenhum membro do povo podia faltar. Nm. 9:13.
Isto também mostra que somente membros do corpo de Cristo podem tomar parte na ceia.
5. É uma ceia de adoração. Hb. 13:15.
6. É uma ceia de esperança.
Devemos anunciar sua morte até que Ele venha. l Co. 11:26.
Olhando para trás vemos seu grande sacrifício e à frente reconhecemos o que seremos através deste sacrifício. A redenção do corpo é a conclusão de sua grande obra de redenção.
7. O maravilhoso final.
Eles cantaram um hino de louvor, o salmo 118.
O caminho do Senhor foi do jardim Getsêmani até à cruz.

819. O QUE É A CEIA DO SENHOR? 1 CO. 11:23-29.
1. Uma ordem do nosso Senhor: “…fazei isto…”.
2. Em memória do seu amor: “… em memória de Mim”.
3. Um laço de comunhão entre cabeça e membros.
4. Um testemunho de Cristo, seu sofrimento e morte.
5. Uma confissão de nossa esperança: “…até que Ele venha”.

820. “TEMOS TAMBÉM UM CORDEIRO PASCAL”. I CO.  5:7; ÊX. 12.
1. Ele foi escolhido por Deus. Jo. 1:29; Lc. 9:35.
2. Foi perfeito. 1 Pe. 1:19.
3. Imolado. Is. 53:7.
4. Nenhum dos seus ossos podiam ser quebrado. Jo. 19:36.
5. Seu sangue foi aspergido. Hb. 12:24.
6. sua carne foi comida. Jo. 6:50-56.

821. A CEIA DO SENHOR. I CO. 11:23-29.
O pão e o vinho são símbolos singulares no seu significado e apontam para os fundamentos da fé cristã. O pão – “Meu corpo”; o vinho – “Meu sangue”.
Nisto nós vemos:
1. A encarnação de Cristo.
a) O pão: a figura do seu corpo. O Senhor disse: “Um corpo me formaste”. Hb. 10:5.
b) Jesus não tomou a natureza dos anjos, mas sim a nossa. Rm. 8:3.
c) Ele entregou-se voluntariamente. Fp. 2:7,8.
2. Sua devoção.
O Senhor agradeceu. Ele tomou o pão, o símbolo do seu corpo, que logo depois foi crucificado.
3. Seu sofrimento.
Ele partiu o pão. Judas, foi um instrumento na via dolorosa de Cristo. Ef. 5:2; Jo. 10:18; Mt. 18:7.
4. Sua substituição.
a) Este é meu corpo oferecido por vós. Lc. 22:19; Is. 53:5.
b) Da mesma forma o vinho, o precioso sangue, que foi derramado por nós. 1 Pe. 1:19.
5. Seu convite:
a) Tomai, comei, bebei. A expiação está consumada. Aproprie-se pela fé daquilo que aqui é oferecido simbolicamente. O sangue, o preço por nossas almas.
b) Sua finalidade: Fazei isto em memória de mim.
c) A gloriosa esperança: Até que Ele venha. Jo. 14:1-3.

822. O SANGUE DE JESUS.
O grande significado do sangue de Cristo já vemos no fato dele ser citado mais de 400 vezes na Escritura. Aquele que compreende, pela fé, o grande valor do precioso sangue de Cristo, é salvo e perfeito perante o trino Deus e tem a vida eterna.
1. O sangue de Jesus é o preço da nossa redenção. Ef. 1:7; At. 20:28; Cl. 1:14; 1 Pe. 1:18,19; Ap. 5:9.
2. O sangue de Cristo é a base do perdão, porque, sem derramamento de sangue, não há perdão. Hb. 9:22; Ef. 1:7; Lv. 17:11.
3. O sangue de Cristo é a base da nossa justificação. O sangue é a base, a fé é o meio para alcançá-la e a ressurreição é a prova. Rm. 5:9; 5:1; 4:5; Cl. 2:12sgs.
4. O sangue de Cristo é o alicerce da nossa paz. Jesus fez a paz pelo seu sangue. Cl. 1:20; Rm. 5:1.
5. O sangue de Cristo é a base da nossa purificação. O sangue purifica de todo pecado. 1 Jo. 1:7; Ap. 1:5; Hb. 9:14.
6. O sangue nos assegura o acesso a Deus. Nós temos intrepidez para entrar no santo dos santos. Hb. 10:19-25.
7. Pelo sangue de Cristo nós fomos aproximados de Deus. Ef. 2:13.
8. O sangue de Cristo é a garantia para a comunhão. 1 Co. 10:16,17.

823. EXAMINE-SE, POIS, O HOMEM A SI MESMO. I CO. 11:28; 2 CO. 13:5.
Nada é tão importante para o filho de Deus, quanto o constante auto-exame, pois facilmente nós nos enganamos. Faça-o:
1. Agora. Tudo deve vir à luz. Tudo deve ser julgado na luz de Deus.
2. De boa vontade.
Estamos preparados para trazer o pecado oculto, à luz? Gn. 3:8 ss.
3. Profundamente.
Não chame de inofensivo o que Deus chama de pecado. Ml. 3:7-9; Ag. 1:2 ss.
4. Sem temer. Na luz da palavra. Hb. 4:12.
5. Sem piedade. “Despedace a Agague”.1 Sm. 15:33; Mt. 5:29.
6. Com sinceridade.
Não como Geazi ou Acã. Js. 7; 2 Rs. 5.
7. Orando. Sonda-me. Sl. 139:23,24.
Este juízo próprio é a primeira exigência para uma participação abençoada na mesa do Senhor.

824. A MESA DO SENHOR.
– É uma mesa farta e rica. Pv. 9:2; Sl. 23:5.
– É uma mesa real (de rei). 2 Cr. 9:4.
Sobre esta mesa há:
1. Pão para alimento. Jesus é o pão da vida. Jo. 6:35.
2. Água para refrigério. Ele é a água da vida. Jo. 4:14.
3. Leite para as crianças em Cristo. 1 Pe.2:2.
4. Alimento sólido para adultos. Hb. 5:14.
5. Fruto para o paladar. Ct. 2:3.
6. Vinho para nos alegrar. Is. 55:1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *