INICIA A CRIAÇÃO COM QUANTOS CASAIS DA CANARIO BELGA

Como o objetivo da canaricultura é a qualidade e não a quantidade, o criador
inexperiente não deve iniciar sua criação com um número muito grande de casais. Se a
intenção for ter um ou dois casais, por passatempo, sem preocupação com os
resultados, qualquer casal serve, desde que seja saudável.
Entretanto, se o objetivo for criar canários pensando em desenvolvimento técnico e em
concursos, deve-se começar com casais de raça ou cor de acordo com a preferência,
mas de qualidade reconhecida. O criador deverá então se filiar a um clube ornitológico
que Ihe possibilitará participação e convívio com outros criadores.
Para se conseguir bons pássaros é prudente visitar criadores de prestígio, que poderão
dar valiosas orientações sobre os acasalamentos pretendidos e fornecer matrizes de
qualidade técnica indiscutível
A compra de anilhas em concursos oficiais para registro dos filhotes e algumas regras já
estabelecidas são importantes e devem ser lembradas na hora da compra: 

a) – Desconfie dos pássaros baratos, pois geralmente são de qualidade inferior ou
portadores de alguma afecção. É aconselhável começar a criação com poucos casais de
boa qualidade do que com muitos ruins; 



b) – Compre somente canários que tenham anilhas e solicite do vendedor o seu
“pedigree”; 



c) – Não confie somente no seu “gosto”para avaliar um canário que deseja comprar.
Certifique-se se ele está dentro dos padrões da cor ou da raça desejada. Se possível
solicite os conselhos de um especialista e leia o Manual de Julgamento da Ordem
Brasileira de Juizes de Ornitologia ( CAIXA POSTAL 00 – Fulano / CEP 00 0000-00 /
CAMPINAS-SP ), inteirando-se das características técnicas que os pássaros devem
possuir. 



d) – Não compre exemplares fracos ou enfermos por melhor que seja o seu “pedigree”,
pois um pássaro nessas condições não será bom reprodutor: 



e) – Lembre-se que um pássaro saudável é esperto e alegre. Sua barriga deve ser limpa
e sem manchas, seus pés e dedos sem crostas ou tumefações e sua respiração
silenciosa e sem chiado. 



Segundo o saudoso Carlos Gimenez “nem sempre um canário que obteve um primeiro
lugar é o mais adequado para criação. Existem canários espetaculares em termos de
plantel e criação, que não teriam grandes chances numa mesa de julgamento, ou por
estarem com a plumagem desarrumada, ou por terem o rabo um pouco aberto ou por
estarem um pouco gordos quebrando assim a harmonia visual.
Seria muito fácil se você comprasse o macho campeão e a fêmea campeã e acasalandoos obtivesse o novo campeão”.
Claro que os pássaros classificados em concursos devem possuir qualidades, mas
também é muito importante a sua origem e potencialidade genéticas, o que justifica o
direito muito popular entre os canaricultores:
“É preferível um pássaro razoável de uma excelente criação do que um pássaro
excelente de uma criação razoável”. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *