EXPOSIÇÕES  GERAIS  DAS  ESCRITURAS 

01. A HISTÓRIA DE NOSSA VIDA. 
1. Nós somos criados à imagem de Deus. Gn. 1:27. 
2. Estamos à mercê da morte por causa do pecado. Rm. 5:12. 
3. Somos remidos pelo sangue de Jesus Cristo. Ef. 1:7. 
4. Nascidos de novo pela Palavra e pelo Espírito. Jo. 3:3,5. 
5. Transformados à Sua imagem. 2 Co. 3:18. 
6. Entregues, a quem nos redimiu. Rm. 12:1,2. 
7. Felizes pela glória vindoura de Deus. Rm. 5:2. 

02. AS SETE ERAS (DISPENSAÇÕES) DAS ESCRITURAS. 
A Era da Inocência: inicia com a criação do homem e termina com sua queda e seu julgamento. Gn. 2 e 3. 
A Era da Consciência: compreende entre a queda e o dilúvio. O homem reconhece o bem e o mal, porém se decide pelo mal. A conseqüência é o juízo. Gn. 3:7 até 7:11. 
A Era da Autoridade Humana: abrange o tempo entre o final do dilúvio até a construção da torre de Babel. Gn. 9:11 até 11:8. 
A Era da Promessa: começa com a promessa a Abrão, que Deus outorgou, exigindo em contrapartida, a fé. Gn. 12 até Êx. 1. 
A Era da Lei: tem seu início com a entrega dos mandamentos no Sinai. Êx. 19; Rm. 10:5; Gl. 3:10; e termina no Gólgota. 
A Era Contemporânea da Graça, da Igreja: abrange desde a morte de Jesus Cristo até a segunda vinda do Senhor. A condição estabelecida é: crer no Senhor Jesus. At. 2. 
A Era do Milênio: principia com a vinda de Jesus em majestade e glória, Mt. 25:31; Ap. 19:11 ss.; e termina com o juízo final diante do trono branco, Ap. 20:1 1 ss. A isto segue o eterno e imutável estado de novo céu e nova terra. Ap. 21:1. 


03. O AMOR DE DEUS PELOS HOMENS, QUE SE APROXIMA: 
1. De Adão, para vestir o pobre pecador.             Gn. 3:21. 
2. De Enoque, para andar com ele.                       Gn. 5:24. 
3. De Abraão, para ser seu amigo.                        Gn. 18:17. 
4. De Jacó, para abençoá-lo.                                 Gn. 32:30. 
5. De Jó, para restaurá-lo.                                     Jó 42. 
6. De Paulo, para animá-lo.                                  At. 18:9,10. 
7. De João, para fortalecê-lo.                               Ap. 1:17. 

04. O HOMEM SALVO POR CRISTO. 
1. O que ele era sem Cristo: 
a) Cheio de maldade e pecado.              Gn. 6:5. 
b) Uma fonte de tudo que há de mal.     Mc. 7:21-23; Mt. 15:19; 
                                                                Jr. 17:9. 
c) Perdido e morto nos seus pecados.     Ef. 2:3,5. 

2. O que ele é agora com Cristo: 
a) Uma nova criatura.                   2 Co. 5:17; Ef. 2:10; Gl. 6:15. 
b) Cheio do amor de Cristo.         Rm. 5:5;
c) Possui felicidade indescritível. Is. 65:13,14; 1 Pe. 1:6,7. 

3. Grandes são seus privilégios: 
a) Serve ao Senhor.                        Jo. 4:35,36; Ef. 2:10.
b) É dirigido pelo Espírito Santo.  Sl. 32:8; At. 8:29; l0:19,20.

4. O que está à sua espera: 
a) Uma herança indescritível.        1 Pe. 1:3,4.
b) Uma coroa.                                 2 Tm. 4:7,8; 1 Pe. 5:4; 
                                                        Tg. 1:12; Ap. 2:10. 



05. DEUS LEMBRA-SE DE SEUS FILHOS. 
l. Lembrou-se de: 
a) Noé, e o salvou.                                           Gn. 8:1.
b) Abraão, e ouviu sua oração.                        Gn. 19:29. 
c) Raquel, e satisfez o desejo de seu coração.  Gn. 30:22. 
d) Ana, e lhe deu Samuel.                                1 Sm.1:19. 

2. Deus lembra-se de Suas promessas.               2 Co.1:20. 
3. Senhor, lembra-Te de mim.                            Lc. 23:42. 

06. QUARENTA DIAS… 
1. Durou o juízo do dilúvio. Gn. 7:17. 
2. Permaneceu Moisés diante de Deus no monte. Êx. 24:18. 
3. Suplicou Moisés a Deus, por seu povo. Dt. 9:25. 
4. Procuraram os espias pela terra prometida de Canaã. Nm. 13:25. 
5. Elias foi fortificado pelo alimento trazido por um anjo. 1 Rs. 19:8. 
6. O Senhor foi tentado no deserto. Mc. 1:13. 
7. Os discípulos tiveram comunhão com Jesus ressurreto. At. 1:3. 

07. LIBERTAÇÃO. 
                                       A Profecia               O Cumprimento 
1. Do Egito.                    Gn. 15:13,14.          Êx. 12:30-42.
2. No Mar Vermelho.     Êx. 14:13-18.          Êx. 14:24-29. 
3. No deserto.                 Nm. 21:8.                Nm. 21:9; Jo. 3:14-16.
4. No Jordão.                  Js. 3:13.                   Js. 3:14-17.
5. Em Jericó.                  Js. 6:3-5.                  Js. 6:20.
6. De grande perigo.      At. 27:22.                 At. 27:44.
7. De qualquer perigo.   Sl. 116:3,4.              1 Co. 1:4-9. 




08. SETE ANSEIOS DIVINOS EM GÊNESIS 17. 
1. Farei uma aliança entre mim e ti. V.2. 
2. Multiplicar-te-ei extraordinariamente. V.2. 
3. Far-te-ei fecundo extraordinariamente. V.6. 
4. Farei de ti nações. V.6. 
5. Farei contigo aliança perpétua. V.7. 
6. Dar-te-ei a terra de Canaã. V.8. 
7. Serei o teu Deus. V.8. 

09. NÓS NECESSITAMOS DE: 
1. Pais em Cristo, como Abraão. Gn. 18:19. 
2. Mães em Israel, como Ana. 1 Sm. 1:27,28. 
3. Meninos, como o Senhor Jesus foi. Lc. 2:51,52. 
4. Meninas, como a escrava de Naamã. 2 Rs. 5:1-4. 
5. Irmãos, como Neemias e Hanani. Ne. 7:2. 
6. Irmãs, como Maria e Marta. Lc. 10:38-42. 
7. Homens de cargos elevados, como Daniel.  Dn. 6:5. 
8. Pregadores, como Paulo. 1 Co. 2:1-5. 
9. Servos de Deus, como Barnabé. At. 11:24. 
10. Pessoas generosas, como as de Beréia. At. 17:11. 

10. CONFISSÕES QUE RESULTARAM EM GRANDES BÊNÇÃOS. 
Abraão confessou: eu sou pó e cinza, Gn. 18:27, e foi atendido. 
Davi confessou que tinha nascido em pecado, Sl. 32; 51:3-9. Seus pecados foram perdoados. 
Jó disse: eu abomino-me, Jó 42:6, recebeu bênção em dobro. 
Isaías confessou: eu sou impuro, Is. 6:5-7, foi purificado e colocado no serviço do Senhor. 
Pedro falou: sou pecador, Lc. 5:8, Jesus o chamou para ser pescador de homens, Lc. 5:10. 
O publicano suplicou: Deus sê propício a mim, pecador, Lc. 18:13,14, e voltou justificado para sua casa. 
O filho pródigo falou: eu não sou digno de ser chamado teu filho, Lc. 15:21-23, seu retorno para a casa paterna foi uma grande festa. 

11. FÉ VIVA. GN. 22. 
Em 2 Pe. 1:1 o apóstolo diz que a fé é preciosa. Em Hb. 11 lemos das grandes obras da fé que são mais preciosas que o ouro. l Pe. 1:7. 
O sacrifício da fé, v. 2: toma o teu filho – oferece-o em holocausto. Abraão estava pronto para colocar tudo que possuía sobre o altar. E nós, também estamos? Rm. 12:1,2; 15:3. 
A obediência da fé, v.3: Abraão levantou-se de madrugada. Hb. 11:8; Jo. 2:5. 
A esperança da fé, v. 5: Abraão disse: voltaremos. Hb. 11:19. Abraão sabia que a promessa estava em Isaque. Gn. 21:12. 
A fé, como de criança, na provisão de Deus. V. 8. 
A perseverança da fé, v.9: a fé, que na hora da provação falha, é incredulidade. Mc. 4:40. 
A vitória da fé, v.12: Agora eu sei… O menino foi destinado, sacrificado e devolvido, por Deus, ao seu pai. Hb. 11:17-19; Mc. 9:23; 1 Jo. 5:4. 

12. A RENOVAÇÃO DE JACÓ. GN. 32:26-32. 
1. Um novo nome, não mais Jacó e sim Israel. Vv.27,28. 
2. Uma nova bênção. Vv. 26,29. 
3. Um novo dia, nasceu-lhe o sol. V.31. 
4. Um novo sinal de lembrança. V.31. 
5. Uma nova forma de andar: Jacó manquejava. V.31. 
6. Uma nova comunhão interior com seu irmão Esaú. Gn. 33:4. 

13. O MINISTÉRIO DOS ANJOS. 
1. Anjos auxiliam em caminhos difíceis. Gn. 24:7. 
2. Livram do mal. Gn. 48:16. 
3. Transmitem tarefas. Jz. 6:11-26. 
4. Animam em momentos de tristeza. 1 Rs. 19:5-7. 
5. Livram dos perigos. Sl. 34:7. 
6. Derrubam nossos inimigos. Is. 37:36. 
7. Protegem em meio aos perigos. Dn. 3:28; 6:22,23. 

14. PROMESSAS DIVINAS EM TEMPOS DIFÍCEIS. GN. 26:2-4. 
Deus disse: 
1. Eu serei contigo. 
2. Eu abençoar-te-ei. 
3. Para a tua descendência darei todas estas terras. 
4. Confirmarei o meu juramento. 
5. Multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus. 
6. Abençoarei muitos através de ti. 

15. PROMESSAS DE DEUS A JACÓ. GN. 28:13-15. 
1. A promessa de Sua presença: Sou contigo.   Is. 41:10.
2. De Sua proteção: Quero te guardar.              Sl. 121:3,8.
3. De Sua direção: Farei voltar.                         Zc. 10:10.
4. De Sua fidelidade: Jamais te abandonarei.    Hb. 13:5. 

16. BÊNÇÃOS, ONDE MENOS ESPERAMOS. 
1. A prisão de José levou-o ao governo. Gn. 45:1-8.
2. As perdas de Jó terminaram em bênção dobrada. Jó 42:10-17. 
3. A blasfêmia de Golias levou Davi à honra. 1 Sm. 17:42-46.
4. O espinho na carne de Paulo trouxe nova graça. 2 Co. 12:7-9. 
5. À prisão de João seguiu-se a revelação. Ap. 1:9-18. 

17. LUGARES ONDE DEUS EDUCA SEUS SERVOS. 
1. Moisés no deserto (silêncio) trabalhando. Êx. 3:1.
2. Davi no deserto. 1 Sm. 26:3.
3. Elias no deserto. 1 Rs. 19:4. 
4. João Batista no deserto. Mt. 3:1. 
5. Paulo nas regiões da Arábia. Gl. 1:17. 
6. João na ilha de Patmos. Ap. 1:9. 
7. O Senhor Jesus no deserto. Lc. 4:1. 

18. O CORDEIRO PASCAL. ÊX. 12. 
1. O cordeiro foi escolhido. V. 3; 1 Pe. 1:19,20. 
2. Foi sem defeito.               V. 5. 
3. Foi guardado.                   V. 6a. 
4. Foi imolado.                     V. 6b; 1 Co. 5:7b.
5. Foi assado no fogo.          V. 8.
6. Serviu de alimento.          V. 4; 1 Co. 5:8. 

19. O SANGUE DO CORDEIRO. ÊX. 12. 
1. Foi derramado para expiação. V. 6; 1 Pe. 1:19.
2. Protege diante do destruidor.  V. 23; Rm. 3:25,26. 
3. Precisava ser usado. V.7.
4. Sangue era a única esperança. V.13; Ef. 1:7. 

20. ISRAEL EXPERIMENTOU DEUS COMO: 
1. Salvador, através do Sangue do Cordeiro. Êx. 12:13,42. 
2. Guia, através das colunas de nuvem e de fogo. Êx. 13:21.
3. Libertador, no Mar Vermelho. Êx. 14:13. 
4. Médico do corpo. Êx. 15:26. 
5. Sustentador diário, com o maná. Êx. 16:15. 
6. Protetor diante do inimigo. Êx. 17:13.
7. Aquele que habitava no meio de Israel. Êx. 40:34. 

21. O NOVO CAMINHO. ÊX. 14. 
Da mesma forma, como Deus guiou o povo de Israel liberto do Egito, assim Ele dirige seu povo, ainda hoje, e o leva em segurança à terra prometida. 
1. O desamparo de Israel: estava completamente cercado. V. 10 
2. Seu grito de socorro: clamou ao Senhor. V.10. 
3. A resposta animadora de Deus. Vv.13,14. 
4. O Deus e a fé que salvam. Vv.15-20. 
5. O livramento singular. V. 21. 
6. O túmulo dos inimigos. Vv. 27-31. 

22. UM CÁNTICO DE LOUVOR. ÊX. 15. 
Este primeiro cântico é posterior à salvação através do sangue. Salvos cantam hinos de louvor. Sl. 40:3; Is. 12:2. 
1. Israel louvava seu Senhor. 
2. Seu cântico era um hino de testemunho e de vitória. 
3. Um hino de consagração. 
4. Um hino em terra nova: o Egito ficou para trás. 

23. ISRAEL NO DESERTO. ÊX. 17. 
1. Um lugar difícil de se morar: o deserto. V. 1. 
2. Uma situação desconsoladora: sem água. V. 3. 
3. O descontentamento de Israel com os caminhos de Deus. V. 3. 
4. O Deus misericordioso de Israel. V. 6. 
5. A luta árdua de Israel no caminho. V. 8. 
6. A grande vitória sobre Amaleque. V. 13. 
7. A expressão de gratidão de Israel. V.15. 

24. O MANÁ. Êx. 16. 
1. Uma dádiva do céu. V. 4; Jo. 6:31-33. 
2. Ele vinha no tempo certo. Vv. 6,7. 
3. O colher era uma obrigação de cada família. V. 16. 
4. O maná tinha que ser colhido pela manhã. V. 21. 
5. Era uma necessidade diária. V. 4. 
6. Podia ser preparado de diversas formas. Nm. 11:8. 
7. O maná – pão dos anjos. Sl. 78:25. 
8. Era suficiente durante toda caminhada no deserto. V.35. 

25. A COLUNA DE NUVEM. Êx. 13 :20-22; 14,20. 
1. A coluna de nuvem conduzia os israelitas da velha para a nova vida. 
2. A nuvem apontava o caminho a seguir. Sl. 32:8. 
3. Confundia os inimigos de Israel. 
4. Estava no local de suprimento. 
5. Era seu guia de dia e de noite. 
6. Era o lugar de revelação de Deus. Sl. 99:7. 
7. Era a glória de Israel. Êx. 40:34. 

26. MINISTÉRIO MULTIFORME DE MULHERES. ÊX. 35:26. 
1. Que cantavam na saída do Egito. Êx. 15:20,21. 
2. Hábeis como tecedoras de tapetes. Êx. 35:25. 
3. Ouvintes, praticantes da lei. Js. 8:35. 
4. Com os olhos sobre seu Senhor. Mt. 27:55. 
5. Que oravam. At. 1:14. 
6. Santas que esperavam em Deus. 1 Pe. 3:5. 

27. SACERDOTES DE DEUS. LV. 8. 
1. Chamados por Deus. V. 2. 
2. Lavados para estarem purificados. V. 6. 
3. Vestidos conforme o Senhor ordenara. V. 13. 
4. Cingidos para o ministério. V. 7. 
5. Santificados para o ministério. V. 24. 
6. Ungidos para o ministério. V. 30. 

28. OS LEVITAS: 
1. Eleitos por Deus. Nm. 8:6; Jo. 17:2. 
2. “Purifica-os”. Nm. 8:6. 
3. “Vós já estais limpos”. Jo. 15:3. 
4. “Apresenta-os como oferta ao Senhor”. Nm. 8:11,14; Jo. 17:9. 
5. Eles devem servir ao Senhor. Nm. 8:15; Jo. 17:18. 
6. Dados ao Sumo-sacerdote. Nm. 8:15,19; Jo. 17:6. 
7. Separados, santificados ao Senhor. Nm. 8:14; Jo. 17:17. 

29. FÉ E INCREDULIDADE. NM. 13:17-33. 
A fé é frutífera; a incredulidade infrutífera. Vv.26,27. 
A fé olha para o Senhor; a incredulidade para pessoas. Vv.30,31. 
A fé diz: é possível; a incredulidade diz: é impossível. 
A fé honra a Deus; a incredulidade O desonra. Vv.30-32. 
A fé vence, v.30; a incredulidade derrota. V.32. 
A fé vê a Deus; a incredulidade vê os gigantes. Vv.28-33. 
A fé leva à terra prometida, a incredulidade à derrota. Hb. 3:19. 

30. SALVAÇÃO NO DESERTO. NM. 21:4-9. 
A importância desta experiência, dá-se porque Jesus a utiliza em João 3:14, onde o Senhor Jesus compara-se à serpente de bronze. 

1. O pecado de Israel. 
a) Murmuraram contra o Senhor. Vv. 4,5. 
– Israel murmurou dez vezes. Nm. 14:22. 
– Não são as circunstâncias e sim o coração mau que provoca estas murmurações. 
– Satanás apresenta Deus como duro em Seus atos, e nós acreditamos nele. 
b) Não queriam seguir o caminho ordenado por Deus. V. 4. 
Que tolice! Queriam ir para Canaã, mas não pelo caminho escolhido por Deus. Jo. 14:6. 
c) Murmuraram contra o maná. V.5. 
Tg. 1:17. (Não conseguimos viver sem o Pão da Vida, Jo. 6:35,51,58). 
2. O castigo. V. 6. 
Deus mandou serpentes entre o povo. A picada da serpente é dolorida e causa a morte, v. 6; o pecado age da mesma forma. Rm. 5:12. 
3. A confissão do pecado. 
a) “Nós pecamos”. Uma confissão sincera recebe imediatamente a misericórdia, perdão e cura de Deus. Sl. 103:3,4. 
b) Davi confessou e Deus perdoou. Sl. 32. 
c) O filho pródigo confessou e seu pai recebeu-o de volta em sua casa. Lc. 15:21,22. 
4. O remédio. 
Neste modo de cura Israel nunca teria pensado; o olhar sobre a serpente mostrava o pecado. A serpente de bronze foi colocada sobre uma haste, e mais tarde o Senhor no madeiro. Quem a fitava, vivia, e quem olha somente para Jesus, viverá. Jo. 3:14; Is. 45:22; Jo. 5:24; Rm. 10:9,10. A serpente de bronze era o remédio de Deus para um povo que estava morrendo. Da mesma maneira Jesus é a única salvação eterna. 
5. A utilização do remédio. 
Naquela hora não adiantava olhar para as picadas, sobre os moribundos, nem em Moisés ou sacerdotes, mas sim para a serpente de bronze. Esta também tem que ser a atitude do pecador em relação a Jesus Cristo. 

31. O POVO DE DEUS. 
1. O povo de Deus é abençoado por Ele. Nm. 24:5,6. 
2. É provido ricamente por Deus. Nm. 24:7. 
3. Exaltado. Nm. 24:7. 
4. Liberto. Nm. 24:8; 1 Ts. l:10; Lc. 1:74. 
5. Honrado. Nm. 24:17-19. 
6. Feliz. Dt. 33:29. 
7. Seguro e salvo. Nm. 24:17; Jo. 10:9-11. 

32. NOSSO DEUS ESTÁ: 
1. Diante de nós. Dt. 1:30. 
2. Atrás de nós. Is. 52:12. 
3. Sobre nós. Sl. 139:5. 
4. Por baixo de nós. Dt. 33:27. 
5. Ao nosso redor. SI. 125:2. 
6. Em nós. 1 Co. 6:19. 
7. Conosco. Sl. 46:11. 

33. DE TODO CORAÇÃO DEVEMOS: 
1. Buscar a Deus. Dt. 4:29. 
2. Servir a Deus. Dt. 10:12. 
3. Amar a Deus. Dt. 13:3. 
4. Obedecê-Lo. Dt. 30:2. 
5. Segui-Lo. 1 Rs.14:8. 
6. Dar-Lhe graças. Sl. 86:12. 
7. Confiar nEle. Pv. 3:5. 

34. OUÇA OS PRECEITOS E JUÍZOS DE DEUS, POR QUE: DT. 4:1-9. 
1. São poderosos. V. 1.
2. Dão vida. V. 1. 
3. Asseguram uma herança. V.1. 
4. São perfeitos. V. 1. 
5. Não devemos nem precisamos acrescentar algo. 
6. Guardam a vida. V. 4. 
7. Dão sabedoria. V. 6. 
8. O grande Deus está por trás deles. V. 7. 
9. São justos. V. 8. 
10. São ricos em bênçãos. V. 9. 


35. COMO ISRAEL DEVERIA COMPORTAR-SE EM CANAÃ. 
1. Deveria guardar-se dos ídolos. Dt. 4:15 -24. 
2. Não se colocar sob jugo estranho. Dt. 7:1-4. 
3. Não se orgulhar, e sim ser humilde. Dt. 8:11-18. 
4. Israel deveria ser um povo separado. Dt. 18:9-14. 
5. Ser honesto com o seu próximo. Dt. 19:14. 
6. Ser corajoso diante do inimigo. Dt. 20:3,4. 
7. Exterminar o inimigo. (em nosso próprio coração). Dt. 25:19. 
8. Dar as primícias de todos os frutos ao Senhor. Dt. 26:1,2. 
9. Amar e obedecer ao Senhor. Dt. 30:20. 

36. O OBJETIVO DA LIBERTAÇÃO DE ISRAEL. DT. 6:20-25. 
A história de Israel é dada a nós como exemplo e para o nosso ensino. 1 Co. 10:6. Queremos aprender algo sobre sua libertação. 
1. A necessidade de sua libertação. 
Israel era um povo de escravos, subjugado por Faraó. Deus viu e sentiu sua aflição e libertou o Seu povo. Êx. 3:7-9. Como Israel esteve sob o domínio de Faraó, assim está o pecador sob o domínio de Satanás. 
2. O próprio Senhor Deus Todo-poderoso libertou o Seu povo. Êx. 3:7-9. 
Não foi Israel, e sim Deus, quem planejou a libertação. Assim o Senhor Jesus veio a este mundo para nossa libertação. Tudo o que nós podemos fazer é suplicar-Lhe, mas a salvação vem dEle somente. Deus usou um instrumento: Moisés. Êx. 3:10. Para nós veio alguém maior do que Moisés – Jesus Cristo, o Filho de Deus. Lc. 4:18,19. 
3. Os meios que Deus usou para a libertação: 
a) Sua mão poderosa. V. 21. 
b) Sinais e maravilhas. V. 22; Êx. 4. 
c) Através de juízos graves sobre seus inimigos. V. 22. 
A mão de Deus pesou sobre os egípcios. A um juízo seguiu outro até que os egípcios terminaram afogados no Mar Vermelho. A salvação em dois sentidos: 
– pela libertação e saída da terra da aflição. Dt. 6:23. 
– pela entrada na terra prometida. Cl. 1:13. 
4. O objetivo da salvação divina: 
a) Para honrar e temer a Deus. V. 24; Pv. 22:4. 
b) Para desfrutar das bênçãos da terra prometida. V. 24. 
c) Para ter a justiça de Deus pela fé em Cristo. Rm. 5:1. 
d) Para viver e servir a Deus, debaixo do Seu domínio. Tt. 3:8. 

37. PRIVILÉGIOS E RESPONSABILIDADES. DT. 7. 
1. Os privilégios. 
Nós somos: 
a) Escolhidos por Deus. V. 6; Ef. 1:4. 
b) Resgatados da servidão. V. 8; 1 Pe. 1:18,19. 
c) Dignos de uma aliança com Deus. V. 9. 
d) Favorecidos sobremaneira. V.14; Rm. 8:28. 
e) Protegidos e guardados. V.15. 
f) Honrados por Sua presença. V.21; 2 Co. 6:16. 
g) Revestidos com forças dadas por Deus. V.24; At. 1:8. 

2. As responsabilidades. 
a) Nós não devemos fazer compromissos. Vv.2,3; 2 Co. 6:14. 
b) Devemos acabar com qualquer idolatria. V.5. 
c) Não devemos nos desviar de Sua palavra. Vv.11,12; Jo. 14:21. 
d) Devemos estar livres de qualquer temor de homens. 
V.18; At. 4:19,20. 
e) Não devemos desejar as coisas mundanas. Vv.25,26; At. 20:24. 
Porque através disto muitos afastaram-se do caminho. 1 Tm. 6:10. 

Conclusão: Nós possuímos melhores dons. 1 Co. 12:31. 



38. EXPERIÉNCIAS DURANTE A PEREGRINAÇÃO NO DESERTO. DT. 8. 
Nós temos aqui um capítulo rico. Logo no versículo 1, já são relacionadas quatro bênçãos: vida, fertilidade, entrada e posse da terra prometida. 
Nossa vida: 
1. Está debaixo da direção de Deus. V.2; Jo. 16:13; Rm. 8:14. 
2. É uma vida de humildade. V.2; 1 Pe. 5 :6. 
3. É uma vida suprida. Vv.3,15; Fp. 4:19. 
4. É uma vida de dependência. V.3; Jr. 15:16. 
5. É uma vida de esperança. Vv.7-9; 1 Jo. 3:3. 
6. É uma vida de gratidão. V.10; Sl. 103; Rm. 14:6 
7. É uma vida de força. V.18; 2 Pe. 1:3. 

39. DEUS DISCIPLINA PARA: 
1. Provar os que são Seus. Dt. 8:2,3. 
2. Purificá-los. Ml. 3:3. 
3. Ensinar-nos. Sl. 119:71. 
4. Guardar-nos. 2 Co. 12:7. 
5. Restaurar-nos. Sl. 119:67. 
6. Fazer-nos prosperar. Dn. 3:23,30. 

40. QUE DEUS ESPERA DOS QUE SÃO SEUS. DT. 10:12-22. 
1. O Senhor tem direito sobre eles: 
a) Como Criador, pois Ele os sustenta. V.14; Sl. 24:1. 
b) Como Redentor, que se inclinou a eles no Egito. Vv.15,21. 
c) Como Senhor, pois os comprou e devem adorá-Lo. Mt. 4:10 
d) Como Abençoador, que os abençoa ricamente. V.22. 
2. Quais são as reivindicações de Deus? 
a) Temor a Deus, como o de criança. V.12. 
b) Andar nos caminhos Dele. V.12; Cl. 1:10. 
c) Amá-Lo de todo coração. V.12. 
d) Servi-Lo com entrega total. V.12; 1 Ts. 1:9. 
e) Circuncidar o prepúcio do coração. V.16; Cl. 2:11. 
f) Provar seu amor amando aos outros. V.19; Êx. 23:9. 
g) Dirigir nossa confiança somente a Deus. V.20; Sl. 57: 7. 

41. UMA PROPRIEDADE MARAVILHOSA. DT. 11:10-17. 
Deus prometeu a Israel uma terra maravilhosa. É chamada de terra abençoada, a terra onde mana leite e mel e, terra de Emanuel. É uma terra, sobre a qual Deus olha continuamente, v.12; mas de nenhum modo é comparável com a que o Senhor chama de “casa de meu Pai”, que nós esperamos ansiosamente. 
1. As ricas promessas de Deus. 
a) A terra não é como o Egito, v.10. Aqui não há mais escravidão, e sim liberdade; não mais comida para escravos, mas uma terra de fartura; não, de fome (Lc. 15:17), porém uma terra de riquezas indescritíveis. Ef. 1:3. 
b) A terra não precisa ser regada penosamente. Vv. 10,11. Deus dá abundantemente; o homem não precisa mais cansar-se no trabalho, Deus abre as janelas do céu. Ml. 3:10. 
c) Os olhos de Deus repousam sobre esta terra. V.12. 
2. As condições de Deus. 
Nós devemos: 
a) Obedecer diligentemente Seus mandamentos. V.13. 
b) Amá-Lo de todo nosso coração. V.13; Jo. 14:21,23. 
c) Servir somente a Ele. V.13; Ef. 2:10; 1 Ts. 1:9. 

42. O CASTIGO DOS ÍMPIOS. 
1. Os patriarcas o profetizaram. Dt. 22:21-24; Jd. 14,15. 
2. Os profetas falaram sobre ele. Sl. 9:17; Is. 5:14; 14:9. 
3. O Senhor mesmo o descreveu. Mt. 25:46; Mc. 9:47. 
4. Os apóstolos o ensinaram. 2 Ts. 1:8,9; 2 Pe. 2:8. 
5. Em Apocalipse ele foi explicado. Ap. 14:9-11; 20:14,15. 
6. Blasfemadores gostariam muito de desmenti-lo. 2 Pe. 3:4; Jd.18. 

43. UMA PALAVRA TAMBÉM PARA VOCÊ. DT. 31:6. 
1. Um conselho de Deus: seja forte e corajoso. 
2. Um encorajamento: não tema, nem se atemorize. 
3. Uma grande promessa: não o desampararei. 

44. RICO CONSOLO E SEGURANÇA. 
1. O Senhor vai adiante de Seu povo. Dt. 31:8. 
2. Ele acompanha os Seus. Mt. 28:20. 
3. É sua retaguarda. Is. 52:12. 
4. O Senhor está em derredor de Seu povo. Sl. 125:2. 
5. Deus estende Seus braços, que nos protegem. Dt. 33:27. 
6. Seus anjos acampam-se ao nosso redor. Sl. 34:7. 
7. O nosso corpo mortal será transformado. Fp. 3:20,21. 

45. SEIS ADMOESTAÇÕES EM DT. 31:12. 
1. Reúna todo povo, pequenos e grandes. 
2. Deixe-os ouvir a palavra de Deus. 
3. Deixe-os aprender a palavra. 
4. Devem temer a Jeová, seu Deus. 
5. Devem observar todas as palavras da lei. 
6. Devem fazer o que está escrito na lei. 

46. SETE COISAS QUE SÃO ETERNAS. 
1. Braços eternos: nosso refúgio seguro. Dt. 33:27. 
2. Redenção eterna: a fonte de todas as bênçãos. Hb. 9:12. 
3. Salvação eterna: a maior obra de Deus. Hb. 5:9. 
4. Herança eterna: a posse segura dos crentes. Hb. 9:15. 
5. Vida eterna: a maior dádiva de Deus. Rm. 6:23; Jo. 3:16. 
6. Glória eterna: a esperança daquele que crê. 1Pe. 5:10. 
7. Perdição eterna: a sorte do incrédulo. Jd. 7. 

47. DEUS É PERFEITO EM: 
1. Todas as Suas obras. Dt. 32:4. 
2. Seus caminhos com Seu povo. Sl. 18:30. 
3. Sua lei, que restaura a alma. Sl. 19:7. 
4. Sua vontade santa. Rm. 12:1,2. 
5. Seu amor constante. 1 Jo. 4:16; 2 Tm. 2:13. 
6. Seus ricos dons. Tg. 1:17. 

48. A GRANDE OBRA DE DEUS NO SER HUMANO. DT. 32:10. 
1. Deus encontra o pecador perdido e o conduz à conversão. 
2. Ele o rodeia – a fidelidade de Deus para com o pecador que volta ao lar. 
3. Deus cuida dele – a provisão de Deus. 
4. Ele o guarda – a proteção divina. 

49. RICAS BÊNÇÃOS PARA O POVO DE DEUS. DT. 33. 
1. Um povo que vive: “Viva Rúben”. V.6; Ef. 2:5; Cl. 2:13. 
2. Um povo que ora: “Ouve, ó Senhor, a voz…”. V.7. 
3. Iluminado. Vv.8-10; 1 Jo. 2:17. 
4. Protegido. V.12. 
5. Frutífero. Vv.13-17; Jo. 15:2. 
6. Que sacrifica. V.19; Rm. 12:1; Sl. 116:17. 
7. Corajoso, como um leão. V.22. 
8. Suprido. V.23; Fp. 4:19; 2 Co. 9:8. 
9. Feliz. V.29; Sl. 144:15. 

50. A NOSSA ROCHA E A ROCHA DELES. DT. 32:31. 
Por que é invisível, Deus utiliza-se de inúmeras figuras para mostrar o que Ele é para os Seus. 
É Sol para nós, escudo, fonte da vida, fortaleza, etc. Aqui Ele é chamado de a nossa Rocha. 
1. A própria figura. 
Neste capitulo, encontramos a palavra Rocha sete vezes. Ela é uma figura de: 
a) Firmeza, contrastando com o tremedal de lama. SI. 40:2. 
b) Figura de segurança. 
c) Proteção. SI. 32:6. 
d) Fidelidade, imutabilidade. Is. 54:10. 
e) Poder. 
2. A nossa Rocha. 
O texto fala de duas rochas: da nossa Rocha e da rocha deles. O que é a nossa Rocha? 
a) É nosso fundamento. Is. 28:16; Rm. 10:11. 
b) É nossa fonte de água. Êx. 17:6. 
c) Dá-nos messes, mel e azeite. Dt. 32:13. 
d) Oferece-nos tudo de que necessitamos. Is. 25:4; 32:2. 
3. A rocha deles. 
A rocha de uma pessoa, de acordo coma figura que usamos, è aquilo em que a pessoa confia. 
a) É a rocha dos presunçosos. Fp. 3:4-6. 
b) É a rocha dos ricos; a ferrugem destrói seu ouro. Tg. 5:2-3. 
4. A confissão dos inimigos. 
Eles terão que confessar que nossa Rocha é a melhor, mais segura. 
a) Seu juízo em vida. l Sm. 4:8. 
b) Seu temor da morte, eles estão sem refúgio. Lc. 21:26. 
c) Seu estado de desespero perante o juízo; porque sua rocha os abandonou, fogem para os montes. Ap. 6:16; Lc. 23:30. 

51. JOSUÉ FOI UM LÍDER EXEMPLAR. 
1. Chamado por Deus. Js. 1:2. 
2. Santo, que não tolerava pecado. Js. 7:25,26. 
3. Que orava. Js. 7:6. 
4. Vitorioso. Js. 11:23; Hb. 4:8-15. 
5. Instrutivo. Js. 24:1-28. 
6. Exemplar. Js. 24:15. 
7. De grande influência. Js. 24:31. 

52. UM SERVO BEM SUCEDIDO. JS. 1. 
Para ser bem sucedido, precisa conhecer a vontade de Deus e fazer de Seus caminhos e pensamentos os seus próprios caminhos e pensamentos. 
1. Precisa ser chamado pelo próprio Senhor. V.2. 
2. Precisa ter clareza sobre os propósitos de Deus. Vv.1-7. 
3. Precisa confiar totalmente na palavra de Deus. Vv.10,11. 
4. Precisa crer na presença de Deus. V.5; Mt. 28:20. 
5. Precisa ser forte e corajoso. V.7. 
6. Precisa amar a palavra de Deus sobre todas as coisas. V.8. 

53. UM DIA DE ARREPENDIMENTO EM ISRAEL. JZ. 2:1-5. 
1. O mensageiro do arrependimento – o anjo do Senhor. 
2. A mensagem do arrependimento – ela indica para: 
a) As bênçãos anteriores de Deus. V.1. 
b) A obrigação de não fazer aliança com outros povos. V.2. 
c) A sua transgressão: “Que é isto que fizestes?” V.2. 
d) O castigo. V.3. 
3. O fruto da mensagem do arrependimento. 
a) Eles ficaram profundamente comovidos, como em: At. 2:37; Jz. 2:4. 
b) Levaram a mensagem a sério. V.4. 
c) Ofereceram sacrifícios ao Senhor. V.5. 

54. “FAZEI COMO EU FIZER”. JZ. 7:17. 
Assim Gideão falou um dia a seus homens. Jesus Cristo diz hoje para nós o mesmo. 
1. Pede-nos que amemos como Ele amou. Jo. 13:34. 
2. Diz-nos para suportar a injustiça como Ele. l Pe. 2:20,21. 
3. Nós devemos renegar o nosso próprio eu como Ele o fez. Jo. 12 :24,25. 
4. Servir uns aos outros como Ele serviu. Jo. 13:14,15. 
5. Ser humildes como Ele foi. Mt.11:29; Jo. 13:5. 
6. Obedecer como Ele obedeceu. Fp. 2:5-8.  
7. Andar como Ele andou. I Jo. 2:6. 

55. CANTAR-TE-EI SENHOR. JZ. 5:3. 
1. Louvores ao Teu nome. Sl. 9:2. 
2. Por ter sido bondoso comigo. Sl. 13:6. 
3. A Tua força. Sl. 59:16. 
4. As Tuas misericórdias. Sl. 89:1. 
5. De toda a minha alma. Sl. 108:1. 
6. Com saltério, cantar-te-ei louvores. Sl. 144:9. 
7. Cantar-te-ei louvores entre as nações. Sl. 57:9. 

56. UM EXÉRCITO EXEMPLAR. 
1. Um combate contra inimigos poderosos. Jz. 6:33. 
2. Um exército forte e revestido por Deus. Jz. 6:34,35. 
3. A escolha dos guerreiros. Jz. 7:1-8. 
4. Sua espera á ordem de marchar. Jz. 7:9-14. 
5. O armamento especial. Jz. 7:16-18. 
6. A grande luta. Jz. 7:19-23. 
7. A vitória triunfante. Jz. 7:24,25. 

57. TRAÇOS EXEMPLARES DO CARÁTER DE RUTE, QUE ERA: 
1. Humilde e solícita para exercer trabalho inferior. Rt. 2:2. 
2. Respeitosa, pediu permissão. Rt. 2:7. 
3. Esforçada, isto outros viam e comprovavam. Rt. 2:7. 
4. Agradecida – “tu me consolaste”. Rt. 2:13. 
5. Bondosa, pois cuidava dos outros. Rt. 2:18. 
6. Obediente – fazia o que Noemi dizia. Rt. 2:22,23. 

58. RUTE, COMO SERVA, NO CAPÍTULO 2. 
1. Rute ofereceu-se para trabalhar. V.2. 
2. Atuava no lugar certo. V.8.
3. Era pequena aos seus próprios olhos. V.10. 
4. Deixou tudo: sua terra e a casa dos pais. V.11. 
5. Por isso, foi ricamente abençoada. V.12. 
6. Buscou em Deus o seu refúgio. V.12. 
7. Desfrutou do seu trabalho. V.14. 

59. A ATITUDE DE BOAZ PARA COM RUTE. 
1. Ele foi amável com ela. Rt. 2:8. 
2. Fez com que descansasse e comesse. Rt. 2:14. 
3. Abasteceu-a ricamente. Rt. 2:15,16. 
4. Proveu-a com cereais. Rt. 3:15. 
5. Resgatou-a. Rt. 4:10. 
6. Uniu-se a ela. Rt. 4:10. 
É assim que Deus age conosco! 

60. COMO RUTE SEGUIU OS CONSELHOS DE NOEMI. 
1. Banhou-se. Rt. 3:3; Ef. 5:26,27. 
2. Ungiu-se com óleo. Rt. 3:3; Mt. 25:7. 
3. Pôs seus melhores vestidos. Rt. 3:3; Is. 61:10. 
4. Ouviu o conselho: “desce á eira”. Rt. 3:3. 

61. UMA PESSOA EXEMPLAR: O PROFETA SAMUEL. 
Aqui vemos o grande papel de uma mãe. 
1. Uma criança pedida a Deus. l Sm. 1:27. 
2. Consagrada ao Senhor. 1 Sm. 1:28. 
3. Aceita por Deus e pelos homens. 1 Sm. 2:26. 
4. Uma criança da promessa. 1 Sm. 2:35,36. 
5. Um servo obediente a Deus. 1 Sm. 3:1. 
6. Também aos homens. 1 Sm. 3:4-18. 
7. Uma pessoa legitimada por Deus. 1 Sm. 3:19. 

62. O QUE DEUS FAZ, É BEM FEITO. 
1. O Senhor dá a força e a alegria da salvação. l Sm. 2:1. 
2. Ele pesa os feitos dos homens. 1 Sm. 2:3. 
3. O Senhor tira a vida e a dá. 1 Sm. 2:6. 
4. O Senhor empobrece e enriquece. 1 Sm. 2:7. 
5. Exalta o pobre. 1 Sm. 2:8. 
6. Guarda os pés dos Seus santos. 1 Sm. 2:9. 
7. O Senhor resiste àqueles que se levantam contra Ele. 1 Sm. 2:9,10. 

63. SAMUEL, UMA BÊNÇÃO PARA SEU POVO. 
1. Samuel cresceu na comunhão com seu Deus. l Sm. 3:19. 
2. O Senhor estava visivelmente com ele. l Sm. 3:19. 
3. O Senhor confirmou todas as suas palavras. l Sm. 3:19. 
4. O povo reconheceu-o como profeta, aceitando a sua mensagem. 1 Sm. 3:20; 7:3-6. 

64. EBENÉZER TESTIFICA: 1 SM. 7:9-12. 
1. Da redenção pelo sangue. V.9. 
2. Da oração respondida. V.9. 
3. Da vitória sobre o inimigo poderoso. V.10; Ap. 12:11. 
4. Da fidelidade de Deus. V. 10. 
5. Também da gratidão dos libertos. V.12. 

65. OITO PASSOS PARA A RESTAURAÇÃO. I SM. 7. 
1. Os israelitas lamentaram diante do Senhor. V.2. 
2. Voltaram de todo coração ao Senhor. V.3. 
3. Jejuaram diante do Senhor. V.6. 
4. Confessaram seus pecados. V.6. 
5. Tiraram os deuses estranhos. V.4. 
6. Serviram só ao Senhor. V.4. 
7. Colocaram sua confiança no Senhor. V.8. 
8. Através do seu sacrifício, alcançaram a vitória. V.10. 

66. OBEDIÊNCIA TOTAL: 
1. Leva ao recebimento do Espírito Santo. At. 5:32. 
2. Produz força para o ministério. Ag. 1:12-14. 
3. É o resultado da fé. Hb. 11:7,8. 
4. Leva a ricas bênçãos. Is. 1:19. 
5. Purifica os corações. l Pe. 1:22. 
6. Obediência é melhor do que sacrifícios. l Sm. 15:22. 

67. É SOMENTE UM PASSO. I SM. 20:3. 
1. É somente um passo entre mim e a morte. Aquele que reconhece isso, toma as devidas precauções. 
a) Nós somos passageiros. l Pe.1:24; Sl. 90:5,6; Tg.4:14. 
b) É um passo inevitável. Is. 38:1-5. 
c) É um passo de separação. 
d) É um passo muito sério. 
e) Poderá ser o seu próximo passo. 
2. É somente um passo entre você e Jesus. 
É um passo de fé, isto comprovou o ladrão na cruz. 
a) É um passo que vale a pena. Mt. 11:28; At. 10:43. 
b) E um passo da morte para a vida. Jo. 5:24. 
3. Somente um passo entre você e a eternidade. 
Isto nós vemos no pobre Lázaro. 
a) Estêvão anteviu a eternidade. At. 7:56. 
b) O Senhor deseja a eternidade para Si e para os Seus. Jo. 17:24. 
4. Entretanto, há também somente um passo entre você e a perdição. 
a) Isto mostra a história do homem rico. Lc. 16:23. 
b) Isto o ladrão rebelde teve que experimentar. 

68. A CAVERNA DE ADULÃO. I SM. 22:1-3. 
Adulão foi um lugar de refúgio para Davi. Foi o local onde Deus o escondeu. 
1. Os que procuraram refúgio foram todos os que: 
a) Tinham dívidas. 
b) Achavam-se em aflição. 
c) Estavam amargurados de espírito. 
2. A quem procuraram: 
Davi, o ungido de Deus. Ele ainda era o rei rejeitado pelos homens, porém aqueles sabiam, que Davi seria um dia rei sobre todo Israel. Assim nós chegamos ao Senhor rejeitado, sabendo que logo tudo será posto a Seus pés. 
3. O que Davi foi para esses homens? 
a) Foi seu líder. 
b) Davi lutou para eles e com eles. Êx. 14:14. 
c) Com Davi, estavam protegidos do inimigo. 
d) Fez deles seus oficiais. 
e) Venceu a batalha final, e assim eles chegaram com ele à honra. 

69. OUTRORA E AGORA. I SM. 30:1-17. 
Esta história é figura da nossa vida. 
1. A procedência do homem. 
a) Ele era um egípcio, como tal, um idólatra. 
b) Era servo de um amalequita (descendentes de Esaú, Gn. 36:12). 
c) Era um inimigo, porque subiu contra o povo de Deus. 
2. Seu estado triste. 
a) Não somente sua origem e seus atos estavam numa luz sombria, mas seu estado físico também era assustador. V.12. 
b) Assim o fazem Satanás e o mundo, com os homens que vivem no pecado. Lc. 15:14,15. 
3. Sua confissão. Vv.13,14. 
Ele disse quem era, o que fez, como ajudou arruinar o povo de Deus. Assim como esse homem agiu, todo pecador deve fazer. Is. 55:7. 
4. Suas experiências. 
a) Primeiro, os servos de Davi o ajudaram. V. l1. 
b) Depois, desfrutou do amor de Davi. Recebeu pão, pasta de figo seco, a vida e a liberdade. 
5. Sua nova missão. 
Lutou com Davi e para Davi. 
6. O juízo sobre os outros que: V.17. 
Eram como ele: ladrões, assaltantes, saqueadores, etc., mas não confessaram seus pecados, ao contrário, continuaram vivendo no pecado, até que a perdição os alcançou. Mt. 24:37-39. 

70. MEFIBOSETE. 2 SM. 9:1-13. 
O comportamento comovente de Davi para com Mefibosete cumprindo a vontade de Jônatas, certamente é um retrato do que Deus é para nós, por causa do desejo de Jesus. Deus dirige Seu amor ao perdido, pela vontade de Jesus. O comportamento de Davi com Mefibosete quer-nos mostrar o comportamento de Deus em relação ao pecador perdido. 
1. A pergunta de Davi. 
“Resta ainda alguém, para que eu use de bondade para com ele, por amor de Jônatas?”. Deus procura o perdido. Onde ele está? Assim Deus chamou, ao homem no paraíso. Gn. 3:9. 
2. A miséria de Mefibosete. 
Onde ele estava? Em Lo-Debar, que significa “sem pasto”; na casa de Maquir, que significa “vendido”. Portanto vendido e sem pasto. Rm. 7:14; 1 Pe. 2:25. De modo diferente, fala aquele que foi achado: ele pode glorificar: o Senhor é meu pastor; e, porque é o meu pastor, nada me faltará. 
a) Mefibosete estava enfermo. V.13; Is. 1:5,6. 
b) Estava cheio de temor. V.7. 
c) Havia perdido tudo. V.7. 
3. A misericórdia de Davi. 
Embora Jônatas tivesse morrido há algum tempo, Davi ainda pensava na aliança que haviam feito e a cumpria sem fazer acepção de pessoas. Davi mostrou bondade por amor a Jônatas. Da mesma forma, Deus deu-nos Jesus por amor a nós. Ef. 2:4. Davi enviou Ziba com a alegre notícia, na qual Mefibosete acreditou. Quem acredita na mensagem, é feliz. 2 Cr. 9:5. 
4. A grande experiência de Mefibosete que: 
a) Veio a Davi. 
b) Humilhou-se diante de Davi. V.6. 
c) Reconheceu a sua indignidade. V.8; Lc. 15:21; 5:8. 
d) Ficou para sempre protegido. V.13; Rm. 5:1. 
e) Morou na cidade do rei. V.13. 
f) Desfrutou da maior comunhão. V.11. 
g) Foi um herdeiro. V.7; 1 Pe. 1:3,4. 
h) “Vem e vê!” Jo. 1:45,46. 

71. A RESTAURAÇÃO DE DAVI APÓS SUA QUEDA. 2 SM. 12. 
1. Seu julgamento impensado. V.5. 
2. Convencido do pecado e culpa. V.7. 
3. A confissão do seu pecado. V.13. 
4. O perdão concedido. V.13. 
5. Sua adoração na casa de Deus. V.20. 
6. Ele come novamente. V.20. 
7. Sua nova vitória sobre o inimigo. V.29. 


72. O QUE DEUS ERA PARA DAVI. 2 SM. 22:2,3. 
1. O Senhor é minha rocha. V.2. 
2. É a minha cidadela. V.2. 
3. É o meu libertador. V.2. 
4. É o meu escudo diante do inimigo. V.3. 
5. E a força da minha salvação. V.3. 

73. PROBLEMAS DA VIDA E SUAS SOLUÇÕES. I RS. 10:1-13. 
1. Uma rainha em busca da verdade. V. 1. 
Quando a rainha de Sabá ouviu da fama de Salomão, sua sabedoria e sua grandeza, não temeu o longo caminho que teria de percorrer e iniciou logo a viagem. Ela veio de muito longe, semelhante aos magos do oriente. Também o pecador está distante e pode, sim, deve ir, do jeito que está. Ef. 2:13,17. 
2. Seu interesse. 
Ela tinha muitas perguntas em seu coração, as quais fez a Salomão. Mt. 11:28. 
3. O sábio conselheiro. 
Salomão respondeu para a rainha tudo o que estava em seu coração. Jo. 4:29. Quando nós colocamos nossos pecados e problemas diante do Senhor, Ele nos revela Sua grande misericórdia e nos dá uma solução. Mc. 5:33,34. 
4. Experiências enriquecedoras. 
Foi o que a rainha teve com Salomão. V.6. Alegria verdadeira somente há no Senhor. 
Quem não crê, não a recebe. Is. 53 :1. 
5. Um testemunho claro. V.8. 
Ela, como rainha, teve inveja até dos servos de Salomão. O menor no céu, é maior do que o maior homem sobre a terra. Mt. 13:16,17. Disso os cristãos como os de Laodicéia não sabem, porém somente aqueles que estão ao lado do Rei. Ap. 3:15-19. 
6. Sua gratidão. V. 10. 
A rainha havia recebido muito; agora o amor dela a impele, a fazer algo de sua parte. 
7. Uma recompensa real. V.13. 
Todo aquele que procura, não volta de mãos vazias. O Senhor concede sossego, certeza, paz e alegria, gratuitamente. Is. 55:1,2. 
8. Sua alegria. 
Ela retornou alegre a sua terra, como o fez, mais tarde, o eunuco. At. 8:39. A todos ela pôde dizer o que ouvira de Salomão, e a todos mostrar o que recebera dele. Jesus cita a rainha como uma advertência a todos os incrédulos. Mt. 12 :42. 

74. COMEÇANDO BEM, MAS TERMINANDO MAL. I RS. 13. 
Este fato, lamentavelmente, é verdade sobre o jovem profeta. Gl. 3:3. 
1. Este jovem profeta era um verdadeiro filho de Deus. Era chamado de homem de Deus. Não era simplesmente um conhecedor e sim consagrado totalmente a Deus. 
2. Havia recebido uma ordem do Senhor. V. l. Ele deveria admoestar e anunciar o juízo, e isto ele fez. 
3. Era um homem corajoso. V.2. Ele não temia a ira do rei. At. 4:20; Hb. 11:27. 
4. Ao mesmo tempo, era um homem poderoso. Deus comprovava seu testemunho através de sinais e milagres. Quando Deus age, através de nós, algo acontece. 
5. Ele abnegou tudo. Vv.6-8. Recusou as honras do rei; portou-se como Eliseu. 2 Rs. 5:16. 
6. Porém não se manteve atento e se deixou enganar. V. 11 ss. 
Quando Satanás vem como anjo de luz, torna-se muito perigoso. V. 18; Gl. 1:8. 
7. Foi desobediente a Deus. V.19. Não acredite em qualquer espírito, Deus não se contradiz. 
8. Foi castigado com a morte. V.24. 

75. CRISTIANISMO CONTEMPORÂNEO. I RS. 18:21. 
O que 1 Reis 18 nos diz é um problema velhíssimo e ao mesmo tempo contemporâneo. 
Manquejar nos dois lados é o mal do nosso tempo. O relatório mostra-nos: 
1. O estado de Israel naquela época. 
Elias estava diante de três classes no monte Carmelo: 
a) A classe dos fiéis seguidores do Senhor, como Elias ou como os sete mil, que não se prostraram diante de Baal; 
b) A classe dos profetas de Baal e do poste-ídolo com Acabe a sua frente; 
c) A classe dos indecisos. A estes Elias falava. 
2. Isso é um retrato dos nossos dias. Hoje, também encontramos: 
a) Muitos filhos de Deus fiéis; 
b) Muitos pecadores e blasfemadores declarados; 
c) E, infelizmente, também muitos indecisos. Estes são pessoas que conhecem a verdade, mas não a seguem. Manquejam dos dois lados. Hoje oram juntamente com os crentes, amanhã, zombam e riem com o mundo. 
3. A repreensão de Elias é totalmente justificada. 
Hipocrisia é um pecado que ocorre muito. Is. 29:13. Um aleijado dificilmente manqueja dos dois lados, logo este manquejar: 
a) Não é natural. Ec. 7:29. 
b) É desonesto. 
4. Elias conhecia somente um caminho: a tomada de decisão. Para um ou para outro lado. 
Para pessoas decididas como Elias, manquejar é algo insuportável. Por que continuar manquejando, se foi bem claramente provado que Deus é o Senhor? 
5. Qual foi a resposta de Israel? O povo ficou em silêncio; os ouvintes certamente estavam convencidos, mas eles queriam continuar servindo a dois Senhores: a Deus e a Mamon. 

76. PEQUENAS COISAS E GRANDES RESULTADOS. 
1. Uma pequena nuvem, mas uma grande chuva. l Rs. 18 :44,45. 
2. Uma pequena serva, mas um testemunho poderoso. 2 Rs. 5:2,3. 
3. Um pequeno membro que causa grandes estragos. Tg. 3:5. 
4. As pequenas raposas causavam grandes perdas. Ct. 2:15. 
5. Uma pequena força, mas uma grande porta aberta. Ap. 3:8. 
6. Pequeno no próprio julgamento, grande diante de Deus. l Sm. 15:17. 
7. Um pequeno tempo de espera, então virá o Senhor. Hb. 10:37. 

77. O SEGREDO DO SUCESSO DE EZEQUIAS. 2 RS. 18. 
1. Sua determinação – destruiu os ídolos. V4.
2. Sua fé – confiou somente em Deus. V5. 
3. Sua segurança – apegou-se ao Senhor somente. V.6. 
4. Sua perseverança – não se desviou de Deus. V.6. 
5. Sua obediência – guardou os mandamentos de Deus. V.6. 
6. Seu êxito – onde ia, obteve sucesso. V.7. 
7. Sua luta contra os inimigos terminou vitoriosa. Vv.7,8. 

78. A PRESENÇA DE DEUS: 
1. Revela majestade e força. l Cr. 16:27. 
2. Dirige seu povo ao descanso. Êx. 33:14. 
3. Dá segurança diante de toda maldade. Sl. 31:20. 
4. Anima de modo sobrenatural. Mt. 14:27. 
5. Dá plenitude de alegria. Sl. 16:11. 
6. Proporciona tempos de refrigério. At. 3:19. 

79. PECADO E GRAÇA. 2 CR. 15:1-12. 
1. Uma mensagem maravilhosa: o Senhor está convosco. Vv.1,2. 
A condição para a sua realização. V.2. 
2. Um estado desconsolador e sem graça. V.3. 
Israel estava sem Deus, sem sacerdote e sem lei. O pecador de hoje está em um estado ainda pior, porque ele está: 
a) Sem Deus e sem Cristo. Ef. 2:12. 
b) Sem luz. Ef. 4:18; 5:8. 
c) Sem vida. l Jo. 5:12. 
d) Sem paz. Is. 57:21. 
e) Ele é um estranho sem esperança. Ef. 2:12. 
3. Um grande acontecimento, buscaram e acharam a Deus. V.4. 
4. Israel assemelha-se ao filho pródigo. Vv.5,6. 
5. A promessa de Deus de grandes bênçãos. V.7. 
6. Sinais e marcas de um reavivamento. V.8. 
7. Um grupo vitorioso. Vv.9,10. 
8. Uma nova entrega a Deus. V.12. 

80. SOCORRO SEGURO. 2 CR. 19:9. 
Quem conhece Deus como Ajudador, não precisa ter medo de nada. 
1. Ele é nosso Auxílio em nossos embaraços. Gn. 24:12,42 ss. 
2. O nosso fiel Sustentador na necessidade. l Rs. 17:5,6. 
3. O nosso Médico nas enfermidades. 2 Co. 12:9. 
4. O nosso consolador na tristeza. Jo. l 1:25 ss. 
5. O nosso auxílio no trabalho árduo. Js. 1:6-9. 
6. A nossa animação em decepções. Rm. 8:28. 
7. O nosso refúgio em qualquer situação. Is. 41:10. 

81. OS QUE COM LÁGRIMAS SEMEIAM. 
Nós semeamos lágrimas: 
1. De arrependimento e colhemos consolo e paz. 2 Cr. 34:27. 
2. De fé e colhemos milagres. Mc. 9:24. 
3. De devoção e colhemos bênçãos. Lc. 7:38,48. 
4. A serviço do Senhor e colhemos frutos. At. 20:19 ss. 
5. De participação e transmitimos alegria. 2 Tm. 1:4.
6. De admoestação, conservando-nos firmes no Senhor. At. 20:31. 

82. OS FRUTOS DA DEDICAÇÃO DO TEMPLO. ED. 6:16-22. 
1. A dedicação incluiu uma nova entrega a Deus. V.16. 
2. Foram oferecidos muitos sacrifícios ao Senhor. V.17.
3. Todos serviram conforme a palavra ordenou. V.18. 
4. Eles celebraram a maravilhosa páscoa. V.19. 
5. Todos se purificaram para o Senhor. V.20. 
6. Todos se separaram das imundícias do inundo. V.21. 
7. O Senhor deu a todos grande alegria. V.22. 
8. Todos foram fortalecidos para o trabalho do Senhor. V.22. 

83. A MÃO DO SENHOR É: 
1. O símbolo da força, do socorro e da coragem. 
2. Uma boa mão, para nos dar coragem. Ne. 2:18. 
3. Uma mão poderosa, para libertar. Dt. 5:15; 6:21; 7:8. 
4. Uma mão protetora, para preservar. l Cr. 4:10. 
5. Uma mão gloriosa, para dar vitória. Êx. 15:6. 
6. Uma mão preservadora, para segurar. Jo, 10:28,29. 
7. Uma mão cooperadora, para garantir sucesso. At. l1:21. 
8. Uma mão que rege, e todos devem prostrar-se diante dela. Dn. 4:35. 

84. TRÊS COISAS IMPRESCINDÍVEIS PARA QUE O TRABALHO DE DEUS SEJA FEITO. NE. 4. 
1. Nós precisamos trabalhar. 
a) O povo trabalhou com ânimo. V.6. 
b) Cada um atuou em seu lugar. V.15. 
c) Eles trabalharam dia e noite. V.21. 
2. Nós precisamos orar. 
Não só trabalharam, mas também oraram. VV.4,5,9; 1 Ts. 5:17. 
Nós precisamos trabalhar, como se tudo dependesse de nós, mas também, orar conscientes de que tudo depende da bênção de Deus. 
3. Nós precisamos vigiar. 
a) Neemias colocou vigias contra os inimigos. V.9. 
b) Neste caminho a vitória é certa. V.20. 

85. O LIVRO DA LEI, CONFORME NEEMIAS 8. 
1. O anseio pelo livro. V.1. 
2. O livro é aberto. V.5. 
3. O livro é lido. V.8. 
4. A compreensão correta do livro. V.8. 
5. O efeito do livro sobre os ouvintes. V.9. 
6. A obediência para com a Palavra de Deus. Vv.14-16. 
7. O amor ao “Livro de Deus”. V.18. 

86. SETE EXPERIÊNCIAS IMPORTANTES EM NEEMIAS 9. 
1. Israel arrependeu-se, com jejum, e pano de saco: V.1. 
2. Separou-se do mundo. V.2. 
3. Confessou seus pecados. V.2. 
4. Ocupou-se espiritualmente diante de Deus. V.3. 
5. Prostrou-se para adorar a Deus. V.3. 
6. Clamou em alta voz a Deus. V.4. 
7. Cantou um hino de louvor. V.5. 

87. SETE DÁDIVAS DE DEUS EM NEEMIAS 9. 
1. Deu-lhes um grande nome – Abraão. V.7. 
2. Deu-lhes uma nova terra. V.8. 
3. Deu aos nossos pais luz para o caminho. V.12. 
4. Deu a Israel juízos e leis. V.13. 
5. Deu-lhes pão e água. V.15. 
6. Concedeu-lhes Seu bom Espírito. V.20. 
7. Deu-lhes um reino. V.22. 


88. UM EXEMPLO DO GRANDE AMOR DE DEUS PARA COM SEU POVO. NE. 9:25. 
Deus deu-lhes: 
1. Cidades fortificadas e terra fértil. 
2. Casas cheias de toda sorte de cousas boas. 
3. Cisternas cheias, portanto ricas em água. 
4. Vinhas e olivais, um retrato de abundância. 
5. Alimento: eles comeram e se fartaram e engordaram. 
6. Isto tudo por Seu grande amor. 

89. O QUE DEUS É PARA NÓS. NE. 9. 
1. Perdoador. V.17.
2. Clemente e misericordioso. V.17. 
3. Vitorioso. V.24. 
4. Fiel e Sustentador. V.25. 
5. Poderoso e temível. V.32. 
6. Justo. V.33. 

90. JÓ CONHECIA SEU REDENTOR, COMO: JÓ 19:25. 
1. Redentor pessoal, ele diz: meu Redentor. 
2. Redentor presente, ele diz: meu Redentor vive. 
3. Aquele que virá, pois o chama de o último (e por fim…). 
4. O ressurreto, ele diz: Vê-Lo-ei por mim mesmo. V.27. 
5. Aquele que ele ama de coração: de saudade desfalece o coração dentro em mim. V.27. 

91. QUAIS AS CONSEQÚÊNCIAS DE VER DEUS? 
l. Humilhação. Jó 42:5,6. 
2. Iluminação. Sl. 34:5. 
3. Transformação. 2 Co. 3:18. 
4. Separação. Hb. 11:27. 
5. Perseverança. Hb. 11:27. 
6. Purificação. 1 Jo. 3:2,3. 

92. NÓS DEVEMOS HONRAR: 
1. A Deus. Pv. 3:9. 
2. A Cristo. Jo. 5:23. 
3. Aos pais. Êx. 20:12; Ef. 6:1,2. 
4. As autoridades. 1 Pe. 2:17. 
5. Aos anciões. Lv. 19:32. 
6. Aos presbíteros. 1 Tm. 5:17. 

93. AS SETE COLUNAS DA CASA DA SABEDORIA. PV. 9:1. 
1. A primeira, fala da misericórdia de Cristo para conosco. Tt. 3:5. 
2. A segunda, de Sua justiça. Rm. 5:1; Fp. 3:9.  
3. A terceira, da paz de Cristo que nos foi dada. Jo. 14:27. 
4. A quarta, da santidade de Cristo. l Pe. 1:16. 
5. A quinta, do amor de Cristo para conosco. Jo. 17:23. 
6. A sexta, do ser de Jesus. Jo. 14:6. 
7. A sétima, do poder de Jesus. Fp. 3:10. 
Quem constrói sobre Jesus Cristo, não constrói sobre a areia. 

94. O CLAMOR DA SABEDORIA AO MUNDO. PV. 8:1. 
1. Ao pecador faminto, clama: venha! Lc. 15:17. 
2. Ao ignorante, oferece sabedoria de Cristo. 1 Co. 1:30. 
3. Ao cansado e sobrecarregado, oferece alivio. Mt. 11:28. 
4. Ao necessitado, mostra a fonte de bênçãos. Fp. 4:19. 
5. A quem está submergindo, estende a mão. Mt. 14:31. 
6. Àquele que está procurando, diz: bem-vindo. Is. 55:1-3. 

95. A MESA DA SABEDORIA. PV. 9:2. 
1. Oferece pão para a conservação da vida. Jo. 6:35. 
2. Água para refrescar. Jo. 4:14. 
3. Leite para o crescimento. 1 Pe. 2:2. 
4. Alimento sólido para adultos. Hb. 5:14. 
5. Vinho, para alegrar, animar. Is. 55:1. 
6. Bons frutos para deliciar. Ct. 2:3. 
7. Mel para fortalecer. Pv. 24:13. 
8. “Comei e bebei, amigos bebei fartamente”. Ct. 5:1. 

96. O SENHOR JESUS, O AMADO. 
l. Sentamo-nos sob Sua sombra. Ct. 2:3. 
2. Ouvimos Sua voz. Ct. 2:8,10. 
3. Trazemos-Lhe frutos. Ct. 4:16. 
4. Abrimos-Lhe a porta. Ct. 5:6. 
5. Falamos e testemunhamos. Ct. 5:10. 
6. Esperamos por Ele. Ct. 8:2. 
7. Seguramo-nos nEle. Ct. 8:5. 

97. O JARDIM DO REI. 
1. É cercado, protegido. Ct. 4:12. 
2. E bem irrigado. Ct. 4:15. 
3. É muito frutífero. Ct. 4:16. 
4. Espalha aroma precioso. Ct. 4:16. 
5. Produz muitos frutos. Ct. 4:13,14. 
6. É visitado pelo rei, pelo amado. Ct. 5:1. 

98. OBSTÁCULOS NA VIDA DE FÉ. 
l. As raposinhas que devastam os vinhedos. Ct. 2:15. 
2. Sono e preguiça. Pv. 6:10. 
3. Estultícia. Ec. 10:1. 
4. Pouco ânimo. Gl. 5:9. 
5. Pequena fé, desconfiança. Mt. 14:31. 
6. Um pequeno órgão, a língua. Tg. 3:5. 
7. Pouco amor. Lc. 7:47. 

99. UMA GRANDE VISÃO. IS. 6. 
1. O conhecimento que nos é dado sobre Deus: 
a) O Seu governo sublime: Ele é rei. 
b) A Sua santidade tripla. 
c) Sua glória – Ele enche o templo. 
d) Sua misericórdia ao pecador – Ele o purifica. 
2. O ministério dos anjos: 
a) Eles são servos e protetores do trono. 
b) Sua humildade – encobrem-se totalmente. 
c) Sua obediência – um voou imediatamente ao altar. 
d) Sua dedicação – sempre a postos. 
3. As características do ser humano: 
a) Seu total fracasso diante da presença de Deus. 
b) Sua incapacidade de estar frente a Ele. 
c) Sua perversidade e impureza. 
d) Seu restabelecimento através da purificação. 
e) Seu sublime chamado para o ministério. 

100. TRANSFORMAÇÃO TOTAL TORNA O HOMEM: IS. 6. 
1. Privilegiado – “Eu vi o Senhor”. V.1. 
2. Convicto – “Ai de mim”. V.5. 
3. Consciente – “Sou homem de lábios impuros”. V.5. 
4. Purificado – Através da brasa do altar. V.7. 
5. Curado – “Teu pecado foi perdoado”. V.7. 
6. Atencioso – “Ouvi a voz do Senhor”. V.8. 
7. Solícito e obediente – “Envia-me a mim”. V.8. 

101. O CRENTE: 
1. Confiará somente no Senhor. Is. 12:2. 
2. Amará ao Senhor, força sua. Sl. 18:1. 
3. Guardará Sua lei e preceitos. Sl. 119:44,45. 
4. Andará na presença do Senhor. Sl. 116:9.
5. Honrará Seu nome. Sl.139:14. 
6. Agirá sabiamente. Sl. 101:2. 

102. BÊNÇÃOS EM ISAÍAS 25. 
1. Deus é fortaleza para os Seus. V.4. 
2. Ele é seu refúgio na tempestade. V.4. 
3. Uma sombra contra o calor. V.4.  
4. Prepara-lhes um banquete. V.6. 
5. Dá vitória sobre a morte. V.8. 
6. Enxuga todas as lágrimas. V.8. 
7. Tira o opróbrio (Injúria, vergonha). V.8. 
8. É o Salvador seguro. V.9. 
9. É o doador da alegria. V.9. 
Leia ainda o versículo 1: Este Deus nós queremos louvar. 

103. A PEDRA VIVA. IS. 28:16. 
1. Ele é a pedra, escolhida para nos salvar. l Pe. 2:4. 
2. A preciosa pedra, eleita, para nos guardar. 1 Pe. 2:6. 
3. O fundamento, para nos carregar. 1 Co.3:11. 
4. A pedra angular, que unifica todos. Ef. 2:20. 
5. A pedra da decisão, pró ou contra Deus. 1 Pe. 2:8. 
6. A pedra que executará o juízo. Dn. 2:45. 
7. Hoje a pedra continua rejeitada. 1 Pe. 2:7; Sl. l 18:22. 
8. Ela não é considerada. At. 4:11. 
9. Logo, porém, esmagará o pecador. Dn. 2:45. 

104. UMA IMAGEM ESPERANÇOSA DO FUTURO. IS. 35:l-6. 
Neste texto, temos uma profecia sobre o milênio. Depois do término do reinado do Anticristo e com ele a devastação (ele também é chamado de o destruidor), Deus novamente fará cousas grandiosas sobre a terra. Ele revestirá tudo maravilhosamente. 
V.2. Antes, tudo era desconsolador. 
Agora, porém é dito: 
1. Fortalecei as mãos frouxas. Hb. 12:12. As mãos são para trabalhar, não para ficarem inativas. 
2. Firmai os joelhos vacilantes. 
Pessoas com joelhos vacilantes não conseguem andar direito. Joelhos vacilantes apontam principalmente para a falta de oração. 
3. Animem os desalentos de coração. 
Quando há problemas no coração, o corpo todo sofre. Assim é com a vida interior ou espiritual. Desalento ou desânimo é insuficiência de fé. 
Porém tudo isso já é passado. Segue: 
4. Uma mensagem motivadora. V.4. 
O tempo da angústia já passou. O Senhor deixa tudo florescer. Ele mesmo vem e faz tudo maravilhoso. Tt. 2:13; Ap. 1:7. 
5. Uma obra especial da graça. 
Olhos de cegos serão abertos. V.5; Ef. 1:18; At. 26:18. 
Os ouvidos dos surdos serão desimpedidos. Os coxos saltarão como cervos. V.6; At. 3:2-10; e a língua dos que eram mudos, anunciará a glória de Deus. Sl. 51:15. Vamos comparar esta palavra com a vida espiritual, assim saberemos a situação de muitos filhos de Deus. 

105. DEUS É PARA SEUS FILHOS. IS. 41:10. 
1. Um estímulo – “Não temas”. 
2. Companheiro – “Eu sou contigo”. 
3. Intercessor – “Não te assombres”. 
4. Deus – “Eu sou o teu Deus”. 
5. Doador de força – “Eu te fortaleço”. 
6. Ajudador – “Eu ajudo-te”. 
7. Sustentador – “Eu sustento a ti”. 


106. NÃO TEMAS. Is. 43:1-10. 
1. Eu te remi, v. 1 – comprei-te para mim. 
2. Chamei-te, v. 1 – isto é de pura graça. 
3. Sou contigo, v.2 – numa comunhão maravilhosa. 
4. Amo-te, v.4 – a afeição de Deus por nós. 
5. Ajuntar-te-ei, v.5 – nossa esperança. 
6. Criei-te para minha glória, v.7 – nosso privilégio. 
7. Tu és minha testemunha, v. 10 – nossa missão maravilhosa. 

107. POR QUE EU DEVERIA SER MEDROSO SE: 
1. O Senhor me remiu. Is.43:1. 
2. Protege-me e cerca-me. Gn.15:1. 
3. Fortalece-me e salva-me. Is. 35:4. 
4. Está comigo em todo lugar. Is. 41:13. 
5. Cuida de mim. Mt. 10:30,31. 
6. Tem um reino preparado para mim. Lc. 12:32. 

108. ISRAEL, VOCÊ É PRIVILEGIADO. IS. 43. 
O que Deus fez com Israel, Seu povo: 
1. Formou. V.1. 
2. Remiu. V.1. 
3. Chamou. V.1. 
4. Guardou. V.2. 
5. Amou. V.4. 
6. Ajuntou. V.5. 

109. SETE COISAS ETERNAS. 
1. Salvação. Is.45:17. 
2. Luz. Is.60:19. 
3. Alegria. Is.35:10. 
4. Rocha. Is.26:4. 
5. Misericórdia. Is.54:8. 
6. Aliança. Is.55:3. 
7. Chamas (juízo). Is.33:14. 

110. OLHE PARA JESUS E VIVA. IS. 45:22. 
1. O caminho mais simples para a salvação: olhar para Ele. Mt. 1:21. 
2. Quem pode olhar para Ele? Todos os homens. l Tm. 2:4; Jo. 6:37. 
3. Como devemos olhar? Cheios de fé, como Israel olhou para serpente de bronze. Nm. 21:4-9; Jo. 3:14. 
4. Nós olhamos o passado, para Aquele que morreu por nós. Rm.18:34. 
5. Para o alto, para Aquele que está vivo. Hb. 12:2. 
6. Para o futuro, para Aquele que virá. Tt. 2:13. 

111. UM LINDO RETRATO DE JESUS CRISTO. IS. 50:4-9. 
O profeta, a cerca de setecentos anos antes do nascimento de Cristo, viu no Espírito e descreveu: 
1. A sabedoria de Cristo. V.4. 
O Senhor já tinha língua de eruditos aos doze anos. Lc. 2:46,47; Jo. 8:28 e38. 
2. Sua obediência. V.5. 
Ele deixou sempre Seus ouvidos serem abertos, para fazer a vontade dAquele que O enviou. SI. 40:6-8. Nós reconhecemos muitas vezes a vontade de Deus, entretanto não a fazemos. 
3. Seu sofrimento. V.6. 
Voluntariamente, deixou-se bater e açoitar. Não ofereceu nenhuma resistência. 
4. Sua confiança. V.7; Lc. 22:42,43. 
Ninguém necessitou tanto de ajuda como o Senhor, mas ninguém estava tão certo dela como Ele. 
5. Seu testemunho. V.8. 
“Perto está o que me justifica”. A proximidade de Deus ameniza os sofrimentos. 
6. Um convite. 
“Apresentemo-nos juntamente”. V.8. 
Aproximar-se do local onde Ele foi condenado. Vamos aproximar-nos com toda reverência daquele lugar e ver, como o justo, sofreu por nós injustos. 

112. O HOMEM DE DORES. IS. 53. 
Assim o profeta descreve o Senhor. O caminho de Cristo aqui na terra foi exclusivamente um caminho de sofrimento. 
1. O sofrimento de Cristo teve início no Seu nascimento. Para Ele, não havia lugar na hospedaria. O sedento de sangue, Herodes, atentou contra a vida dEle. 
2. Sua humilhação descrita em Fp. 2:5-8, foi um sofrimento durante toda Sua vida. Ele tomou tudo sobre Si: nossas fraquezas e delitos. Ele era filho de pais pobres, passou fome e sede. Os pássaros tinham ninhos, mas Ele não tinha onde descansar Sua cabeça. 
3. Devemos lembrar também das inúmeras acusações e suspeitas, às quais esteve sujeito. Foi rejeitado, os Seus não O receberam. Foi chamado de: blasfemador, glutão e bebedor, e embusteiro. Mt. 11:16; 26:65. 
4. Continuamente, esteve exposto a todo tipo de grosseria e brutalidade. Várias vezes Seus inimigos tencionaram mal contra Ele. Lc. 4:29. Pensemos no tratamento que recebeu diante de Pilatos, Herodes e no Sinédrio. 
5. Continuemos pensando como o Senhor esteve exposto aos ataques de Satanás. Mt. 4:1-10. Seu grande inimigo era o caído Lúcifer, que queria derrubá-Lo. O sofrimento de Cristo procedia de todos os lados, de Seus inimigos, de Seus próprios discípulos e, durante as três horas de escuridão, quando na cruz, até mesmo de Deus, pois foi abandonado e oprimido por Deus Seu Pai. 

113. QUEM ESTÁ NO CÉU? 
1. O Pai, pois lá é Sua habitação. Is. 63:15. 
2. O Filho, Que lá nos prepara lugar. Jo. 14:2; 3 :13. 
3. O Espírito Santo, que, de lá, veio até nós. At. 2:2-4. 
4. Todo principado e potestade. Ef1:21;Cl.2:10. 
5. O céu é a morada dos anjos. Mt. 16:27; 18:10. 
6. O céu é a morada dos salvos. Ap. 4 e 5. 
Quem consegue imaginar a beleza de nossa leitura comunhão celestial? 

114. SÍMBOLOS DO FIEL CUIDADO DE DEUS, QUE PODE COMO: 
1. Uma mãe, consolar-nos. Is. 66:13. 
2. Um pai, compadecer-se de nós. Sl. 103:13. 
3. Uma ama, amamentar-nos. 1 Ts. 2:7. 
4. Um pastor, apascentar-nos. Ez. 34:11-31. 
5. Uma galinha, ajuntar-nos. Mt. 23:37. 
6. Uma águia, levar-nos. Dt. 32:1 1,12. 
7. Um noivo, alegrar-nos. Is. 62:5. 

115. FRUTOS DA CONFIANÇA. 
1. Uma vida frutífera. Jr.17:7,8.
2. Inabalável. Sl.125:1. 
3. Alegre. Sl.33:1. 
4. Pacífica. Is.26:3. 
5.Liberta. Sl.37:40. 
6. Recompensada. Hb.10:35. 

116. A BONDADE DE DEUS PARA COM ISRAEL. JR. 31. 
1. Deus ama Seu povo. V.3. 
2. Redime Seu povo. V.11.
3. Lembra-se e se compadece dele. V.20. 
4. Ajunta Seu povo. Vv.8,9. 
5. Guarda-o e o farta. Vv.10,14. 
6. Vela sobre o povo. V.28. 

117. NA CASA DO OLEIRO. JR. 18:1-6. 
Jeremias foi enviado à casa do oleiro, para receber ensino demonstrativo. Formigas e lírios devem ensinar preguiçosos e preocupados, respectivamente. Assim Jeremias estava preparado para deixar-se instruir por um simples oleiro. Aproximou-se e viu, como ele fazia um vaso sobre as rodas, e como este vaso se estragou. Vamos observar algumas particularidades desta história: 
1. O barro: é a casa de Israel, que foi tirado do Egito e levado a Canaã. Também nós fomos tirados da terrível fossa deste mundo e transferidos para o reino da graça, para o Senhor nos moldar como seus vasos. Barro é o material de uso mais comum. Nós, que somos Suas criaturas, fomos formados do barro; e um dia o nosso corpo voltará a ser pó. Portanto, não há muito em nós, para nos gloriarmos. 
2. A roda: é a ferramenta sobre a qual o vaso é moldado. Nós somos, em Suas mãos, como o barro nas mãos do oleiro. Porém todo barro é moldável. Será que não somos como Israel, muitas vezes, rebeldes e por isso falhos como vasos? E será que recuamos, quando Ele nos amassa com força como o oleiro faz com o barro? Rm. 8:28. 
3. O oleiro: v.6. O Senhor compara-se comum oleiro. Portanto, existem as melhores possibilidades, para que nos tomemos vasos de bênçãos úteis para Ele, l Pe. 5:10; 2 Tm. 2:20,21. 
4. O vaso: estragou-se nas mãos do oleiro. Assim Israel foi afastado do Deus vivo em virtude da sua incredulidade. Hb. 3:12. Em todos os lugares temos esse retrato diante de nós: vasos estragados. Você ou eu somos um destes? O que nós poderíamos ser, se somente permitíssemos que Ele nos moldasse! Deus tomará Israel novamente sobre a roda para fazer dele o grande povo da bênção conforme Sua promessa. 

118. PREOCUPAÇÃO PELAS ALMAS IMORTAIS. JR. 20:19. 
A despeito de todo o ultraje que Jeremias passou, não fez outra coisa a não ser o de chamar pessoas para a conversão. Salvar almas deve ser o desejo de cada filho de Deus. 
Nós queremos agir como Jeremias, pois nós: 
1. Temos uma missão. Jr. 1:17; 1 Co. 9:16,17. 
2. Temos uma responsabilidade. Rm. 1:14; 1 Ts. 2:4. 
3. Fazemo-lo com convicção profunda. 2 Co. 5:11,14. 
4. Oferecemo-nos para este serviço. Rm. 9:1-3; 10:1. 
5. Cremos na profecia. Is. 55:11; 1 Tm. 1:16. 
6. Vencemos todo medo. Jr. 1:4-9. 
7. Temos uma grande necessidade de salvar almas. At. 4:20; Sl. 39:3. 

119. A MISERICÓRDIA DE DEUS COM ISRAEL. JR. 31. 
1. No passado, Deus: 
a) Redimiu seu povo. V. 11. 
b) Lembrou-se e compadeceu-se do Seu povo. V.20. 
c) Amou a Seu povo. V.3. 
d) Abençoou Seu povo. V.3. 
2. No futuro, Ele: 
a) Perdoará Seu povo. V.34. 
b) Trará Seu povo para casa. V.8. 
c) Levá-lo-á e guiá-lo-á. V.9. 
d) Guardará e apascentará Israel. V.10. 
e) Alegrará e animará Seu povo. V.12. 
f) Saciá-lo-á e fartá-lo-á. V.14. 
g) Protegerá Seu povo. V.28. 


120. CADA MANHÃ. 
1. Nova misericórdia. Lm.3:22,23. 
2. Maná fresco. Êx.16:21. 
3. Forças renovadas. Is.40:31. 
4. Novo louvor. 1 Cr.23:30. 
5. Novo ensino. Is. 50:4. 
6. Louvor e gratidão. Sl.59:16,17. 

121. JEREMIAS. CAPÍTULO 15. 
l. Sua oração. V.15. 
2. Sua vergonha. V.15. 
3. Seu alimento. V.16. 
4. Sua alegria. V.16. 
5. Sua separação. V.17. 
6. Sua salvação. Vv.20,21. 

122. SOZINHO COM DEUS, PARA: 
1. Ouvir a Sua voz. Ez.3:22. 
2. Conhecer Seus pensamentos. Gn. 17:1-19; 1 Sm.3:20,21. 
3. Receber Suas ordens e promessas. Jz.6:14; Êx.3:1-10. 
4. Ver Sua face. Êx. 32:30. 
5. Receber Sua benção. Gn.28:10-14; 32:26. 
6. Ver Sua glória. Êx. 33:18-22; Ap. 1:12-16. 
7. Ver somente a Jesus. Mt. 17:8. 

123. UM TRIO EXEMPLAR. EZ. 14:20. 
1. Noé, que perseverou na pregação. 
2. Daniel, que perseverou na oração. 
3. Jó, que perseverou na provação. 



124. HOMENS DE DEUS SÃO VIGIAS. EZ. 33:7-11. 
Deus lembrou Ezequiel que ele foi designado como atalaia (vigia) V.7; 3:17-21. Se não houvesse perigo, não haveria necessidade de um vigia. O inimigo está sempre à espreita. Mc. 13:37. 
1. A responsabilidade do vigia. 
Ouvir a palavra da boca de Deus. Transmitir o que ouviu, advertir. 
2. A responsabilidade dos advertidos. 
a) Eles não têm desculpa. Lc. 13 :1 ss. 
b) Advertência e convite andam um do lado do outro. Jo. 3:36. 
3. O chamado da graça. V.11. 
O novo nascimento é obra do Espírito Santo, mas o ato da conversão é dever do advertido. Aqui, faz-se necessário ouvir o chamado do amor divino. 2 Pe. 3:9. Quem ouve e aceita a advertência, salva sua alma. 

125. O BOM PASTOR. Ez. 34. 
1. Procura as ovelhas, e as: V.11. 
2. Livra. V.12. 
3. Ajunta. V.13. 
4. Apascenta. V.14. 
5. Acampa. V.14. 
6. Fortalece. V.16 
7. Protege. V.25. 

126. HOMENS FIÉIS SÃO: DN. 3. 
1. Crentes. V.28. 
2. Protegidos. V.27. 
3. Convictos, libertos. V.17. 
4. Consagrados a Deus. V.28. 
5. Sem medo. V.12. 
6. Privilegiados. V.25. 
7. Promovidos. V.30. 

127. PRÉ-DISPOSIÇÃO: 
1. Janelas abertas, para receber bênçãos. Dn.6:10; Ml.3:10. 
2. Escrituras abertas, para delas aprender. Ne.8:5;Lc.24:32. 
3. Ouvidos abertos, para obter ensino. Is.50:5. 
4. Boca aberta, para testemunhar. Sl.51:15; Ef. 6:19. 
5. Portas abertas, para o evangelho. At.14:27. 
6. Corações abertos, para aceitar a Palavra. At.16:14. 
7. Olhos abertos, para a conversão. At.26:18. 

128. A MISERICÓRDIA DE DEUS PARA COM ISRAEL. OS. 11:4. 
1. Deus tirou Israel com laços (cordas) de amor. 
2. Moisés tirou Israel do Egito. Lv. 26:13. 
3. Os anjos tiraram Ló de Sodoma. Gn, 19:1-29. 
4. Davi tirou Mefibosete de Lo-Debar. 2 Sm. 9. 
5. As cordas de Deus: 
a) Muitos são atraídos através da cruz. Jo.12:32. 
b) Outros, através da alegria dos que crêem. At. 4:13. 
c) Outros, ainda, são atraídos pela santidade dos crentes. At. 6:15.  
d) E, outros, pela bondade de Deus. Lc. 5:8. 
6. O amor de Deus concede: 
a) Libertação do jugo do pecado. Mt. 11:28. 
b) Libertação de toda preocupação. Fp. 4:6; Mt. 6:25-34. 
c) Libertação do temor da morte. Mt. 10:28; Hb. 13:6. 
d) Alimento a seu tempo. Sl. 145:15,16. 
e) Suprimento da necessidade no deserto. Ne. 9:20,21. 
f) Cuidado com Sua igreja. Ef. 5:29.  
g) Ele é nosso Pai e nós Seus filhos. Sl.103:13. 



129. SETE BENÇÃOS EM OSÉIAS 11:1-4. 
Deus ama Israel pois: 
1. Chamou Seu povo do Egito. V.1. 
2. Criou-o e o ensinou a andar. V.1. 
3. Tomou-o em Seus braços. V.3. 
4. Curou-o; foi médico. V.3. 
5. Atraiu-o com laços de amor. V3. 
6. Livrou-o do jugo. V.4. 
7. Deu-lhe alimento e cuidou dele. V.4. 

130. RESULTADOS DE UMA REAL CONVERSÃO A DEUS. OS. 14. 
1. Restauração – Eu quero curá-los. V.4. 
2. Amor – Eu quero de mim mesmo amá-los. V.4. 
3. Eu quero ser, ao convertido, refresco como o orvalho. V.5. 
4. Eles serão como o lírio. V.5. 
5. Serão esplendorosos como a oliveira. V.6. 
6. Florescerão como a videira. V.7. 
7. Serão como o cipreste verde. V.8. 
8. Achar-se-á frutos neles. V.8. 

131. LIMITES QUE DEUS SE IMPÔS. 
O que o Deus Todo-Poderoso não pode: 
1. Não pode mentir. Tt. 1:2; Jo. 10:35. 
2. Não pode salvar pessoas que desprezam Sua graça. Jo.3:5. 
3. Não pode condenar os que estão em Cristo. Rm.8:1. 
4. Não pode rejeitar nossa oração. Jo.16:23. 
5. Não pode abandonar aquele que Nele crê. Hb.13:5,6; Sl.37:25. 

132. CINCO “AIS” EM HABACUQUE 2. 
1. Ai dos desonestos, dos falsos. V.6. 
2. Ai dos cobiçosos e ávidos, que confiam numa falsa segurança. V.9. 
3. Ai daqueles que exploram o próximo e edificam suas cidades com sangue. V.12. 
4. Ai dos pérfidos, embusteiros e impuros. V.15. 
5. Ai daqueles que adoram ídolos. Vv.18,19. 

133. SOFONIAS CONDENA QUATRO PECADOS. SF. 3:2. 
A cidade de Deus caiu profundamente. Era o lugar do templo, da luz, da justiça, o luzeiro entre as nações. É a figura da igreja, Gl. 4:26, morada de Deus. O que Sofonias disse para Judá, vale hoje para a igreja, como também para cada crente individualmente. 
1. Quais são os quatro pecados da cidade? 
a) Não atender à voz de ninguém. Não ouvir a palavra de Deus significa rejeitá-Lo. 
Foi diferente com Samuel, 1 Sm. 3:10. Sejam praticantes da palavra e não somente ouvintes. Tg. 1:22. 
b) Não aceitar disciplina alguma. Deus, muitas vezes, disciplinou Seu povo duramente, basta pensar em Amós 4. Deus disciplina através de perdas, através de doenças e através de outros modos. Alguns saem do leito de enfermidade mais endurecidos do que antes de adoecerem. Incontáveis são aqueles que rejeitam a palavra de exortação. 
Você também pertence a estes? 
c) Não confiar no Senhor. Israel acreditava em sua própria justiça. Não acreditando na palavra da promessa fazemos Deus de mentiroso. 
d) Não se aproximar do Seu Deus, o Deus vivo, e sim de Baal. Não chegar ao trono da graça, significa difamar e injuriar a graça. Há carência de oração séria. Não ficaríamos desolados se nosso filho quando em perigo ou enfermidade corresse para o vizinho? 
Não é de se maravilhar que, no versículo 1, está escrito: “Ai da rebelde!” 
2. Porém, ao mesmo tempo, após tudo isso há quatro estímulos: a) Mesmo que ela não tenha ouvido, Ele ainda fala. 
b) Mesmo que não aceitasse a disciplina, Ele continua disciplinando em amor. 
c) Embora não confiasse nEle, Deus concede novas promessas. 
d) Ainda que não se aproximasse dEle, Ele reaproxima-se dela. 

134. UMA SEVERA EXORTAÇÃO DE DEUS A SEU POVO. AG. 1. 
Judá havia retomado do cativeiro e com muito esforço e ânimo começou a reconstruir o templo. Lamentavelmente este zelo acabou logo; o interesse dos que regressaram estava somente em reconstruir suas próprias casas. 
1. Uma admoestação severa: Vv.2-4. 
Deus repreende-os pelo seu adiamento, sua indiferença no trabalho para com Ele. Qual foi a causa disso? O egoísmo. Pensavam só em seus bens, porém a casa e a honra de Deus era-lhes indiferente. 
2. Deus mostra-lhes as conseqüências. Vv.5,6. 
Ele lhes diz: reflitam e pensem: vocês tiveram benefícios? Deus pode abençoá-los? 
Vocês não fracassaram em tudo? Perguntem pela causa. Vocês fizeram tanto para Deus quanto fizeram para si mesmos? 
3. A ordem de Deus para agir. V. 8. 
Pensem, onde irão chegar se continuarem agindo assim. Vv.7,8. Ponham-se a trabalhar imediatamente. V.8. Assim vocês obtêm o agrado de Deus e novas bênçãos. V.8. 
Judá não colocou Deus em primeiro lugar. Mt. 6:33. Por esta razão, não recebeu bênçãos. 
Quem não coloca Deus e Sua causa em primeiro lugar, sofre muitos danos. 


135. O SUMO-SACERDOTE DE ISRAEL. ZC. 3. 
1. Estava manchado e trajava vestes sujas. V.3. 
2. Foi acusado por Satanás. V.1. 
3. Deus repreendeu Satanás. V.2. 
4. O Senhor salvou Seu servo. V.2. 
5. Deus vestiu-o com vestes novas. V.5. 
6. O Senhor o coroou. V.5. 
7. Honrou-o com um novo ministério. V.7. 

136. QUATRO GRANDES PROFECIAS SOBRE JESUS CRISTO. 
1. Vendido por trinta moedas de prata. Zc. 11:12. 
2. Ferido e traspassado. Zc.12:10. 
3. Ferido como pastor. Zc.13:7. 
4. Virá novamente sobre o Monte das Oliveiras. Zc.14:4. 

137. SITUAÇÃES SEMELHANTES À IGREJA DE LAODICÉIA NOS TEMPOS DE MALAQUIAS. 
1. Os judeus duvidavam do amor de Deus. Ml. 1:2. 
2. Desprezavam Seu nome. Ml. 1:6. 
3. Profanaram o altar de Deus. Ml. 1:7. 
4. Trouxeram pão imundo. Ml. 1:7. 
5. Chamavam o mal de bom. Ml. 2:17. 
6. Roubavam Deus no dízimo e nas ofertas. Ml. 3 :8. 
7. Descuidavam do trabalho do Senhor. Ml. 3:14. 
8. E em tudo isso, eles se consideravam piedosos. MI. 3:16. 
Em comparação a isso felizes são os vencedores. Ap. 3:21. 

138. PODE O HOMEM ROUBAR A DEUS? ML. 3:8. 
Assim Deus perguntou a Seu profeta. Malaquias transmitiu muitas profecias que continham promessas e advertências. 
– Ml. 3:1-5. A missão de João Batista. 
– Ml. 3 :7-15. O povo que rouba Deus. 
– Ml. 3:16-18. O exemplar retrato dos outros fiéis. 
1. Uma expressão de surpresa. V. 8.  
Pode o homem roubar a Deus? 
a) Os ímpios tributam em reverência a seus deuses. Portanto, roubar do Deus vivo é totalmente condenável. 
b) Roubar a Deus é uma terrível arrogância. 
c) Roubar a Deus é uma grande ingratidão contra o Salvador e Protetor. Ao mesmo tempo, é uma ação que causa dano próprio, porque Deus mandou “o devorador”. 
Por que se expor tão evidentemente ao castigo? Ladrões, quase sempre, são desmascarados e castigados. 
2. Como nós roubamos Deus? 
a) Israel o fazia retendo o dízimo que Deus havia ordenado dar. Todos, que estão amarrados ao dinheiro ou cheios do espírito da preocupação, devem indispensavelmente dar o dízimo, porque assim serão protegidos das conseqüências desses pecados. 
b) Nós roubamos Deus na adoração. 
O Pai procura adoradores. Nós devemos honrá-Lo. Isto se mostra claramente na reunião de oração e na santa ceia. A maioria nem aparece, portanto está roubando Deus. Outros roubam-nO na doutrina. Eles negam Jesus, o Filho de Deus; desmentem Sua ressurreição, etc. 
3. O que deve acontecer? Arrependimento e recuperação do que foi negligenciado. Ml. 3:10. 

139. “DAR” CONFORME A BÍBLIA. 
1 . Dar é um mandamento divino. Ml.3:8-10. 
2. Quem deve dar? Todos. Dt. 16:16,17. 
3. Quanto devemos dar? 1 Co. 16:2. 
4. Com que Espírito devemos dar? 2 Co. 9:7. 
5. Compensa dar? Pv. 3:9,10. 
6. A resposta de Deus ao nosso “dar”. Mc. 10:29,30. 

140. LADRÕES DE IGREJA. ML. 3:8. 
Conhecemos esta expressão e principalmente ladrões de igreja são vistos com desprezo e castigados. Será que também somos culpados deste pecado? Será que é você ou sou eu? Nós ficamos ofendidos quando esta suspeita cai sobre nós. Como Deus define roubar? Não dando aquilo que Lhe pertence. 
1. Deus exige, com razão, que nós O honremos. 
“Santificado seja o Teu nome” diz-se na primeira petição do pai nosso. Nós não devemos usar Seu nome em vão. 
2. Deus tem direito de exigir nossa total obediência. 
Ele é o nosso Criador, nosso Salvador. Jesus comprou-nos para Deus. Nós somos Sua propriedade. 
3. Deus tem direito sobre nosso amor. 
Olhe para Seu amor e bondade. Ele está sempre a nossa disposição e sempre ouve as nossas orações. Deixar de amá-Lo, deixa-O aflito. Ap. 2:4. 
4. Deus tem direito sobre o nosso tempo. 
De quanto tempo você dispõe para Deus em oração, para Sua palavra, para a igreja, para transmitir o evangelho? O que você faz no seu domingo, utiliza-o para servir ao Senhor? 
5. Deus tem direito sobre o nosso dinheiro. 
Não vamos cansar de fazer o bem. Você dá para Deus o melhor ou o mínimo possível? Gl.6:9. 
6. Deus tem direito sobre os nossos dons e talentos. 
O pecado de roubar Deus é, acima de tudo, muito grande, quando pensamos diante de quem o cometemos, a saber, o grande e sublime Deus. Ao governador, Israel não podia trazer nada de inferior, mas a Deus trazia o que não prestava. Quem comete este pecado? Nós que recebemos diariamente Seu amor e Sua bondade. Nós, por quem Ele constantemente se preocupa. Os homens roubam quando os outros estão dormindo; nós roubamos Deus enquanto Ele nos fita com grande cuidado. “Tu, Senhor, me vês” disse Hagar. Deus viu a viúva, quando contribuía no templo. 
Qual será o resultado? É muita tolice roubar Deus, pois assim roubamos nossas próprias bênçãos, que dEle receberíamos. Não devemos esquecer, que logo estaremos diante dEle para ouvir e receber Seu juízo. Mt. 25:41 ss. 
O que devemos e podemos fazer? Reconhecer no que Lhe roubamos e consertar aquilo que ainda é possível. 

141. UM RETRATO DO CRENTE. ML. 3:16,17. 
Paulo lamenta em Rm. 3:11 que “não há quem busque a Deus”. Mas neste texto é totalmente diferente. Deus sempre tem o Seu remanescente fiel. 1 Rs. 19:18. 
1. A descrição destes crentes. 
a) Eles são tementes a Deus. Este é o principio da sabedoria. Não é o medo, como de Belsazar e Herodes e sim o verdadeiro temor (respeito). Também, em Laodicéia, houve vencedores. Ap.3:21. 
b) Pensam em Seu Nome. Ele está acima de qualquer outro Nome. At. 4:12. Deus é a sua rocha, sua força, seu Pastor, Pai, Rei. Sl. 84:11,12. 
2. A comunhão entre eles. 
Eles conversam entre si. Sobre o quê? Não sobre a vida dos outros, mas sobre a bondade, a graça, o consolo e as bênçãos de Deus. 
3. Os privilégios que eles possuem. 
a) O Senhor os ouve. Seu prazer repousa sobre eles. 
b) Dá-lhes a grande promessa e diz que qualquer um que fizer a vontade de Seu Pai, este é seu irmão, irmã e mãe. Mt. 12:50. 
4. A grande recompensa naquele dia. 
Deus abrirá o livro da vida e os recompensará. Ele os honrará como Hamã honrou Mordecai. Et. 6:1-11. 
Deus conhece nossas obras, nossas orações, nossas dádivas e nossas visitas aos doentes. Comece a olhar os crentes como Deus os vê e não com olhos de desamor e de crítica. 

142. CRISTO, UM RETRATO DO SOL. 
1. O sol dá a luz, como também Cristo. Ml.4:2; Jo. 8:12. 
2. Como Cristo, o sol é a razão de toda vida. Jo. 1:4. 
3. O sol rege o dia, Jesus reina em todo tempo. 1 Co. 15:25. 
4. Ele aquece tudo, o amor de Cristo também. Lc. 24:32. 
5. Causa florescimento, como também, a graça de Cristo. Is. 35:1,2. 
6. Retrata a justiça, Cristo é o Sol da Justiça. Ml.4:2. 
7. É o retrato da benção, Cristo é a bênção. Sl. 84:11. 

143. NÓS CREMOS QUE: 
1. Jesus é o Cristo de Deus. Mt. 1:16; Jo. 20:31. 
2. Ele salva de todo pecado. Mt.1:21. 
3. Seu sangue purifica de todo pecado. 1 Jo. 1:7. 
4. Ele santifica Seu povo. Jo. 17:19; Hb. 13:12,13. 
5. Toda autoridade Lhe foi dada. Mt. 28:18;Ap. 19:15,16. 
6. Destrói as obras do diabo. 1 Jo. 3:8; Hb. 2:14. 
7. Pode salvar por completo. Hb. 7:25. 

144. DIVERSAS FUNÇÕES DO SENHOR, COMO: 
1. Salvador, para salvar e santificar. Mt. 1:21. 
2. Redentor, para libertar do pecado e das atitudes erradas. l Pe. 1:18,19. 
3. Mediador, para unir. l Tm. 2:5. 
4. Sumo-Sacerdote, para interceder por nós. Hb. 7:24,25. 
5. Cabeça, para em tudo ter a primazia. Cl. 1:18. 
6. Rei, para reinar. Jo. 18:33-37. 
7. Juiz, para julgar. At. 17:31. 


145. O QUE FAZEMOS EM NOME DE JESUS? 
1. Oramos ao Pai. Jo. 14:13,14;16:23,24. 
2. Reunimo-nos. Mt. 18:20. 
3. Agimos. Lc. 24:47. 
4. Pregamos. At. 4:10-19. 
5. Devido a Seu Nome sofremos afrontas. At. 5:17,18,41. 
6. Exaltamos e confessamos. Fp.2:9-11. 

146. O QUE NOS OFERECE O NOME DE JESUS? 
l. Somente através dEle, há remissão de pecados. At. 10:43. 
2. Neste Nome há vida, através da fé. Jo. 20:31. 
3. NEle há cura. At. 3:16. 
4. Neste Nome oramos e somos ouvidos. Jo. 14:13,14. 
5. Somente nEle está a nossa salvação. At. 4:12. 
6. Por isso, Deus exalta-O acima de tudo. Fp.2:9-11. 

147. SETE ACONTECIMENTOS QUE NOS PROPORCIONAM GRANDE ALEGRIA. 
1. O olhar para a estrela de Belém. Mt. 2:10. 
2. O nascimento do nosso Senhor e Salvador. Lc. 2:10,11. 
3. Ver o sepulcro do Senhor vazio. Mt. 28:8. 
4. Ver o Senhor ascendendo ao céu. Lc.24:51,52. 
5. A conversão de muitos samaritanos. At. 8:4-8. 
6. A conversão de muitos gentios. At. 15:3. 
7. O cristianismo prático de Filemon. Fm. 7. 

148. A DIVINDADE DE CRISTO. 
1. Confirmada pelo Pai celeste. Mt.3:17. 
2. Testemunhada pelo Senhor perante o Sinédrio. Mt. 26:63,64; Mc.14:61,62. 
3. Anunciada pelo anjo Gabriel a Maria. Lc. 1:35. 
4. Pregada por João Batista. Jo. 1:34. 
5. Testemunhada pelos discípulos. Jo. 6:69. 
6. Confessada abertamente pelos demônios. Mt. 8:29; Mc. 3:11. 
7. Reconhecida pelo centurião debaixo da cruz. Mt.27:54. 
8. Paulo pregou a divindade de Cristo. At. 9:20. 
9. Citada por Marcos no começo do seu evangelho. Mc. 1:1. 
10. Natanael disse: “Tu és o Filho de Deus”. Jo. 1:49. 
11. Outras passagens. Jo. 9:35-38; 20:31; Rm 1:4. 

149. COMO NOS DISTINGUIMOS DO MUNDO? 
Quando nós: 
1. Alegramo-nos enquanto sofremos injustiças. Mt. 5:11,12. 
2. Não resistimos aos adversários. Mt. 5:39. 
3. Pagamos o mal com o bem. Mt. 5 :44. 
4. Fazemos o bem àqueles que nos odeiam. Mt. 5:44. 
5. Ao invés de ajuntarmos tesouros na terra, ajuntamos tesouros no céu. Mt. 6:19-21. 
6. Não julgamos aos outros. Mt. 7:1-5. 
7. Confessamos e agimos de acordo com a vontade de Deus. Mt. 7:21-23. 

150. FAÇA UMA AUTO-AVALIAÇÃO. 
Pergunte-se: será que sou: 
1. Sal insípido? Mt. 5:13. 
2. Uma casa sobre a areia? Lc. 6:49. 
3. Videira sem frutos? Jo. 15:5,6. 
4. Uma candeia debaixo de uma cama? Lc.8:16. 
5. Joio entre o trigo? Mt.13:30. 
6. Um odre velho? Lc.5:37. 
7. Um bastardo ao invés de um filho? Hb.12:8. 



151. O QUE DEVEMOS SER? 
1. O sal da terra. Mt. 5:13. 
2. A luz do mundo. Mt. 5:14. 
3. A cidade sobre um monte. Mt. 5:14. 
4. O santuário de Deus. 2 Co. 6:16. 
5. A carta de Cristo. 2 Co. 3:3. 
6. As videiras que dão frutos. Jo. 15:8. 
7. As testemunhas de Deus. Is. 43:10. 
8. Os servos de Jesus Cristo. Jo.13:16. 

152. O QUE DEUS OFERECE E EXIGE EM PRIMEIRO LUGAR. 
1. A reconciliação. Mt. 5:24; 2 Co. 5:20,21. 
2. O reino de Deus. Mt. 6:33. 
3. Julgar a si mesmo. Mt. 7:5. 
4. Limpar o interior. Mt. 23:25,26. 
5. Cumprir com os deveres espirituais. 1 Tm. 2:1-3. 
6. Exercer piedade para com a sua própria casa. 1 Tm.5:4. 
7. Dar-se ao Senhor. 2 Co. 8:5. 

153. JESUS VEIO PARA QUE FINS? (CONFORME MATEUS). 
1. Ele veio para cumprir a lei. 5:17,18. 
2. Revelar a mentalidade dos homens. 10:34-42. 
3. Manifestar Seu nome ás nações. 12:21. 
4. Edificara igreja, 16:18. 
5. Salvar o perdido. 18:11. 
6. Dar a Sua vida em resgate de muitos. 20:28. 
7. Derramar Seu sangue para remissão dos nossos pecados. 26:28; 1 Pe. 1:18,19. 

154. ENCONTROS ABENÇOADOS COM O SENHOR PARA:  
1. Ser curado por Ele. Mt. 8:15. 
2. Receber bênçãos dEle. Mc. 10:13-16. 
3. Ser liberto das amarras de Satanás. Mc. 9:17-27. 
4. Ser purificado da lepra do pecado. Lc. 5:12,13. 
5. Passar da morte para a vida. Lc. 7:14,15; 8:54,55. 
6. Poder andar novamente. Mc. 2:11,12. 
7. Ser fortalecido para grandes tarefas. Ap. 1:17-19. 

155. GRANDES COISAS. MT. 8:23-27. 
1. Uma grande tempestade sobre o mar. 
2. Um grande perigo: ondas altas. 
3. Grande medo: de morrerem afogados. 
4. Grande incredulidade: os discípulos temiam afundar juntamente com o barco. 
5. Um grande Salvador: Ele repreendeu o vento. 
6. Uma grande admiração: “Quem é este…?”. 

156. O QUE NOS FEZ O SENHOR: 
1. Curou dos danos que o pecado causou em nossa vida. Cl. 1:13,14. 
2. Deu-nos Sua paz. Cl.1:20. 
3. Deu-nos Sua graça. Ef. 1:6. 
4. Livrou-nos do pecado e da morte. Rm. 8:1,2. 
5. Ressuscitou-nos juntamente com Ele. Ef. 2:6. 
6. Fez-nos assentar nos lugares celestiais. Ef. 2:6. 
7. Dá-nos grande honra e ministérios. Ap. 1:6. 

157. SERVOS ENVIADOS PELO SENHOR. MT. 10:1-16. 
1. São escolhidos e revestidos pelo próprio Senhor. V. l; Mc.3:13-15; Lc.6:13. 
Como foi com os apóstolos naquela época, assim também é ainda hoje. 
a) São chamados por Ele. Rm. 8:30. 
b) Predestinados para isso por Ele. Ei 1:5; Jo. 15:16. 
c) E revestidos por Ele. At. 1:8. 
2. Não servem a uma instituição humana, mas sim ao Senhor. 
Temos hoje muitos pregadores profissionais, mas somente poucos destes são realmente chamados por Deus. 
Quantos são os que o Senhor chamaria de mercenários! Vamos observar os conselhos que o Senhor deu a Seus discípulos: 
a) Eles devem ser generosos. V.8. 
b) Despreocupados. Vv.9,10; Ap. 22:17. 
c) Corteses e amigáveis. V.12. 
d) Independentes. V.14. 
e) Pacienciosos, como ovelhas que vão ao matadouro. V.16. 
f) Prudentes, como as serpentes. V.16. 
g) Símplices, como as pombas. V. 16. 

158. NÓS CHEGAMOS A JESUS PARA: 
1. Obter alívio e descanso para a alma. Mt. 11:28,29. 
2. Receber a água da vida. Jo. 7:37. 
3. Ter comunhão com Ele. Jo. 1:38,39. 
4. Receber a salvação plena. Hb. 7:25. 
5. Conduzir almas a Ele. Mc. 1:17. 
6. Andar com Ele e vencer. Mt. 14:28,29. 
7. Saber de Seus planos futuros. Ap. 4:1. 

159. DÁDIVAS MARAVILHOSAS DE DEUS. 
1. O Senhor dá descanso ao pecador. Mt. 11:28. 
2. Dá a salvação ao perdido. Lc. 19:10. 
3. Dá a vida eterna aos mortos no pecado. Rm. 6:23. 
4. Dá a justificação ao culpado. Rm 9:30. 
5. Dá o Espírito Santo ao que obedece. At. 5:32. 
6. Dá-nos Sua palavra. Jo. 17:14. 
7. Dá-nos Sua eterna glória. Jo. 17:22. 



160. SEGUIR A JESUS, REALMENTE, ABRANGE: 
1. Arrependimento, mansidão e humildade de coração. Mt. 11:29; At. 2:38,41. 
2. Amar ao Senhor de coração. Mt. 10:37,38; Jo. 14:23,24.
3. Fé e confiança incondicional. Jo.1:12; Hb. 11:7. 
4. Firmeza total. Mt. 11:6; 1 Co. 2:2. 
5. Renúncia completa. Lc. 14:33; Mt. 16:24. 
6. Solidariedade no sofrimento. 2 Tm. 1:16,17; 3:10,11. 
7. Perseverança – constância. At. 2:42; Cl. 2:5; Hb.10:32-36. 

161. DESCANSO. 
1. Do pecador, no sacrifício de Cristo. Mt. 11:28. 
2. Dos crentes, no serviço. Mt. 11:29; Mc. 6:31. 
3. Diante do inimigo. Js. 21:44. 
4. Vindouro na casa do Pai. Hb.4:9. 

162. A CEIFA. MT. 13:23. 
1. O tempo da ceifa lembra a fidelidade de Deus. Gn. 8:22. 
2. Ela testifica a grande bondade de Deus. Sl. 65:11,13. 
3. É um tempo de luta e trabalho sério. Mt. 9:37,38. 
4. É um tempo de grande alegria. Is. 9:3; Sl. 126:6. 
5. É uma pregação séria para os perdidos. Jr. 8:20. 

163. UM IMITADOR DE CRISTO. MT. 14:28-33. 
Pedro queria andar como seu Senhor. 
1. Seu pedido: Senhor, manda-me ir ter contigo. 
2. O convite do Senhor: Vem! 
3. A audácia da fé: Pedro andou sobre as águas. 
4. Um erro perigoso: o olhar para o vento. 
5. A conseqüência inevitável: Pedro começou a submergir. 
6. Uma oração sincera: Salva-me, Senhor! 
7. A resposta imediata: o Senhor puxou-o até Si. 
8. Uma repreensão amorosa: porque duvidaste? 
9. Uma saída misericordiosa: o vento cessou. 
10. O final: louvor e adoração. 

164. PESSOAS QUE PROPORCIONARAM ALEGRIA AO SENHOR. 
1. A mulher cananéia, por sua fé. Mt. 15:28. 
2. A viúva, por sua súplica insistente. Lc.18:1-7. 
3. O leproso, por sua gratidão. Lc. 17:15-19. 
4. Pedro, através do seu testemunho sincero. Mt,16:17-19. 
5. Maria, devido a seu zelo no aprender. Lc.10:38-42. 
6. O samaritano, através da sua ajuda incondicional. Lc. 10:36,37 7. E, nós também Lhe proporcionamos alegrias? Mt. 25:40; Mc. 9:41. 

165. GRANDES COISAS. 
1. Fé. Mt. 15:28. 
2. Amor. Ef. 2:4. 
3. Lucro. 1 Tm. 6:6. 
4. Alegria. Lc.2:10. 
5. Poder e graça. At. 4:33. 
6. Galardão. Hb. 10:35. 
7. Abismo. Lc.16:26. 

166. A MISERICÓRDIA DE JESUS PELOS: 
1. Cegos. Mt. 20:34. 
2. Leprosos. Mc. 1:41. 
3. Famintos. Mt. 15:32. 
4. Enfermos. Mt. 14:14. 
5. Abandonados. Mc. 6:34. 
6. Inimigos. Lc. 23:34. 
7. Homens. Rm. 11:32. 


167. NOSSO SERVIÇO. 
1. O exemplo para o nosso serviço: o Senhor. Mt. 20:28. 
2. O local do nosso serviço: o mundo inteiro. Mt. 28:19. 
3. A motivação para este serviço: o amor. 2 Co. 5:14. 
4. O poder para o serviço: o Espírito Santo. At. 1:8. 
5. A finalidade deste serviço: testemunhar do Senhor. At. 23:11. 
6. A condição para este serviço: humildade. Lc. 9:48. 
7. A recompensa deste serviço: uma coroa. 1 Co. 9:25. 

168. O FILHO RÉPROBO. MT. 21:28-32. 
A parábola fala-nos da longanimidade e paciência de Deus, mas também, do ódio e da maldade do ser humano. Baseia-se no Velho Testamento. Is. 5:1-7. 
1. Quem é o proprietário da vinha? Is. 27:2,3 ; Lc. 13:6-9. 
2. Quem é o filho e herdeiro? Rm. 8:17; Mt. 16:16. 
3. Quando é o tempo dos frutos? Mt. 24:29-31; 1 Ts. 4:16,17. 
4. Quem é a vinha? Is. 5:7; Jr. 2:21. 
5. Quem é o vinheiro? Jo. 15:1; Jr. 12:10-13. 
6. Quem são os servos? Js. 24:19-24. 
7. Quem é a pedra? Is. 8:14; Dn. 2:34,35; 1 Pe. 2:6. 

169. A VINHA. MT. 21:33-46. 
1. Sete atitudes do vinhateiro: 
a) Plantou uma vinha. V.33. 
b) Cercou-a com uma sebe. V.33. 
c) Construiu um lagar. V.33. 
d) Edificou uma torre. V.33. 
e) Arrendou-a a uns lavradores. V.33. 
f) Ausentou-se do pais. V.33. 
g) Enviou servos para receber sua parte dos frutos. 
2. Sete atitudes dos lavradores arrendatários: 
a) Negaram-se a entregar a colheita. V.35.
b) Maltrataram e mataram os servos. V.35. 
c) Resolveram matar o filho do vinhateiro. V.38.  
d) Tencionaram tomar a sua herança. V.38. 
e) Também negaram entregar- lhe a colheita. V.38. 
f) Lançaram-no fora da vinha. V.39. 
g) Mataram o filho e herdeiro da vinha. V.39. 

170. UM ENCONTRO COM GRAVES CONSEQÜÊNCIAS. MT. 22:1-14. 
1. Uma visita pessoal: o rei veio. V. 11. 
2. Um exame pessoal: o homem com vestes inadequadas. V. 11. 
3. Uma pergunta pessoal: Amigo, como entraste? V.12. 
4. Um convencimento pessoal: o homem emudeceu. V.12. 
5. Uma prisão pessoal: Amarrem-no ! V.13. 
6. Um juízo pessoal: Lançai-o para fora! V.13. 
7. Um tormento pessoal: choro e ranger de dentes. V.13. 

171. COISAS IMUTÁVEIS. 
1. A palavra de Deus é imutável. Mt. 24:35. 
2. O amor de Jesus é imutável. Jo. 13:1. 
3. Sua pessoa é imutável. Hb. 13:8. 
4. Seu sacerdócio é imutável. Hb. 7:16-25. 
5. Suas promessas são imutáveis. 2 Co. 1:20. 
6. O Senhor mesmo é e permanecerá imutável.  Hb. 1:12. 

172. SOLDADO VERDADEIRO. 
1 . Um centurião crente. Mt. 27:54. 
2. Um defensor de Cristo através da oração. At. 10:2. 
3. Um soldado compassivo. Mt. 8:5-13. 
4. Um amigo preparado para se sacrificar. 1 Sm. 18:3,4. 
5. Um voluntário corajoso. 1 Sm. 17:45,46. 
6. Um comandante de sucesso. Êx.17:13. 
7. Um soldado coroado após a luta vitoriosa. 2 Tm. 4:7,8. 

173. O QUE É O BATISMO? 
1. Um procedimento ordenado por Jesus Cristo. Mt. 28:19; Mc. 16:16. 
2. Um sinal de conversão. At. 2:38. 
3. Uma confissão de fé. At. 8:36-3 8. 
4. Um testemunho público. At. 10:48; 16:30-34. 
5. O retrato de uma experiência interior. Rm. 6:4. 
6. Um símbolo da ressurreição com Cristo. 1 Pe. 3:21. 

174. AS RICAS BÊNÇÃOS DA PRESENÇA DE DEUS. 
1. A maravilhosa promessa da Sua presença. Mt. 28:20. 
2. A força da presença de Deus. 2 Tm. 4:17. 
3. O precioso resultado da Sua presença. Is. 41:10. 
4. A alegria da presença de Deus. Sl. 16:11. 
5. O rico consolo da presença divina. Sl. 23:4. 
6. O descanso em Sua presença. Êx. 33:14. 
7. A glória da Sua presença. Jd. 24. 

175. AONDE DEVEMOS IR, PARA SERVIR: 
1. Por todo mundo. Mt. 28:19; Mc. 16:15. 
2. Atrás das ovelhas perdidas. Mt. 10:6. 
3. Para a vinha do Senhor. Mt. 20:2-7. 
4. Para as ruas e becos das cidades. Lc. 14:21. 
5. Para a nossa própria casa. Mc. 5:19. 
6. Vá e faça o mesmo, como o bom samaritano. Lc. 10:37. 

176. A AUTORIDADE DO NOSSO PODEROSO SENHOR. 
1. A Ele foi dada toda autoridade. Mt. 28:18. 
2. Sobre toda carne. Jo. 17:2. 
3. Para perdoar os pecados. Mt. 9:6. 
4. Para nos tornar filhos de Deus. Jo. 1:12. 
5. Para nos dar dons afim de efetuarmos Sua obra. Mt. 10:1. 
6. Para julgar. Jo. 5:27. 

177. O SENHOR JESUS, EM MC. 1, É CITADO COMO: 
1. O obediente, que cumpre a justiça de Deus. V.9; (Mt.3:15). 
2. O humilde, que se identifica com o homem pecador. V.9. 
3. O comprovado por Deus. V. 11. 
4. O tentado por Satanás. V.13. 
5. O pregador do Evangelho de Deus. V.14. 
6. Aquele que convida para segui-Lo. V.17. 
7. O mestre, que ensina com autoridade a Palavra. Vv.21,22. 

178. O QUE VOCÊ PENSA DE CRISTO, COMO: 
1. Professor? Mt. 7:29. 
2. Servo dos homens? At. 10:38. 
3. Salvador? Jo. 4:42. 
4. Mestre? Jo. 13:13.
5. Amigo? Jo. 15:15. 
6. Mártir? Dt. 21:23; Gl. 3:13. 
7. Juiz? At.17:31. 

179. INSTRUÇÕES PARA PESCADORES DE HOMENS. MC. 1:17. 
1. O Senhor chamou dois discípulos, que eram dedicados em seu trabalho. 
2. Eles eram pescadores de peixes, e agora tornaram-se pescadores de homens. 
3. Pescadores precisam conhecer muito bem a vida dos peixes, assim os pescadores de homens precisam estudar o caráter e as características dos homens. 
4. Um pescador verdadeiro precisa conhecer o gosto dos peixes. Uns são atraídos por minhocas, outros através da luz. Estude o modo de pensar, os costumes dos homens e utilize muito tato. 
5. A principal qualidade que o pescador precisa ter é a paciência, da mesma forma o pescador de homens. 
6. Pescadores estão sujeitos a muitos perigos. Pescadores de homens precisam ser destemidos. 
7. Atue, espere, vigie, ore. 

180. SEIS TOQUES DE JESUS NO EVANGELHO DE MARCOS. 
O Senhor está pronto para ajudar a todos. Quem Ele toca ou aqueles que O tocam, experimentam Sua ajuda e poder. 
1. A sogra de Pedro experimentou a cura. Cap. 1:31. 
2. O leproso recebeu a purificação. Cap.1:41. 
3. A filha de Jairo recebeu uma nova vida. Cap. 5:41. 
4. O surdo experimentou uma total restauração. Cap. 7:33-35. 
5. Para o jovem possesso Ele deu a libertação. Cap. 9:27. 
6. Para as crianças Ele deu ricas bênçãos. Cap. 10:13-16. 
O Senhor é acessível a todos. Seu toque significa: cura, purificação, nova vida, restauração, liberdade e bênçãos. 

181. SEMENTEIRA E CEIFA. 
1. O que devemos semear: a Palavra. Mc. 4:14. 
2. Como devemos semear: muitas vezes chorando. Sl. 126:5. 
3. Onde devemos semear: em todos os lugares. Is. 32:20. 
4. Quando devemos semear: em todo tempo. Ec. 11:6; 2 Tm. 4:2. 
5. Semeamos sem olhar para as circunstâncias adversas. Ec. 11:4. 
6. Nós ceifaremos com júbilo. Sl. 126:5,6; Gl. 6:9. 
7. A recompensa do ceifeiro será grande. 1 Co. 15:58; Jo. 4:36. 

182. DEGRAUS NA VIDA DE FÉ. 
1. O incrédulo não tem fé alguma. Mc. 4:40. 
2. Tem pequena fé aquele que duvida. Tg. 1:6. 
3. O fiel tem fé crescente. 2 Ts. 1:3. 
4. Os maduros têm forte fé. 1 Ts. 1:8. 
5. Uma grande fé tinha a mulher cananéia. Mt. 15:28. 
6. Cheios de fé eram os diáconos na igreja primitiva. At. 6:5. 
7. O final da fé: a salvação. 1 Pe. 1:9. 

183. OLHAR ABENÇOADOR DO SENHOR. 
1. De amor íntimo. Mc. 10:21. 
2. De estímulo. Lc. 19:5. 
3. De compaixão. Lc. 7:13. 
4. De justa repreensão. Lc. 22:61. 
5. De reconhecimento. Jo. 1:47. 
6. De cuidado afetuoso. Jo. 19:26. 

184. PORQUE ALGUNS FORAM EMBORA. 
1. Um foi embora devido a suas riquezas. Mc. 10:22. 
2. Naamã foi, em razão de sua soberba. 2 Rs. 5:12. 
3. Escribas e fariseus partiram convencidos da própria culpa. Jo. 8:9. 
4. Um outro escriba, por medo das privações. Mt. 8:19,20. 
5. Porém o eunuco seguiu seu caminho cheio de júbilo. At. 8:39. 

185. TENDE FÉ EM DEUS. MC. 11:22. 
1. O que é verdadeira fé, ficamos sabendo, lendo em: Heb. 11:1. 
2. O motivo de nossa fé são as Escrituras. Lc. 1:4. 
3. O objeto de nossa fé é o próprio Deus. 1 Pe. 1:21. 
4. A necessidade de se ter fé, está escrita em: Heb.  11:6. 
5. As experiências que fazemos com a fé, dizem-nos: Mc. 14:12-16; Mt. 8:13. 
6. O sucesso da fé está escrito em: Hb. 11. 
7. O final da fé é a salvação. 1 Pe. 1:9. 

186. JOÃO MARCOS. 
1. Despertou no ribeiro Cedrom. Mc. 14:51,52. 
2. Recebeu ensino em sua casa paterna. At. 12:12. 
3. Foi chamado para o ministério em Antioquia. At. 12:25. 
4. Em Perge, foi provado e fracassou. At. 13:13. 
5. Em Antioquia, foi aceito novamente. At. 15:39. 

187. OS RESULTADOS DE UM PENSAR PROFUNDO. 
Perito lembrou-se da palavra. Mc. 14:72. 
1. Ouvir a palavra é graça. Pedro havia ouvido e mais tarde pensou sobre ela. 
2. Circunstâncias especiais fazem-nos lembrar da palavra: o cantar do galo. 
a) Pedro pensou em sua promessa de ser fiel. 
b) Ele pensou naquele a quem ele negou. 
c) Ele pensou em seu grande pecado e infidelidade. 
3. Pensamentos sérios sobre a palavra de Deus trazem bênçãos. 
a) Pedro saiu dali. Mt. 26:75. 
b) Seu coração quebrantou-se, ele chorou amargamente. 
4. Aquele que sofre e se arrepende do pecado que cometeu, será consolado. 
a) “…dizei a seus discípulos , e a Pedro,…” Mc. 16:7. 
b) Jesus encontrou-se com Pedro à beira mar. A grande culpa, de ter negado a Jesus, foi perdoada. Jo. 21. 

188. SETE “NÃO TEMAS” NO EVANGELHO DE LUCAS. 
1. Não temas quando as orações demorarem a ser respondidas. Lc. 1:13. 
2. Diante de grandes privilégios. Lc. 1:30. 
3. Perante grandes surpresas. Lc.2:10. 
4. Diante do chamado para o ministério. Lc. 5:10. 
5. Em grandes aflições. Lc. 8:50. 
6. Devido a suas necessidades diárias. Lc.12:7. 
7. “Não temais, ó pequenino rebanho! ” Lc.12:32. 

189. UMA VIDA DE MENINO EXEMPLAR. LC. 2. 
1. O menino crescia, fisicamente e espiritualmente. Vv. 40,52. 
2. Crescia também em sabedoria. Vv. 40,52. 
3. A graça de Deus estava sobre ele. V. 40. 
4. Era obediente a seus pais. V. 51. 
5. Amava a casa de Deus. Vv. 43,46,49. 
6. Aprendia na palavra de Deus. Vv. 46,47. 
7. Sabia que Deus era Seu Pai. V. 49. 

190. APARIÇÕES DE ANJOS DURANTE A VIDA DO SENHOR JESUS. 
1. Os anjos apareceram aos pastores que viviam nos campos. Lc. 2:9. 
2. A José no sonho. Mt. 2:13. 
3. A José no Egito. Mt. 2:19. 
4. A Jesus depois da tentação no deserto. Mt. 4:11. 
5. A Jesus no Getsêmani. Lc. 22:43. 
6. Na ressurreição. Mt. 28:2. 
7. Durante a ascensão ao céu. At. 1:10. 

191. JESUS ENTRE: 
1. Os mestres, para ouvi-los e interrogá-los. Lc. 2:46. 
2. Os que estão reunidos em Seu nome, para abencoá-los. Mt. 18:20. 
3. Os crucificados, para sofrer. Jo. 19:18. 
4. Os discípulos, para consolar. Jo. 20:19,20. 
5. As igrejas, para julgar. Ap. 1:13. 
6. E, na glória, sobre o trono, para reinar e para ser louvado. Ap. 5 :6-12. 

192. O BATISMO. 
1. É ensinado por Deus. Lc. 3:3; At. 2:41. 
2. É honrado por Deus. Mt. 3:13-15; Mc. 1:9-11; Lc. 3:21,22. 
3. É um sinal de arrependimento. Mc. 1:4; At. 2:38; 19:1-6. 
4. É uma figura de pureza. Heb. 10:22; At. 22:16. 
5. Significa unidade com Cristo. Rm. 6:3,4; Gl. 3:27. 
6. É executado em nome da Trindade. Mt. 28:19. 

193. A POSIÇÃO DOS MESTRES DA LEI, EM RELAÇÃO AO SENHOR JESUS. 
1. Observaram-nO atentamente. Lc. 6:7. 
2. Condenaram Suas ações. Mc. 2:16. 
3. Indignaram-se com Ele. Mt. 21:15,16. 
4. Acusaram-nO de blasfemar contra Deus. Lc. 5:21. 
5. Temeram-nO. Jo. l 1:47,48. 
6. Injuriaram-nO. Mt. 9:34. 
7. Tentaram prendê-Lo. Jo. 7:32. 
8. Queriam agarrá-Lo à traição. Mc. 14:1. 
9. Decidiram eliminá-Lo. Lc. 19:47. 
10. Acusaram-nO com grande veemência. Lc. 23:10. 
11. Foram culpados por Sua morte. Mt. 16:21; At. 2:22,23. 

194. CASAS EM QUE O SENHOR ENTROU. 
1. Na casa de Simão para perdoar pecados. Lc. 7:36-50. 
2. Na de Zaqueu para trazer salvação. Lc. 19:9. 
3. Na de Pedro para curar. Mc. 1:30,31. 
4. Na de Jairo para conceder vida. Lc. 8:49-55. 
5. Em uma casa em Caná para levar alegria. Jo. 2:1-11. 
6. Em Betânia para ser amigo. Lc. 10: 38-42. 
7. Na pousada de Emaús para abrir os olhos dos discípulos. Lc. 24:29-32. 
8. Com seus amigos para fortalecer sua fé. Jo. 20:26-29. 

195. O QUE A PALAVRA DE DEUS SIGNIFICA PARA NOSSA VIDA ESPIRITUAL. 
1. É a semente para o novo nascimento. Lc. 8:11; Tg. 1:21. 
2. Fomos regenerados por meio dela. l Pe. 1:23. 
3. Dá crescimento espiritual ao cristão. l Pe. 2:2. 
4. Purifica-nos. Jo. 15:3 ; Ef. 5:26. 
5. Santifica o cristão. Jo, 17:17. 
6. É a defesa e a arma dos filhos de Deus. Ef. 6:17. 
7. Através da palavra o cristão é edificado. At. 20:32. 
8. É luz para o nosso caminho. Sl, 1 19:105. 
9. É nosso consolo. Sl.119:50. 

196. O PODER DE CRISTO SOBRE, EM LUCAS 8. 
1. O vento. Vv. 24,25. 
2.O mar. Vv. 24,25. 
3. Os demônios. V. 29. 
4. As enfermidades. Vv. 43,44. 
5. Os segredos. Vv. 45-47. 
6. A morte. Vv.53-55. 

197. DISCÍPULOS DEFICIENTES. 
1. Sua vanglória, não deram a glória a Deus. Lc. 9:10. 
2. Sua grande falta de amor ao próximo. Lc. 9:12; Mt. 19:14. 
3. Sua falha no vigiar. Mt. 26:40-45. 
4. Sua grande incredulidade. Lc. 9:40,41. 
5. Sua soberba. Lc. 9:46. 
6. Sua mesquinhez. Lc. 9:49. 
7. Sua cruel intolerância. Lc. 9:54. 

198. SOLDADOS DE JESUS CRISTO. 
1. O recrutamento: renunciar o seu próprio eu. Lc. 9:23. 
2. A preparação para a firmeza. Fp. 4:1. 
3. Disposição para o sofrimento. 2 Tm. 2:3. 
4. Seguir o líder para onde Ele for. Jo.21:22. 
5. Combater o bom combate. 1 Tm.6:12. 
6. Nossas instruções de serviço encontramos na Bíblia. 2 Tm. 3:16-17. 
7. Nossa recompensa: a coroa da vida. 2 Tm. 4:8. 

199. UM BOM TRABALHADOR DE CRISTO SE PARECE COM: 
1. Um aprendiz. Lc. 10:39; Dt. 33:3. 
2. Um bem armado guerreiro. Ef. 6:10-18. 
3. Um corredor, que se livra do seu peso. Heb. 12:1. 
4. Um semeador, que semeia boa semente. Mt. 13:24. 
5. Um embaixador, que prega a reconciliação. 2 Co. 5:20. 
6. Um pescador, que lança sua rede. Jo. 21:6. 
7. Um servo dedicado ao seu trabalho. Rm. 15:16. 

200. GUARDE-SE: 
1. De toda e qualquer avareza. Lc. 12:15. 
2. Dos maus obreiros. Fp. 3:2. 
3. Dos falsos profetas. Mt. 7:15. 
4. Das filosofias enganadoras. Cl. 2:8. 
5. Dos pensamentos maus. Dt. 15:9. 
6. Das bebidas que embriagam. Jz. 13:4. 
7. Dos pecados da língua. Sl. 39:1. 
8. Dos ídolos. 1 Jo. 5:21. 

201. QUATRO CEIAS DIFERENTES. 
1. A ceia da graça no Evangelho. Lc. 14:16. 
2. Da comunhão para os cristãos. 1 Co. 11:20. 
3. Das bodas para a noiva. Ap. 19:9. 
4. Do juízo para os incrédulos. Ap. 19:17. 
Todos os que vêm para a primeira ceia, podem também participar da segunda e têm a certeza que também estarão presentes na terceira. Porém os incrédulos perecerão na quarta ceia. 

202. DISCÍPULOS VERDADEIROS. 
1. Levam sua cruz e seguem o Senhor. Lc. 14:27. 
2. Permanecem na palavra do Senhor. Jo. 8:31. 
3. Têm amor uns aos outros. Jo. 13:35. 
4. Seguem as ordens do Senhor. At. 9:10-17. 
5. Têm vidas repletas de boas obras. At. 9:36. 
6. Contribuem conforme suas possibilidades. At. 11:29. 
7. Levam voluntariamente as afrontas por causa de Cristo. At. 5:41. 

203. DEUS NOSSO PAI. LC. 15. 
Neste capítulo, são apresentadas: 
1. Sua generosidade. V.12. 
2. Sua grande saudade por Seus filhos. V.20. 
3. A profunda compaixão. V.20. 
4. O amor afetuoso. V.20. 
5. A prontidão para perdoar. Vv.22,23. 
6. Sua grande alegria. V.24. 

204. EXPERIÊNCIAS MARAVILHOSAS. 
1. Prostraram-se e O adoraram: homenagem. Mt. 2:11. 
2. Abraçou-o: o bem-vindo do Pai. Lc.15:20. 
3. Inclinou-se e prostrou seu rosto: profunda humildade. 2 Sm. 9:6. 
4. Prostrou-se a seus pés: postura certa na oração. Mc. 5:22. 
5. Caiu sobre seus joelhos: arrependimento. Lc. 5:8. 
6. Prostrou-se em terra: rendição. Mc. 14:35. 
7. Prostraram-se diante do Cordeiro: adoração. Ap. 5:8-14. 

205. COMUNHÃO COM JESUS. 
1. Alegrar-se com o Senhor. Lc. 15:6. 
2. Vigiar com Ele. Mt. 26:38. 
3. Assentar-se com Ele à mesa. Ap. 3:20. 
4. Andar com Ele. Ap. 3:4. 
5. Ir e trabalhar para e com Ele. Mt. 20:2-7.
6. Ser elevado com Ele ao trono. Ap. 3:21. 


206. NOSSO DEVER. 
1. Orar sempre. Lc.18:1. 
2. Servir uns aos outros. Jo.13:14. 
3. Suportar uns aos outros. Rm. 15:1. 
4. Dar nossa vida pelos irmãos. 1 Jo.3:16. 
5. Amar uns aos outros. 1 Jo.4:11. 
6. Andar como o Senhor andou. 1 Jo.2:6 
7. Obedecer sempre a Deus. At.5:29. 

207. OS QUE COM LÁGRIMAS SEMEIAM. 
1. O exemplo do nosso Senhor. Lc. 19:41; Jo. 11:35; Heb. 5:7. 
2. Lágrimas de arrependimento. 2 Cr. 34:27; Lc. 7:38-44. 
3. As lágrimas dos Seus santos. Jo. 20:11; At. 20:37. 
4. Do verdadeiro servo de Deus. At.20:19,31. 
5. De um pecador caído. Lc. 22:62. 
6. Do pecador eternamente perdido. Mt. 8:12; 22:13. 
7. Do indigno. Ap. 5:2-5. 

208. NOSSO TESTEMUNHO POR CRISTO. Lc. 24:46-49. 
1. As testemunhas: 
São os que foram salvos. Seus discípulos. V.48; Jo. 3:11; At. 4:20; 
2. O testemunho: 2:32; 3:15; 10:39; 13:31. 
a) Sua morte substitutiva. V. 46. 
b) Sua ressurreição. V. 46. 
c) Arrependimento para remissão de pecados. V.47; At. 10:43. 
3. O lugar do testemunho: 
a) Em todos os lugares, a todas as nações. V. 47. 
b) O início é na própria casa. V. 47. 
4. A preparação necessária: 
a) A promessa do Pai. V. 49. 
b) O poder de cima. At. 1:8. 

209. NOMES DO SENHOR EM JOÃO 1. 
1. O Verbo. 
2. A Vida dos homens. V.4.
3. A Luz dos homens. Vv.4,9.
4. O Filho de Deus. Vv.18,34,49. 
5. O Cordeiro de Deus. Vv.29,36. 
6. Aquele que tira o pecado. V.29. 
7. Aquele que batiza com o Espírito Santo. V.33. 
8. O Messias. V.41. 
9. O Rei de Israel. V.49. 
10. O filho do homem. V.51. 

210. NOSSA POSIÇÃO COM CRISTO. 
1. Recebê-Lo, significa obter a adoção de filho. Jo.1:12. 
2. Andar com Ele significa, conhecê-Lo. Lc.24:15-33. 
3. Falar com Ele, é manter comunhão com Ele. Lc. 9:30,31. 
4. Ouvi-Lo, pressupõe aprender seus ensinamentos. Lc. 10:39. 
5. Ficar com Ele, éter alegria. Jo. 1:39. 
6. Esperar por Ele, presume receber poder. At.4:31.
7. Aguardar Sua vinda, é estar preparado. Mt.25:10. 

211. NOSSA TRANSFORMAÇÃO E SEUS RESULTADOS. 
1. Ela começa com a aceitação de Jesus Cristo. Jo. 1:12;1 Pe. 2:25.
2. Resulta em uma nova vida. Rm. 6:4; Gl. 2:20. 
3. Em um novo coração. Hb. 10:16,22. 
4. Em um novo espírito. Ef. 4:23. 
5. Em paz e liberdade. Rm. 5:1; 8:1. 
6. Em um novo serviço. Rm. 6:13,18; Cl. 3:23,24. 
7. Em um novo corpo. Fp.3:21. 


212. FILIAÇÃO DE DEUS. JO. 1:12. 
1. Alcançamo-la através do amor do Pai. l Jo.3:1. 
2. Pela misericórdia de Deus. Ef. 2:4,5. 
3. Com a remissão dos nossos pecados. Ef. 1:7. 
4. Nós estamos, portanto, debaixo dos direitos de Deus. Rm. 8:17. 
5. Tudo o que é do Pai, também passa a ser nosso. Lc. 15:31. 
A. Nós experimentamos uma mudança profunda. 
a) Nós éramos filhos da ira. Ef. 2:1-3. 
b) Agora, somos filhos de Deus. 1 Jo.3:2. 
c) Não por obras de justiça. Tt. 3:5. 
d) Através do novo nascimento. Jo. 3:3; Tt. 3:5. 
e) Pelo arrependimento e fé. At. 2:38,39; Rm. 8:14,15. 
B. Os privilégios dos filhos de Deus. 
a) São co-participantes da natureza de Deus. 2 Pe. 1:4. 
b) Têm o testemunho do Espírito. Rm. 8:14; 1 Jo. 1:5. 
c) São dirigidos pelo Espírito. Jo. 16:7-14. 
d) São homens renovados. Ef. 4:23,24. 
C. Esta filiação é comprovada: 
a) Através do amor singelo. Jo. 14:23; 1 Jo. 4:18,19. 
b) Pela obediência singela. 1 Jo.5:1-6. 
c) Com o total abandono da prática do pecado. 1 Jo.3:9; 5:18. 
d) Por meio de um verdadeiro amor aos irmãos. 1 Jo. 3:14; 4:7. 
e) Ao vencer o mundo. 1 Jo. 5:4. 
D. O privilégio da filiação é concedido através: 
a) Do Pai. 1 Jo. 3:1. 
b) Do Filho de Deus. Gl. 4:6,7. 
c) Do Espírito Santo. Rm. 8:15,16.
d) Do selo do Espírito Santo. Ef. l:13. 
e) Da palavra. 1 Pe. 1:23. 



213. JOÃO VIU O SENHOR: 
1. Em Sua glória. Jo. 1:14.
2. Como o Cordeiro de Deus. Jo. 1:29. 
3. Como o Transfigurado. Mc. 9:7,8. 
4. Pendurado no madeiro. Jo. 19:26,27. 
5. Como o ressurreto. Jo. 21:20. 
6. Ascendendo ao céu. Lc.24:50,51. 
7.Em figura de Juiz. Ap. 1:13-17. 

214. SETE TAREFAS EM JOÃO 1. 
1. Ver Jesus Cristo como o Cordeiro de Deus. V.36. 
2. Ouvir Jesus como os dois discípulos. V.37. 
3. Seguir o Senhor Jesus. V.37. 
4. Ir ao Senhor. V. 39. 
5. Ficar como Senhor. V. 39. 
6. Testificar do Senhor. V. 39. 
7. Conduzir outros a Jesus. V. 42. 

215. DIFERENTES JULGAMENTOS SOBRE O SENHOR. 
1. João Batista viu-O como o Cordeiro. Jo. 1:29. 
2. Nicodemos chamou-O de Mestre. Jo. 3:2. 
3. Perito reconheceu-O como o Cristo. Mt. 16:16. 
4. Tomé disse: “Senhor meu e Deus meu!” Jo.20:28. 
5. Paulo enalteceu-O como o Senhor da glória. 1 Co.2:8. 
6. Anjos louvaram-nO como o Salvador. Lc. 2:11. 
7. O Pai disse: “Este é meu Filho amado”. Mt.17:5. 
– O que é o Senhor aos teus olhos? 

216. O MOTIVO DA ENCARNAÇÃO DE JESUS CRISTO. 
1. Tornou-se humano, para revelar a Deus. Jo. 1:18. 
2. Tornou-se humano, para tirar os pecados. 1 Jo.3:5. 
3. Para destruir as obras do diabo. 1 Jo. 3:8. 
4. Com o propósito de ser o nosso fiel sumo sacerdote. Hb. 2:17. 
5. Para nos preparar para Sua segunda vinda. Hb. 9:28. 

217. A GRAÇA. 
1. Sua fonte: 
Está em Cristo Jesus. Jo. 1:17; 2 Tm. 2:1. 
2. Suas características: 
a) É poderosa, abundante. 2 Co. 9:8. 
b) Corre ricamente. Ef. 1:7; 1 Tm. 1:14. 
c) É suficiente. 2 Co. 12:9. 
d) É maravilhosa. Ef. 1:6. 
3. Ela está ao alcance de: 
a) Todos os pecadores. 1 Tm. 1:14,15. 
b) Todos os filhos de Deus. Ef. 3:8. 
c) Principalmente dos humildes. 1 Pe. 5:5. 
4. O que a graça efetua: 
a) Salva o homem gratuitamente. Ef. 2:5. 
b) Justifica o pecador. Rm. 3:24. 
c) Chama e capacita para a obra do Senhor. Gl. 1:15; Hb. 12:28. 
d) Ela dá-nos consolação e boa esperança. 1 Ts. 2:16. 

218. O QUE NOS ENSINAM AS BODAS EM CANÁ? JO. 2. 
1. O Senhor vai para onde é convidado. V. 2. 
2. Devemos levar nossas dificuldades diante de Deus. V.3. 
3. Ele age sempre no tempo certo. V.4. 
4. Prova e recompensa a fé. Vv.7-10; Fp. 4:19. 
5. Onde o Senhor entra, traz bênçãos. V.10. 
6. Ele concede o bom vinho por último. Vv.9,10; 1 Jo. 3:2. 
7. Manifesta a Sua glória. V. 11. 
8. Fortifica a fé dos Seus. V. 11. 


219. RICAS BÊNÇÃOS. 
1. A primeira e principal bênção é o novo nascimento, sendo ele o início de todas as outras bênçãos. Jo. 3:3. 
2. Deus é a fonte de todas as bênçãos. Ef. 1:3. 
3. O Filho é o canal por onde elas correm. Lc. 24:35. 
4. O Espírito Santo manifesta-se como a maior bênção. Gl. 3:14. 
5. A palavra assegura-nos delas. Hb. 6:14. 
6. Nós alcançamo-las pela fé. Gl. 3:9. 
7. Sua vinda é o ponto culminante. Tt. 2:13. 

220. A NOVA CRIAÇÃO. 
1. O novo nascimento é o seu começo. Jo. 3:3. 
2. No novo homem toma-se visível. Cl. 3:10. 
3. A nova vida manifesta-se através do seu fruto. Gl. 5:22,23. 
4. O novo cântico comprova sua santidade. Sl. 40:3. 
5. O novo nome é a comprovação divina. Ap. 2:17. 
6. O novo caminho nos abre o acesso a Deus. Hb. 10:19-22. 
7. A nova cidade é o alvo maravilhoso. Ap. 21:2. 

221. VOCÊ NÃO PODE: 
1. Ter salvação sem o novo nascimento. Jo.3:3. 
2. Servir a Deus e às riquezas. Lc.16:13. 
3. Dar fruto se não permanecer em Jesus. Jo. 15:4. 
4. Beber de dois cálices. 1 Co. 10:21. 
5. Ser decepcionado ou traído por seu Deus. 2 Tm. 2:13. 
6. Dizer “Senhor Jesus” a não ser pelo Espírito Santo. 1 Co. 12:3. 

222. A SALVAÇÃO É: 
1. A maior obra do amor de Deus. Jo. 3:16. 
2. A glória de Jesus Cristo. Tt. 2:11-14. 
3. Obra do Espírito. Hb.9:14. 
4. A nossa mensagem mais sublime. 1 Tm. 1:15. 
5. A fonte de poder da igreja. Ef. 1:3-14. 
6. O maior milagre de todos os tempos. 1 Pe.1:10-14.
7. O maior louvor no céu. Ap. 7:9-17. 

223. SEIS IMPOSSIBILIDADES. 
1. Aquele que não nasceu de novo, não pode ser salvo. Jo. 3:3. 
2. Homens que estão na carne não podem agradar a Deus. Rm. 8:8. 
3. Uma boa árvore não pode produzir maus frutos. Mt. 7:18. 
4. Ninguém pode servir a Deus e às riquezas. Mt. 6:24. 
5. Perdidos não podem escapar do inferno. Lc. 16:26. 
6. Salvos não podem perder-se. Jo. 10:27,28. 

224. SETE PROMESSAS DE DEUS AOS CRISTÃOS ENCONTRADAS NO EVANGELHO DE JOÃO. 
1. Não devem se perder. 3:16,17. 
2. Não devem mais ter sede. 4:14. 
3. Não entrarão em juízo. 5:24. 
4. Nunca mais terão fome. 6:35. 
5. Não estão mais nas trevas. 8:12. 
6. Não perecerão. 10:28. 
7. Nunca mais morrerão. l 1:26. 

225. AS RIQUEZAS DE DEUS, QUE É: 
1. Ilimitado no amor para o indigno. Jo. 3:16. 
2. Rico em misericórdia para cada pecador. Ef. 2:4. 
3. Sem medida em graça para o devedor. 1 Tm.1:14,15. 
4. Cheio de compaixão com o arrependido. Lc. 15:20. 
5. Perdão total para aquele que confessa. 1 Jo. 1:9. 

226. HOMENS A SÓS COM DEUS. JO. 3:1-21. 
1. Jacó, em Peniel, lutando para obter bênção. Gn. 32:24-32. 
2. Moisés, com o rebanho, chamado para o ministério. Ex. 3:1-12. 
3. Elias, sob um arbusto recebendo novo ânimo. 1 Rs. 19:4 ss. 
4. Pedro, sozinho com Jesus. Lc. 24:34; Jo.21:15-19. 
5. João recebendo a revelação de Deus na ilha de Patmos. Ap. 1:9ss. 

227. O TESTEMUNHO DOS CRISTÃOS DIANTE DO MUNDO. JO. 4:39-42. 
1. Deus utiliza pessoas para serem Suas testemunhas. At. 1:8. 
2. A boca fala do que o coração está cheio … isto vale também no bom sentido. Mt. 12:34; At. 4:20. 
3. Testemunho, é ao mesmo tempo, confissão. 1 Tm.6:12. 
4. Os frutos do testemunho: fé e entrega a Jesus. Jo. 4:39,40. 
5. Não se envergonhe do evangelho de Jesus. 2 Tm.1:8; Rm. 1:16. 
6. O caminho de sofrimento das testemunhas. Ap. 6:9. 
7. Vitória e recompensa das testemunhas. Ap. 20:4. 

228. SEGUIR A JESUSI O MELHOR “SEGURO”. 
1. Este seguro garante a vida eterna. Jo. 3:16. 
2. Guarda diante do fogo eterno. Mt. 25:34-41. 
3. Garante suprimento para nossas necessidades. Fp. 4:19. 
4. Protege diante da falta de serviço. Mc. 16:15. 
5. Concede um grande prêmio. Lc. 19:17. 
6. Todos podem obter este seguro. Jo. 3:16. 
7. O prêmio é gratuito. Rm. 6:23; Is. 55:1.
8. Faça este seguro hoje mesmo! Sl. 95:8; Hb. 3:8,15. 

229. DOIS GRANDES CONTRASTES. 
1. O incrédulo está nestas situações: 
a) Totalmente perdido, sem esperança. Jo. 3:18. 
b) Morto em seus delitos e pecados. Ef. 2:1.
c) É um filho do diabo. Jo. 8:44. 
d) Sob a ira de Deus. Jo. 3:36. 
e) A sua espera está um juízo severo. Hb. 9:27. 
f) O lago de fogo é seu castigo. Ap. 21:8. 
2. O crente está nestas situações: 
a) Salvo pela graça. Ef. 2:8,9. 
b) E um filho e herdeiro de Deus. Jo. 1:12. 
c) “Em graça” diante de Deus. Rm. 5:2. 
d) Morto para o pecado. Rm. 6:11. 
e) Espera pelo Senhor. Fp. 3:20,21. 

230. POR QUE NÓS DEVEMOS SER HUMILDES? 
1. Não temos nada de nós mesmos. Jo. 3:27. 
2. Somos totalmente indignos. Gn. 32:10,11; Rm. 7:18. 
3. Porque Deus nos conhece. 1 Sm. 2:3; Sl. 139:1-7.
4. Não somos nada sem Jesus. Jo. 15:5. 
5. Somente através da humildade, tornamo-nos santos. Mt. 18:4. 
6. O Senhor é nosso melhor exemplo. Fp. 2:3-8. 
7. Deus somente habita nos humildes. Is. 57:15. 
8. Ele ajuda os humildes e os abençoa. Mt. 5:3-5; 1 Pe. 5:6. 
9. Humildade é o caminho para uma verdadeira grandeza. Pv. 22:4. 

231. CRISTO, NOSSO ABRIGO SEGURO. 
Porque estamos nEle somos salvos: 
1. Da ira de Deus. Jo. 3:36; Rm. 5:9. 
2. Do pecado. Mt. 1:21; Lc. 7:50; At. 13,38,39. 
3. Do temor. Rm. 8:15; 2 Tm. 1:7; Lc. 12:32. 
4. De cair na tentação. 1 Co. 10:13. 
5. Das dificuldades. Sl. 27:5; 40:2. 
6. Da morte. 1 Co. 15:54-57; Fp. 1:21. 
7. Do juízo. Jo. 3:18; 5:24. 




232. O RICO DOADOR NO EVANGELHO DE JOÃO CONCEDE: 
1. Água da vida a todo o sedento. 4:14. 
2. Pão da vida a todo o faminto. 6:51. 
3. A vida eterna a quem Lhe pertence. 10:28. 
4. O melhor exemplo a todos os seguidores. 13:15. 
5. Um novo mandamento: amar uns aos outros. 13:34. 
6. Sua paz a todos corações conturbados. 14:27. 
7. A palavra do Pai a todos santos. 17:14. 
8. A eterna glória a todos os Seus filhos. 17:24. 

233. GRANDE FÉ. JO. 4:46-54. 
1. O homem tinha uma fé firme, ele foi até Jesus. V. 47. 
2. Sua fé foi provada. V. 48. 
3. Sua fé cresceu. Creu na palavra. V.50a
4. Sua fé conduziu á prática. V.50b. 
5. Havia fé frutífera: todos creram. V.53. 
6. Donde vem a fé? Do ouvir. Rm. 10:17; V.47. 

234. OS DIVERSOS TIPOS DE OUVINTES EM JOÃO 6. 
1. Pessoas iam movidas pela curiosidade. V.2. 
2. Havia os que admiravam Jesus. V.14. 
3. Também os cobiçosos e gulosos. V.26. 
4. Não faltavam aqueles que não criam na palavra. V.36 
5. Os que negavam a sua origem divina também apareciam. V.41 
6. Os blasfemadores também não podiam faltar. V.52. 
7. E os que abandonaram o Senhor também chegavam. V.66. 

235. NA CASA DE MEU PAI HÁ MUITAS MORADAS. 
1. Todos os que vêm são bem recebidos. Jo. 6:37. 
2. Na sala de recepção, todos recebem roupa nova. Lc. 15:20-22; Zc. 3:1-7. 
3. Na sala de jantar, há alimentos para todos. Is. 55:2; Lc. 15:23. 
4. Na sala de estar, existe comunhão entre todos. 1 Jo. 1:3; At. 2:42. 
5. Na sala de leitura, há instrução para todos. l Tm. 4:13 ; Ap. 1:3. 
6. Na sala de trabalho, há serviço para todos. Êx. 23:12; Hb. 6:10; Jr. 31:16. 
7. Na sala de espera, encontra-se o motivo de esperança. 1 Ts. 1:10: Mc. 15:43; Sl. 146:5. 

236. JESUS VEIO PARA: 
1. Cumprir a vontade do Pai e não a Sua. Jo. 6:38. 
2. Cumprir a lei e não revogá-la. Mt. 5:17. 
3. Servir e não ser servido. Mt. 20:28. 
4. Salvar e não julgar. Jo. 12:47. 
5. Chamar pecadores e não justos. Mt. 9:13. 
6. Salvar e não destruir. Lc. 9:54-56. 
7. Trazer espada e não paz. Mt. 10:34. 

237. TEMOR E FÉ. JO. 6. 
1. Estava escuro; o pecador está envolto pelas trevas. V.17. 
2. Havia ameaça de grande perigo: o mar encapelava-se. V.18. 
3. Uma maravilhosa descoberta: eles viram o Senhor Jesus. V.19. 
4. Uma palavra de conforto : “Sou eu”. V.20. 
5. Uma libertação completa, o Senhor subiu ao barco. V.21. 
6. Um final maravilhoso: o barco chegou ao seu destino. V.21. 

238. UM RETRATO DA NOSSA VIDA DE FÉ. MT. 14:22-33. 
1. O mar: um retrato do mundo (povos). 
2. O barco: um retrato da igreja. 
3. A travessia: uma imagem da nossa vida. 
4. A tempestade: uma fotografia das nossas experiências. 
5. O salvamento: um retrato da nossa salvação. 
6. O desembarque: uma garantia da glória vindoura. 
7. O Salvador: o Senhor vem a nós no barco. 

239. DEUS É: 
1. Espírito. Jo. 4:24. 
2. Eterno. Dt. 33:27; Sl. 93:2. 
3. Todo-Poderoso, Onipotente. Gn. 17:1; Ap. 1:8. 
4. Onisciente. Dn. 2:22. 
5. Sempre o mesmo. Nm. 23:19. 
6. Fiel. Dt. 32:4. 
7. Amor. 1 Jo. 4:8. 

240. CRISTO DEU: 
1. Sua carne. Jo. 6:51. 
2. Sua vida. Mt. 20:28. 
3. Sua paz. Jo. 14:27. 
4. Sua palavra. Jo. 17:8. 
5. Seu consolo. Jo. 14:16. 
6. Seu exemplo. Jo. 13:15. 
7. Sua glória. Jo.17:22. 

241. SETE TESTEMUNHOS SOBRE CRISTO. 
O testemunho: 
1 . Dos guardas: “Jamais alguém falou como este homem”. Jo. 7:46. 
2. Dos fariseus: “Ele recebe pecadores”. Lc. 15:2. 
3. Do malfeitor. “…mas este nenhum mal fez”. Lc. 23:41. 
4. Do centurião: “…Ele é Filho de Deus”. Mc. 15:39; Mt. 21:9. 
5. Da multidão: “…queremos Barrabás”. Jo. 18:39,40. 
6. Do Pai: “…meu Filho amado”. Mt. 3:17. 
7. Dos apóstolos: “perdão através dEle”. At.10:38. 

242. O SENHOR E MEU PASTOR. JO. 10. 
1. O amor do Bom Pastor. V.11. 
2. O chamado do Bom Pastor. V.3. 
3. O conduzir das ovelhas pelo Bom Pastor. V.3. 
4. A grande dádiva do Bom Pastor. Vv.15,28. 
5. A palavra do Bom Pastor. V.27. 
6. A insuperável força do Pastor. V.28. 
7. O cuidado e proteção do Pastor. V.12. 

243. CARACTERÍSTICAS DO BOM PASTOR. 
1. Ele é um Bom Pastor, tanto assim, que morreu por nós. Jo. 10:15. 
2. É amoroso, porque nos carrega. Is. 40:11. 
3. É sábio, pois nos conhece. Jo. 10:3,14. 
4. É forte, porque nos protege. Jo. 10:11 ss. 
5. E preocupado, portanto nos dá pastagem. Jo. 10:9. 
6. Meu Pastor pessoal, Ele está comigo. Sl. 23. 
7. Ele é o Supremo Pastor, e logo voltará. l Pe. 5 :4. 

244. A PRESENÇA DO SENHOR. 
1. O Senhor vai adiante de nós, como nosso guia. Jo. 10:4. 
2. Ele vive em nós, como a nossa força. Gl. 2:20. 
3. Acima de nós, como nosso sumo-sacerdote e intercessor. Hb. 4:14,15; 7:26; 9:24. 
4. Por baixo de nós, na figura de braços eternos. Dt. 33:27. 
5. Ao lado, como nosso acompanhante: “à minha direita”. Sl. 16:8. 
6. Ao nosso lado, como nosso libertador. Sl. 34:7. 
7. Atrás de nós, como nosso protetor. Is. 52:12. 

245. A NOSSA NATUREZA É COMO LÁZARO. JO. 11. 
1. Ele estava morto, nós também, em nossos pecados. Jo. 11:11; Ef. 2:1. 
2. Deteriorado, podre, cheirando mal. Jo. 11:39; Is. 1:5,6.
3. Ressuscitado por Jesus. Jo. 11:44; Ef.2:5. 
4. Libertos dos laços da morte. Jo. 11:44; Lc. 4:18. 
5. Agora, em comunhão com Jesus Cristo. Jo.12:2.
6. Testemunhas da nova vida. Jo.12:11. 

246. O QUE O AMOR É CAPAZ DE FAZER. 
1. Dar o que tem de maior valor. Jo. 12:3. 
2. Servir com todo empenho. Lc. 10:33-37. 
3. Arriscar a vida. 1 Cr. 11:17-19. 
4. Dar toda honra ao amado. 1 Sm.18:1-4. 
5. Trazer sacrifícios incríveis. 2 Sm. 21:10. (Vide contexto). 
6. Amar, onde não há nada para esperar em troca. 2 Co. 12:15. 
7. Compadecer-se como os pais de seus filhos. Sl. 103:13. 

247. JESUS É O CAMINHO. JO. 14:6. 
1. E o único caminho para a casa do Pai. Jo. 14:6. 
2. O novo e vivo caminho para o crente. Hb. 10:19,20. 
3. O caminho através de profundos sofrimentos. Hb. 10:19,20; Jo. 13:36. 
4. O livre acesso ao Pai. Ef. 2:18. 
5. Para a salvação. Jo. 10:9.
6. Para o Santo dos Santos. Hb. 9:8,12. 

248. AS PROMESSAS MARAVILHOSAS DO SENHOR. JO. 14. 
1. Foi para nos preparar lugar. V.2. 
2. Garantiu que nos levará até lá. V.3. 
3. Deu garantia de ouvir nossas orações. V.14. 
4. Nunca nos deixará sozinhos. V.18. 
5. Prometeu-nos vida eterna. V.19. 
6. Assegura-nos Seu amor. V.21. 

249. O PAI EM JOÃO 14. 
1. Sua casa. V.2. 
2. Suas obras. V.10. 
3. Sua glorificação. V.13. 
4. Sua dádiva. Vv.16,26. 
5. Seu amor. V.21. 
6. Sua presença. V.23. 
7. Sua palavra. V.24. 
8. Sua grandeza. V.28. 

250. O AMOR DE DEUS É: 
1. Inefável, indizível. Jo. 15:9; 2 Co. 9:15. 
2. Imutável, inalterável. Jo. 13:1. 
3. Universal. Jo. 13:6. 
4. Eterno. Jr. 31:3. 
5. Inseparável. Rm. 8:35. 
6. Irresistível, constrangedor. 2 Co. 5:14. 
7. Desinteressado, altruísta. Rm. 8:32. 
8. Onipotente. At. 26:8. 

251. SEM JESUS NÓS: 
1. Estamos em perigo, como ovelhas perdidas. Lc. 15:4-6. 
2. Andamos segundo as inclinações da nossa carne. Ef. 2:3. 
3. Estamos entregues à morte, como urna criança abandonada. Ez. 16:5-8. 
4. Somos impuros, como um leproso. 2 Rs. 5:27. 
5. Somos inúteis, como uma árvore apodrecida. Mt. 7:18. 
6. Somos incapazes de saldar nossas dividas. Mt.18:23-27. 
7. Estamos sem esperança, como as virgens néscias. Mt. 25:12. 

252. MUITAS ALEGRIAS. 
1. Temos alegria constante, enquanto estivermos em Cristo. Jo. 15:11. 
2. Temos alegria completa, por nossas orações. Jo. 16:24. 
3. Recebemos alegria inefável pela súplica de Jesus. Jo. 17:13. 
4. Possuímos alegria indizível através da fé. 1 Pe. 1:8. 
5. Somos portadores de alegria completa na comunhão. 1Jo. 1:4. 


253. PRIVILÉGIOS MÚTUOS DOS CRISTÃOS. 
1. Podemos amar-nos uns aos outros. Jo. 15:12. 
2. Servimos uns aos outros. 1 Pe. 4:10. 
3. Devemos exortar-nos mutuamente. Hb. 3:13. 
4. Devemos consolar-nos, animar, estimular uns aos outros. 1 Ts. 4:18. 
5. Devemos edificar-nos uns aos outros. 1 Ts. 5:11. 
6. Temos de orar uns pelos outros. Tg. 5:16. 
7. Devemos considerar-nos uns aos outros. Hb.10:24. 

254. DAR FRUTOS. JO. 15. 
1. A vida do cristão. 
Ele deve produzir frutos e neles crescer: 
a) frutos; V.2; 
b) mais frutos; V.2; 
c) muito frutos; V.8; 
d) e finalmente frutos que permanecem; V.16. 
2. Isto se torna possível: 
a) Se permanecermos nEle. V.5. 
b) Através da purificação. V.2; Hb. 12:11. 
c) Pela constante comunhão com a videira – Cristo. Vv.4,5. 
3. Produzir muito fruto significa que: 
a) Somos discípulos verdadeiros. V.8. 
b) Glorificamos e honramos o Pai. V.8; Mt. 5:16. 
c) Esta é a condição para nossas orações serem ouvidas. V.16. 
4. O efeito maravilhoso. 
a) Amor, alegria, paz, longanimidade, e muito mais. Gl. 5:22; Ef. 5:9. 
b) Santificação, vida eterna. Rm. 6:22; Fp. 1:11. 
c) Contribuição alegre e agradecida. Fp. 4:17,18; 2 Co. 9:7 
5. A recompensa. 
a) Grande alegria aqui na terra. V. 11. 
b) Um grande galardão. Jo. 4:35,36. 

255. NÓS ESTAMOS SEPARADOS, LIVRES: 
1. Deste mundo mau. Jo. 15:19; Gl. 1:4; 6:14. 
2. Das trevas. 1 Pe.2:9; Ef. 5:8; 2 Co. 6:14. 
3. Dos falsos mestres. 2 Tm. 3:1-5; 2 Co. 6:17,18. 
4. De falsos ensinamentos e ensinadores. 2 Tm. 1:3,4; 4:7; 6:5. 
5. Da lei de Moisés. AL 15:1-29; Gl. 3:2; 2 Tm. 4:3. 

256. UMA RICA PALAVRA DE CONSOLO. JO. 16:22. 
1. A realidade sombria: “Vós tendes tristeza”. 
2. A promessa: “Outra vez vos verei”. 
3. A conseqüência disso: “Vosso coração se alegrará”. 
4. A duração: “A vossa alegria ninguém poderá tirar”. 

257. DEVEMOS REALMENTE SER ALEGRES, POR QUÊ? 
1. Porque temos um Pai que nos ama como seus filhos amados. Jo. 16:27; Lc. 22:22-31; Ef. 1:3. 
2. Jesus o nosso sumo sacerdote intercede por nós. Hb. 2:17,18; 4:14-16; 8:1,6. 
3. Ele é o nosso Pastor. Sl. 23. 
4. Ele é o nosso advogado. l Jo. 1:9, 10; 2:1. 
5. Ele é o nosso conselheiro. Jr. 11:6. 
6. Nós temos livre acesso ao Pai. Hb. 10:19. 
7. Os anjos servem-nos. Hb. 1:14. 
8. Temos o Consolador, o Espírito Santo. Jo. 16:13 ss. 
9. Temos a viva esperança. Tt. 2:13; 1 Jo. 3:2. 

258. O QUE CRISTO DA PARA OS QUE SÃO SEUS. JO. 17. 
1. Sua vida. V.2. 
2. Sua palavra. V.8. 
3. Todas as coisas. V.10. 
4. Sua alegria. V.13. 
5. Sua glória. V.22. 
6. Dá-lhes também a Sua moradia. V.24. 
7. Ele próprio lhes pertence. V.26. 

259. O CRISTÃO E O MUNDO. JO. 17. 
1. O Senhor tomou e separou os Seus do mundo. V.6. 
2. Eles ainda estão no mundo, mas não são do mundo. Vv.11,14. 
3. São desprezados e odiados pelo mundo. V.14. 
4. O Senhor guarda os Seus do mal do mundo. V.15. 
5. Não pertencem mais ao mundo. V.16. 
6. São enviados para testemunhar ao mundo. V.18.  
7. O mundo crê em Cristo, através dos que são dEle. Vv.20-23. 

260. OS FILHOS DE DEUS SÃO: 
1. Uma dádiva do Pai ao Filho. Jo. 17:2. 
2. Salvos da ira vindoura através de Jesus. Rm. 5:9. 
3. Seguros e protegidos nos braços de Jesus. Rm. 8:38,39. 
4. Ocultos juntamente com Cristo em Deus. Cl. 3:3. 
5. Guardados pelo poder de Deus. 1 Pe. 1:5. 
6. Constituídos num só corpo com Cristo. 1 Co. 12:12,13. 
7. Em tudo ricamente suprido por Ele. Fp. 4:19. 

261. NÓS SOMOS DO SENHOR ATRAVÉS: 
1. Da aceitação na família de Deus. Jo. 1:12,13. 
2. Do novo nascimento. 1 Pe. 1:3. 
3. Do sangue de Jesus que nos comprou. 1 Co. 6:20. 
4. Da redenção, da libertação. Ef. 1:7. 
5. Da unidade com o corpo. 1 Co. 12:13. 
6. Do selo do Espírito Santo. Ef. 4:30; 1:13. 
7. Do nosso sacrifício, da nossa entrega total. Rm. 12:1. 



262. UNIDADE MARAVILHOSA. JO. 17:11-22. 
1. Nós somos um, em nosso relacionamento com Deus. Mt. 6:9; 23:9. 
2. Um, em Cristo. Gl. 3:28; Rm. 12:5; 1 Co. 10:17. 
3. Um, em nosso relacionamento com o Espírito Santo. Ef. 2:18; At. 2:4. 
4. Um, no serviço para o Senhor. Mt. 23:8; 1 Co. 3:8,9. 
5. Um, no alvo comum. Fp.1:27; 2:1,2. 
6. Um, nos sentimentos uns com os outros. 1 Pe. 3:8; Gl. 6:2. 
7. Um, no amor. Jo. 13:34,35; Gl. 5:13,14; 1 Jo. 3:11,23. 

263. “ESTÁ CONSUMADO!” JO. 19:30. 
1. O sacrifício pelo pecado estava consumado. Hb. 10:5-10. 
2. Seus sofrimentos indizíveis haviam terminado. Hb. 12:2. 
3. O príncipe deste mundo foi derrotado. Jo. 12:31; Hb. 2:14. 
4. As obras do Pai estavam consumadas. Jo. 5:36; 17:4. 
5. O juízo de Deus havia passado. Cl. 2:14,15. 
6. As profecias estavam cumpridas. 1 Pe. 1:10-12; Lc. 18:31. 
7. Sua obra de salvação estava consumada. 2 Co. 5:21. 
8. O caminho para o céu está aberto. Mt. 27:51; Hb. 10:22. 

264. UNIÃO OPERADA POR DEUS. Nós somos: 
1. Irmãos de uma família e temos um Pai. Jo. 20:17. 
2. Discípulos de uma escola e temos um Mestre. Jo. 13:13-35. 
3. Ovelhas de um rebanho e temos um Pastor. Jo.10:16. 
4. Membros de um corpo e temos um Cabeça. Ef. 4:15; 1 Co. 12ss. 
5. Pedras de um templo e temos uma pedra angular. 1 Pe.2:5. 
6. Ramos que produzem frutos em uma videira. Jo. 15:1-16. 

265. A PROMESSA DO PAI. AT. 1:4. 
O Senhor Jesus é a dádiva de Deus ao mundo e o Espírito Santo é a dádiva do Pai para seus filhos como auxilio e poder. 
1. O que recebemos através da promessa do Pai? 
a) Um intercessor. Rm. 8:26,27. 
b) Um consolador. Jo. 14:16; 16:7. 
c) Um testemunho do Senhor. Jo.15:26. 
2. Como experimentamos esta promessa? 
a) Através da fé. At. 1:13,14; Gl.3:14; Hb. 6:12. 
b) Pela espera por ela. Lc. 24:49. 
c) Por meio da oração perseverante. Lc. 11:13. 
d) Com a aceitação sincera desta promessa. Jo. 7:37-39. 
3. A conseqüência do recebimento do Espírito Santo. 
a) Temos poder para viver conforme a vontade de Deus. Fp. 2:13. 
b) Poder para andar nos caminhos de Deus. Ez. 36:27. 
c) Força para sofrer pelo nome de Jesus. At. 7:58,59. 
d) Poder para testemunhar ao mundo com intrepidez. At. 1:8; 4:33. 

266. CONDIÇÕES DIVINAS PARA OBTER BÊNÇÃOS. 
1. Para experimentar o poder de Deus, precisamos orar. At. 1:8,14. 
2. Para gozar a Sua alegria, devemos permanecer em Jesus. Jo. 15. 
3. Possuir a paz significa entregar as preocupações a Ele. Fp. 4:6,7. 
4. Para crescer no conhecimento, é necessário obedecê-lO. Jo. 7:17. 
5. Sua vontade, descobrimos na comunhão com Ele. Sl. 103:7. 
6. Para ver a Sua glória, precisamos confiar nEle. Jo. 2:5,11. 
7. Para permanecer nEle, temos de permanecer no amor. 1 Jo. 4:16. 

267. O QUE A PALAVRA DE DEUS CONSEGUE FAZER. 
1. Pode traspassar corações endurecidos. At. 2:37. 
2. E capaz de dividir alma e espírito. Hb. 4:12. 
3. Efetua o novo nascimento. 1 Pe. 1:23. 
4. Gera fé viva. Rm. 10:17. 
5. Purifica e guarda o coração. Sl. 119:9-11. 
6. Guarda dos falsos ensinamentos. At. 20:29-32. 
7. Enche o coração com alegria. Jr. 15:16. 
8. Promete a paz ao povo de Deus. Sl. 85:8. 

268. O QUE OS CRENTES TÊM NO CÉU. 
1. Um Salvador. At. 5:31; Fp. 3 :20; Cl. 3:1. 
2. Um Senhor. Ef. 6:9. 
3. Os nossos nomes estão arrolados nos céus. Lc. 10:20. 
4. A nossa pátria está lá. Fp. 3:20.  
5. A nossa esperança. Cl. 1:5.
6. Nossa herança está nos céus. 1 Pe. 1:4. 
7. O nosso galardão recebemos lá. Lc. 6:23. 

269. UMA ORDEM ANGELICAL AOS APÓSTOLOS. AT. 5:19,20. 
A ordem é: 
1. Ide – sua missão. 
2. Apresentai-vos – sua coragem. 
3. Dizei – sua tarefa. 
4. No templo – no lugar determinado por Deus. 
5. Ao povo – aos ouvintes determinados. 
6. Todas as palavras desta vida – o texto da mensagem. 

270. ESTÊVÃO, UM SERVO EXEMPLAR, EM: 
1. Fé. At. 6:5. 
2. Poder. At. 6: 8. 
3. Sabedoria. At.6:10. 
4. Aparência. At. 6:15. 
5. Plenitude. At. 6:5. 
6. Amor e perdão. At. 7:60. 
7. Esperança. At. 7: 59. 

271. NÓS PERMANECEMOS: 
1. Na graça. At. 13:43. 
2. Na fé. At. 14:22. 
3. No amor fraternal. Hb. 13:1. 
4. Na oração. Cl. 4:2. 
5. No louvor. Lc. 24:53. 
6. Na obra do Senhor. 1 Co. 15:58. 
7. Na prática do bem. Hb.13:16. 

272. UM FINAL FELIZ. AT. 7:55-60. 
1. A última aparição. V.55. 
2. O último testemunho. V.56. 
3. A última impressão a Saulo. V.58. 
4. O último refúgio (os céus abertos). V.56.
5. O último ato (ele ajoelhou-se). V.60. 
6. A última oração (intercessão). V.60. 
7. A última caminhada (a Jesus). Vv.59,60. 

273. O CORAÇÃO DO FILHO DE DEUS. 
1. Aberto, para receber a palavra de Deus. At. 16:14. 
2. Quebrantado, devido ao pecado. Sl. 51:17. 
3. Fiel no serviço. Ef. 6:5,6. 
4. Puro no amor fraternal não fingido. 1 Pe.1:22. 
5. Sincero, para se aproximar de Deus. Hb.10:22. 
6. Decidido, para permanecer no Senhor. At. 11:23. 

274. MEIA-NOITE. 
1. Oração à meia-noite. At. 16:25. 
2. Louvor à meia-noite. Sl. 119:62. 
3. Pregação à meia-noite. At. 20:7. 
4. Vigília à meia-noite. Mc. 13:35. 
5. Praga à meia-noite. Êx. 12:29ss. 
6. Chegada à meia-noite. Mt. 25:6. 

275. PREGAMOS A PALAVRA: 
1. Da Sua graça. At. 20:20,21. 
2. Da salvação. At. 13:26. 
3. Da fé. Rm. 10:17. 
4. Da reconciliação. 2 Co. 5:19. 
5. Da vida. Jo. 6:68; Fp. 2:16. 
6. Do poder. Hb. 1:3. 

276. COMO DEVEMOS PREGAR: 
1. Apresentando fielmente todos os desígnios de Deus. At. 20:27. 
2. Não a si mesmo. 2 Co. 4:5. 
3. Obedecendo e com grande alegria. At. 4:20. 
4. Em cada oportunidade. 2 Tm. 4:2. 
5. Através do próprio bom exemplo. 1 Pe. 5:3. 
6. A partir de sua experiência. 1 Jo. 1:1-3. 
7. Anunciando a palavra sabiamente e ganhando almas. Pv. 11:30. 

277. COMO PAULO ANUNCIOU O EVANGELHO. AT. 26:18. 
1. Abriu os olhos dos ouvintes. 
2. Mostrou-lhes a libertação dos laços de Satanás. 
3. Ofereceu-lhes o perdão dos pecados. 
4. Indicou-os para a salvação pela fé. 
5. Para a santificação pela fé. 
6. E para a herança celestial. 

278. O QUE O EVANGELHO OFERECE. 
1. Remissão do pecado e da culpa. At. 26:18. 
2. Paz ao que não têm paz. Ef. 2:17. 
3. Força ao incapacitado. Rm. 5:6; 2 Co. 12:9. 
4. Pureza para o impuro. At. 15:9. 
5. Abundância ao necessitado. Lc. 14:16,17. 
6. Alegria ao pecador arrependido. Lc. 15:22-24. 
7. A glória eterna aos Seus filhos. Jo. 17:24. 


279. A JUSTIÇA DE DEUS REVELADA. RM. 1. 
1. O evangelho de Deus. V.1. 
2. O Filho de Deus. V.4. 
3. Amados filhos de Deus. V.7. 
4. A vontade de Deus. V.10. 
5. O poder de Deus. V.16. 
6. A justiça de Deus. V.17. 
7. A ira de Deus. V.18. 
8. O conhecimento e a revelação de Deus. V.19. 
9. A glória de Deus. V.23. 
10. A verdade de Deus. V.25. 
11. Os desprezadores e odiadores de Deus. Vv.28-31. 
12. O juízo de Deus. V32. 

280. PRONTIDÃO VERDADEIRA PARA: 
1. Anunciar o evangelho. Rm. 1:15. 
2. As boas obras. Tt. 3:1. 
3. O testemunho responsável. 1 Pe. 3:15.
4. Sofrer por Cristo. At. 21:13. 
5. Morrer por Cristo. At. 21:13. 
6. O regresso do Senhor. Lc. 12:36. 
7. A eternidade. Mt.25:10. 

281. O QUE É ETERNO: 
1. Deus. Rm. 1:23; 1 Tm. 1:17. 
2. O sangue precioso e incorruptível. 1 Pe. 1:18,19. 
3. A palavra. 1 Pe. 1:23. 
4. A herança inalterável. 1 Pe. 1:3,4. 
5. O tesouro incorruptível. Mt. 6:19-21; 19:21. 



282. DEUS É RICO EM: 
1. Bondade. Rm. 2:4. 
2. Longanimidade. Rm. 2:4. 
3. Glória. Rm. 9:23. 
4. Graça. Ef. 1:7. 
5. Misericórdia. Ef. 2:4. 
6. Herança. Ef. 1:18. 
7. Cristo. Ef. 3:8. 

283. A LEI NA CARTA AOS ROMANOS. 
1. Ela cala a boca de todos. 3:19. 
2. Ninguém será justificado pelas obras da lei. 3:20. 
3. Conduz ao reconhecimento do pecado. 3:20. 
4. A lei suscita a ira. 4:15. 
5. Torna o pecado poderoso (abundante). 5:20. 
6. Condena o pecador à morte. 7:11. 
E no livro de Gálatas, a lei: 
1. Não concede vida. 3:21. 
2. Não dá liberdade. 4:3; 5:1; 3:13. 
3. Não concede justiça de Deus. 2:16; 3:11. 
4. Não conduz a nenhuma herança. 3:18. 
5. Serve-nos de aio para conduzir a Cristo. 3:24. 

284. PECADO E GRAÇA. RM. 3:23-25. 
1. Somos incapazes de atingir o alvo. 
a) Uma declaração humilhante: todos pecaram. 
b) Uma regra sem exceção: não há ninguém que faça o bem. Sl. 14:3; Rm. 3:12. 
c) Um fracasso total: carecem da glória de Deus. 
2. Pela graça de Deus alcançamos o alvo. 
a) Não temos nada a oferecer: somos justificados sem merecer. 
b) Uma oferta rica: somente pela graça. 
c) O simples caminho a esta graça: através da fé. 
d) O grande resultado: perdão, justificação e salvação. 

285. A PALAVRA PRODUZ: 
1. Convicção. Rm. 3:20; Jr. 23:29. 
2. Alegria. Sl. 19:8. 
3. Fé. Rm. 10:17. 
4. Vida eterna. 1 Jo. 5:13. 
5. Purificação. Ef. 5:26. 
6. Edificação e crescimento. At. 20:32. 
7. Vitória na tentação. Mt. 4:1-11. 

286. EM CRISTO NÓS SOMOS: 
1. Justificados. Rm. 3:24. 
2. Santificados. 1 Co. 1:2. 
3. Confirmados. 2 Co. 1:21. 
4. Libertos. Gl. 5:1. 
5. Aceitos. Ef. 1:5. 
6. Guardados. Fp. 4:7. 
7. Aperfeiçoados. Cl. 2:10. 

287. FRUTOS DA JUSTIFICAÇÃO. RM. 5:1-11. 
1. Paz com Deus. V.1. 
2. Acesso a Deus. V.2. 
3. A esperança da glória. V.2. 
4. Paciência no sofrimento. V.3. 
5. Justificados fazem experiências maravilhosas. V.4. 
6. Justificados não se confundem. V.5. 
7. Justificados gloriam-se do seu Deus. V. 11. 



288. ACESSO A DEUS. RM. 5:2. 
Ter acesso significa: ter entrada, poder aproximar-se, ser aceito e ser ouvido; ter liberdade para vir, após ser removido cada obstáculo. 
1. Por qual caminho Israel podia aproximar-se? 
O sacrifício exigido tinha que ser trazido pelo sumo sacerdote e assim a entrada estaria livre. Lv. 16:14-16; Êx. 29:36; Hb. 9:6-8. 
2. Como a entrada é possível nos dias de hoje? 
a) Através do sacrifício de Cristo. Hb. 9:14. 
b) Por Jesus, o único caminho. Jo. 14:6. 
c) Através dEle, a única porta. Jo. 10:9. 
d) Por meio de Seu eterno propósito. Ef. 2:13; 3:11,12. 
3. Todos são convidados para entrar. 
a) Todos são bem vindos. Mt. 11:28. 
b) Eles devem chegar confiadamente. Hb. 4:16. 
4. As promessas aos que se aproximam. 
a) Ele não lança ninguém fora. Jo. 6:37. 
b) Nunca nos abandonará. Hb.13:5,6. 
c) Concede paz e descanso. Mt. 11:28-30; Jo. 14:27. 

289. CRISTO NOSSO SUBSTITUTO. 
1. Ele foi predestinado por Deus. Rm. 5:8; 2 Co. 5:21; Gn. 3:15.
2. O Seu sacrifício é agradável diante de Deus. Ef. 5:2. 
3. Ele satisfaz plenamente as exigências de Deus. Gl. 3:13. 
4. Eleva-nos a uma posição privilegiada. 1 Ts. 5:9,10. 
5. Ele nos propicia ricas bênçãos. Rm. 8:32. 
6. Porém, também coloca sobre o crente urna responsabilidade. Tt. 2:14; 1 Jo. 3:16; 1 Pe. 2:20,21; 4:1,2. 
7. Conduzir-nos-á ao destino eterno. l Jo. 3:2. 



290. O SENHOR E SEU POVO. 
1. Ele morreu. E nós com Ele. Rm. 6:10,11. 
2. Ressuscitou. E nós com Ele. Rm. 4:25; Cl. 2:12. 
3. Está assentado nos lugares celestiais. E nós com Ele. Ef. 1:20; 2:6. 
4. É perfeito. E nós também através dEle. Hb. 5:9; 10:14. 
5. É amado pelo Pai. Assim nós também. Jo. 5:20; 17:23. 
6. Aguarda por Sua vitória completa. E nós O aguardamos como o vitorioso. Hb. 10:13; Fp. 3:20,21. 
7. Reinará. E nós juntamente com Ele. l Co. 15:25; Ap. 22:5. 

291. A ESSÊNCIA DA LEI. 
1. Foi dada para o conhecimento da natureza do pecado. Rm. 7:12,13. 
2. Para revelar a todos seus próprios pecados. Rm. 3:19,20. 
3. A lei não aperfeiçoa cousa alguma. Hb. 7:19. 
4. Não provém da fé. Gl. 3:11,12. 
5. Maldito é todo aquele que não permanece nela. Gl. 3:10. 
6. Não consegue salvar o homem. Rm. 8:3,4. 
7. O crente não está debaixo da lei. Rm. 6:14,15. 

292. OS FILHOS DE DEUS: 
1. Não conhecem mais nenhuma condenação. Rm. 8:1. 
2. Nenhuma acusação. Rm. 8:33. 
3. Nenhuma separação. Rm. 8:35-39.
4. Nenhuma intimidação. Rm. 8:37. 

293. A NÓS É PROMETIDA A VITÓRIA SOBRE: 
1. O pecado. Rm. 8:2. 
2. Satanás. 1 Jo. 2:14. 
3. O mundo. 1 Jo. 5:4. 
4. A morte. 1 Co. 15:55-57. 
5. As dificuldades e os inimigos. Rm. 8:31-39. 
O meio para a nossa vitória é a nossa fé. 1 Jo. 5:4. 

294. OUTRORA E AGORA. 
Outrora: 
1. Inclinados para a carne. Rm. 8:4-7. 
2. Cegos. 2 Co. 4:4. 
3. Olhos maus. Mt. 6:23. 
4. Ouvidos surdos. Mt. 13:13; At. 7:51. 
5. Cheios de maldição. Rm. 3:14. 
6. De dura cerviz. At. 7:51. 
7. Com coração corrupto. Jr. 17:9. 
8. Em caminhos maus. Pv. 1:16. 
9. Sem Deus. Pv. 4:19. 
Agora: 
1. Temos o mesmo sentimento como Jesus. Fp. 2:5. 
2. Vemos. Lc. 24:31. 
3. Olhos iluminados. Ef. 1:18. 
4. Ouvidos abertos. Is. 50:4. 
5. Cheios de louvor. Sl. 51:15; 34:1. 
6. Prontos para arriscar sua própria vida. Rm. 16:4. 
7. Com coração limpo. Mt. 5:8. 
8. Em caminhos de paz. Is. 52:7. 
9. Agradáveis a Deus. Pv. 11:20. 

295. GRANDES PRIVILÉGIOS DOS CRENTES. 
Nós temos através de Cristo: 
1. A dignidade de sermos filhos de Deus. Rm. 8:14. 
2. A riqueza de Sua herança. Rm. 8:17. 
3. A bênção de Sua amizade. Jo. 15:14. 
4. O poder do reino de Deus. Ap. 1:6. 
5. O privilégio do sacerdócio. Ap. 1:6. 
6. A preciosidade da comunhão. 1 Jo. 1:3. 
7. A posse de todas as bênçãos. 1 Co. 3:21-23. 

296. O QUE NÓS SOMOS. 
1. Filhos de Deus. Rm. 8:14. 
2. Santos. Rm. 1:7. 
3. Reis. Ap. 1:6. 
4. Sacerdotes. 1 Pe.2:9. 
5. Cartas. 2 Co. 3:2. 
6. Cooperadores. 1 Co. 3:9. 
7. Ramos. Jo. 15:5. 

297. O QUE NÓS NÃO TEMOS: 
1. Condenação. Rm. 8:1. 
2. Escravidão. Rm. 8:2. 
3. Divida com o pecado. Rm. 8:12. 
4. Medo. Rm. 8:15. 
5. Corrupção. Rm. 8:21. 
6. Acusação. Rm. 8:33. 
7. Separação. Rm. 8:35. 

298. NÓS SOMOS DESTEMIDOS, POR QUÊ? RM. 8:31-35. 
1. Deus é por nós. 
2. Ninguém pode nos acusar. 
3. Ninguém pode nos condenar. 
4. Cristo morreu por nós. 
5. Ele ressuscitou para nossa justificação. 
6. Ele intercede por nós à direita de Deus. 
7. Nada pode nos separar do amor de Deus. 

299. ALGUNS SACRIFÍCIOS DO CRISTÃO. 
1. Do seu corpo. Rm. 12:1. 
2. Por causa do evangelho. Rm. 15:16. 
3. Pelo serviço. Fp. 2:17. 
4. Do louvor. Hb. 13:15. 
5. Espirituais. 1 Pe. 2:5. 
6. Materiais. Hb. 13:16; Fp. 4:18. 

300. UM TERMÔMETRO ESPIRITUAL. RM. 12:11-14. 
1. Fervorosos de espírito. V.11. 
2. Zelosos na obra. V.11. 
3. Alegres na esperança. V.12. 
4. Pacientes na tribulação. V.12. 
5. Perseverantes na oração. V.12. 
6. Participantes nas necessidades. V.13.
7. Praticantes da hospitalidade. V.13. 
8. Abençoando os inimigos. V.14. 

301. NÓS DEVEMOS MUTUAMENTE. 
1. Suportar-nos. Rm. 15:1. 
2. Agradar-nos. Rm. 15:2. 
3. Acolher-nos. Rm. 15:7. 
4. Admoestar-nos. Rm. 15:14. 
5. Ajudar-nos. Rm. 15:27. 
6. Lutar juntamente na oração. Rm. 15:30. 
7. Exortar-nos. Hb. 3:13. 
8. Considerar-nos. Hb. 10:24; Fp. 2:3. 

302. O CRENTE GLORIA-SE. 
1. Quem se gloria, glorie-se no Senhor. 1 Co. 1:31. 
2. Pela cruz. Gl. 6:14. 
3. Das nossas fraquezas. 2 Co. 12:9. 
4. Nas tribulações. Rm. 5:3. 
5. Na esperança. Rm. 5:2. 
6. No Seu louvor. 1 Cr. 16:35. 
7. Em Deus. Rm. 5:11. 

303. O SACRIFÍCIO DE CRISTO. 
1. Ele é nosso Cordeiro pascal. 1 Co. 5:7; Êx.12:3-13. 
2. E nosso sacrifício pelo pecado. Hb.13:11,12; Êx. 29:14. 
3. É o Cordeiro de Deus. Jo. 1:29. 
4. E a nossa purificação pelo Seu sangue. Hb. 9:13,14; Nm. 19:4. 
5. É nosso sacrifício pacífico. Ef. 2:13,14; Lv.3. 
6. É o sacrifício voluntário. Jo. 10:17,18; Lv. 22:21. 

304. O QUE DEUS CONSEGUE FAZER. 
1. Purificar pessoas impuras. l Co. 6:11. 
2. Transformar pecadores em santos. Lc. 7:37-50. 
3. Fazer de um perseguidor uma testemunha. 1 Tm. 1:12,13. 
4. Tornar filhos pródigos em filhos salvos. Lc. 15:17-22. 
5. Converter idólatras em servos de Deus. 1 Ts. 1:9. 
6. Transformar um deserto em um jardim de Deus. Is. 35:1. 

305. FOSTES COMPRADOS POR ALTO PREÇO. I CO. 6:20. 
1. Por quem nós fomos comprados? 
Pelo Filho de Deus. 1 Pe.1:18,19. 
2. De que fomos comprados? 
a) Da culpa do pecado. 1 Pe. 2:24. 
b) Do poder do pecado. Rm. 6:22. 
c) Da ira vindoura de Deus. 1 Ts. 1:10. 
d) Do fútil procedimento. 1 Pe. 1:18. 
3. Para que fomos comprados? 
a) Para sermos santuário do Deus vivo. 1 Co. 6:19. 
b) Para entrega dos nossos corpos. Rm. 12:1. 
c) Para adoração em espírito. Jo. 4:23,24. 
d) Para liberdade da escravidão. 1 Co. 7:22,23. 


306. A VOCAÇÂO DO CRISTÃO. 1 CO. 1:26. 
1. Vocação significa abraçar uma profissão. Ef. 4:1; Lc. 14:23. 
2. Nossa vocação é chamada santa. 2 Tm. 1:9. 
3. Ela é uma vocação celestial. Hb. 3:1. 
4. É uma vocação soberana. Fp. 3:14. 
5. Esta vocação é altamente digna. 2 Ts. 1:11. 
6. Promove comunhão entre os cristãos. 1 Co. 1:26; At. 2:42,44. 
7. Insuperável em relação ao alvo. Ef. 1:18. 
8. E insuperável em relação ao galardão. Fp. 3:14. 

307. NOSSA REDENÇÃO. 
1. Deus é seu autor. l Co. 1:30. 
2. O Sangue de Cristo é o preço da redenção. Ef. 1:7. 
3. Jesus é a garantia da redenção. Rm. 3:24; Cl. 1:14. 
4. Libertação é o alvo da redenção. Êx. 6:6. 
5. A segunda vinda de Cristo é a sua conclusão. Lc. 21:28. 
6. O Espírito Santo é o penhor. Ef. 1:14; 4:30. 

308. OS DESPENSEIROS DE DEUS. I CO. 4:1. 
1. Todos os crentes são despenseiros. 1 Pe. 4:10. 
2. Muita coisa lhes é confiada. 2 Pe. 1:3-8. 
3. Até mesmo o tempo não nos pertence. Ef. 5:15,16. 
4. Alguns são responsáveis por dons específicos. 1 Co. 12. 
5. No final, haverá prestação de contas. Lc. 12:48. 
6. A fidelidade será recompensada. Mt. 25:20-23. 

309. O QUE NÓS SOMOS: 1 CO. 6. 
1. Lavados. V.11. 
2. Justificados. V.11. 
3. Santificados. V.11. 
4. Membros de Cristo. V.15. 
5. Propriedade de Cristo. V.19. 
6. Santuário do Espírito Santo. V.19. 
7. Comprados por alto preço. V.20. 

310. O QUE NÓS SEREMOS: 
1. Transformados. l Co. 15:52. 
2. Ressuscitados. l Co. 15:52. 
3. Sem defeito. Ef. 5:27. 
 4. Manifestados. Cl. 3:4. 
5. Co-governantes. 2 Tm. 2:12. 
6. Semelhantes a Ele. 1 Jo. 3:2. 

311. SEU GALARDÃO SERÁ MUITO GRANDE. 
Os filhos fiéis de Deus receberão coroas: 
1. Incorruptível. l Co. 9:24-27. 
2. Da vida (a coroa dos mártires). Tg. 1:12. 
3. Da justiça para os cristãos esperançosos. 2 Tm. 4:8. 
4. De glória para os ganhadores de almas. 1 Ts. 2:19. 
5. De glória para os pastores fiéis. 1 Pe. 5:4 
6. De ouro para os anciãos fiéis. Ap. 4:4. 

312. SETE RETRATOS DA IGREJA, COMO: 
1. A unidade de um corpo. l Co. 12:13; Ef. 1:23. 
2. Uma casa para morar. 1 Pe. 2:5. 
3. Candeeiro para iluminar. Ap. 2:1. 
4. Uma família em comunhão. Ef. 3:15; 2:19. 
5. Um rebanho bem cuidado. 1 Pe. 5:2.
6. Coluna e baluarte da verdade. 1 Tm. 3:15. 
7. A beleza de uma pérola. Mt. 13 :46. 




313. OLHE PARA JESUS EM TODAS AS CIRCUNSTÂNCIAS. 
Se Você: 1. For tentado, leia então: 1 Co. 10:13. 
2. Estiver entristecido, leia então: 2 Co. 4:17,18. 
3. Passar por tribulação, medite então: Sl. 46. 
4. Estiver doente, pense sobre: Sl. 41:3,4. 
5. Estiver com saúde, pense então sobre: Sl. 103; Tg. 5:13b. 
6. Tiver vários dons, pense em: Jr. 9:23,24. 
7. For pobre, console-se com: Pv. 28:6. 
8. Estiver solitário, medite então: Dt. 31:6. 
9. Estiver para morrer, alegra-se então com: Sl. 23:4. 
10. Mas em todas as circunstâncias, estude: Is. 26:4; Hb. 12:1-3. 

314. CRISTO, EM 1 CORÍNTIOS 15. 
1. Morreu pelos nossos pecados. V.3. 
2. Foi sepultado. V.4. 
3. Ressuscitou ao terceiro dia. V.4. 
4. Prega-se sobre Ele. Vv.11,12. 
5. Voltará. V.23. 
6. Reinará. V.25.
7. Tudo Lhe será subordinado. Vv.27,28. 

315. O DEUS DE TODA CONSOLAÇÃO. 
1. Ninguém sabe consolar tão bem como nosso Deus. 2 Co.1:3-7. 
2. Observemos como e quando Ele nos consola: 
a) Como uma mãe a seu filho. Is. 66:13. 
b) Ele consola os que choram. Is. 61:2. 
c) Levanta os necessitados. Fp. 4:19. 
d) Anima os perseguidos. Hb.10:34. 
e) Vela sobre os que são acusados. Rm. 8:31ss. 
f) Assiste-nos na enfermidade. Sl. 41:3. 
g) Através das promessas da eternidade. 1 Ts. 4:18. 
h) Faz com que o nosso morrer seja lucro. Fp. 1:21. 

316. TRIPLA REDENÇÃO. 2 CO. 1:10. 
1. O qual nos livrou. 
a) Com isso Paulo pensava em sua grande experiência diante de Damasco quando o Senhor o salvou como pecador. At. 9. 
b) Davi também apontou para isso no Salmo 40:1-3. 
c) Paulo se referiu a esta experiência na carta aos Efésios 2:5; e aos 1 Tessalonicenses 1:9. 
2. O qual nos livra. 
a) Com isso, Paulo pensou no socorro que Senhor nos dispensa diariamente. Precisamos somente ler 2 Coríntios 11 e 12. 
b) O Senhor, em que confiamos, salva-nos ou nos consola em todas as circunstâncias. Sl. 121. 
3. O qual nos livrará. 
a) Olhamos para o futuro sem temor. l Pe. 1:5. 
b) Aguardamos a redenção do nosso corpo, a vinda do Senhor, que nos tirará do presente século. Fp. 3:20,21; Hb. 9:28; 1 Ts. 1:10. 

317. A VIDA CRISTÃ É: 
1. Espiritual. 1 Co. 2:12-15. 
2. Dada por Deus. 2 Co. 5:17. 
3. Oculta em Deus. Cl. 3:3. 
4. Santa. Rm. 6:19,22. 
5. Progressiva. 1 Pe. 1:5-8. 
6. Frutífera. Jo. 15:4-8. 
7. Eterna. L Jo. 5:11-13. 

318. A VIDA DIÁRIA DOS CRISTÃOS. 
Eles: 
1. Renovam diariamente o seu homem interior. 2 Co. 4:16. 
2. Alimentam-se da palavra de Deus. Ne. 8:18. 
3. Louvam diariamente o Senhor. Sl. 72:15. 
4. Procuram diariamente Sua presença. Sl. 25:5. 
5. Exortam-se mutuamente todos os dias. Hb. 3:13. 
6. Carregam, dia a dia, a sua cruz. Lc. 9:23. 

319. PARADOXOS: 
1. Do visível olhamos para o invisível. 2 Co. 4:18. 
2. Somos os primeiros quando servimos. Mc. 10:42-44. 
3. Somos exaltados quando nos humilhamos. Mt. 18:4; 23:12. 
4. Tomamo-nos sábios pela loucura da pregação. 1 Co. 1:21. 
5. Tomamo-nos livres sendo escravos da justiça. Rm. 6:17-22. 
6. Possuímos tudo e não temos nada. 2 Co. 6:10. 
7. Quando somos fracos, então é que somos fortes. 2 Co.12:10. 
8. Triunfamos na derrota. 2 Co. 12:7-9. 
9. Gloriamo-nos nas fraquezas. 2 Co. 12:5. 
10. Vivemos pelo morrer. Jo.12:24,25; 2 Co. 6:9,10. 

320. A ESSÊNCIA DA VERDADEIRA VIDA CRISTÃ. 
1. A finalidade da nossa vida é agradar a Cristo. 2 Co. 5:9. 
2. A lei do nosso dia a dia é obedecê-lO. Jo. 13:15. 
3. O desejo de nossa vida é conhecê-lO. Fp. 3:8-10. 
4. O privilégio é colocar nossa esperança nEle. 1 Tm. 4:10. 
5. A tarefa do nosso viver é andar com Ele. 1 Jo. 2:6. 
6. O segredo da nossa vida é viver nEle. Gl. 2:20. 
7. A finalidade da nossa vocação é glorificá-lO. 2 Ts, 1:12. 

321. COUSAS EXEMPLARES. 
1. A conversão: tudo se faz novo. 2 Co. 5:17. 
2. O cristão: enriquecido em tudo. 1 Co. 1:5-7. 
3. A igreja: provada em serviço e perseguição. 1 Ts. l. 
4. O pregador exemplar. l Tm. 4:12-16; 2 Tm. 4:2-5. 
5. O ganhador de almas. 1 Ts. 2:19; 3. 
6. O mensageiro. 1 Co. 15:1-3,51-58. 
7. A esperança exemplar. Tt. 2:13. 

322. 2 CORÍNTIOS 5. 
1. Nós somos: 
a) Novas criaturas, pelo novo nascimento. V.17. 
b) Crentes que confiam no Senhor. V.7. 
c) Mensageiros no lugar de Cristo. V.20. 
2. Nós sabemos que: 
a) Seremos transformados. V.2. 
b) Temos um lar no céu. V.1. 
c) Compareceremos diante do tribunal de Cristo. V.10. 
3. Agora nós: 
a) Gememos e aspiramos a nossa transformação. V.2. 
b) Andamos por fé. V.7. 
c) Vivemos para agradá-lO. V.9. 
4. Nós seremos: 
a) Ricamente recompensados, 
b) ou envergonhados perante o Senhor. V.10. 

323. O QUE SIGNIFICA ESTAR EM CRISTO. 
1. Ser uma nova criatura. 2 Co. 5:17. 
2. Estar na presença de Deus. E. 2:13. 
3. Ter plena certeza. Rm. 8:1,2. 
4. Ter alegria permanente. Fp. 4:4. 
5. Ser um ramo frutífero. Jo. 15:4,5. 
6. Ter uma esperança viva. Rm. 15:12,13. 

324. UMA NOVA CRIATURA. 2 CO. 5:17. 
1. Seu começo é o novo nascimento. Jo.3:3. 
2. Sua evidência é um novo homem. Cl. 3:10. 
3. Sua caracterização é uma nova vida. Rm. 6:4. 
4. Sua conseqüência é um novo andar. Ef. 4:17. 
5. Seu final é em uma nova cidade. Ap. 21:2-4. 

325. SETE REALIDADES NOVAS EM UM CRENTE. 2 CO. 5. 
1. É uma nova criatura. V.17. 
2. Tem uma nova posição: em Cristo. V.17. 
3. Possui nova vida. V.15. 
4. Tem uma nova motivação: o amor. V.14. 
5. Anda num novo caminho: o caminho da fé. V.7. 
6. Realiza um novo trabalho. V.20. 
7. Espera um novo lar. V.1. 

326. “NÃO VOS PONHAIS EM JUGO DESIGUAL”. 2 CO. 6:14-18; 7:1. 
1. As razões para isso são: 
a) A justiça e a injustiça não têm nada em comum. 
b) A luz e as trevas não têm comunhão. 
c) Cristo e o Maligno não têm harmonia. 
d) O crente e o incrédulo nada têm em comum. 
e) O santuário de Deus e os santuários dos ídolos são completamente diferentes em suas essências. 
f) A ordem direta de Deus o proíbe. 
2. A advertência divina diz: 
a) Retirai-vos do meio deles. 
b) Separai-vos do mundo. 
c) Não toqueis em cousas impuras. 
3. A maravilhosa promessa: 
a) Receber-vos-ei. 
b) Serei vosso Pai. 
c) Sereis para mim filhos e filhas. 



327. A MANEIRA CORRETA PARA CONTRIBUIR. 2 CO. 8:2-4. 
1. Primeiramente, devemos dar a nós mesmos. 2 Co. 8:5. 
2. A maior contribuinte foi aquela viúva no templo. Lc. 21:4. 
3. Israel mostrou o espírito de dar, em : Êx. 35:21-29. 
4. Paulo ensinou o motivo da contribuição. 2 Co. 12:15. 
5. Contribuir é um privilégio, faça-o com alegria. 2 Co. 9:7. 
6. Oferta verdadeira faz parte do culto ao Senhor. 2 Cr. 29:31-36. 

328. CRISTO TORNOU-SE POBRE POR AMOR A NÓS. 2 CO. 8:9. 
1. O Senhor não tinha lar para nascer. Lc. 2:7. 
2. Não tinha lugar onde reclinar a Sua cabeça. Mt. 8:20. 
3. Não possuía dinheiro para pagar os impostos. Mt. 17:27. 
4. Nenhuma assistência no Getsêmani. Mt. 26:40-45. 
5. Nem advogado perante o tribunal. Mc. 14:50. 
6. Nenhum Deus, quando foi feito pecado. Mt. 27:46. 
7. Mas Aquele, que não tinha lar, deu-nos um lar eterno. l Pe. 1:3,4. 
8. Não possuía nada, e nos deu toda sorte de bênçãos. Ef. 1:3. 
9. Não teve Consolador, mas pediu-O ao Pai para nós. Jo. 14:16. 
10. Não teve amigos, porém chamou-nos de Seus amigos. Jo. 15:14,15. 

329. EXPERIÊNCIAS AMARGAS DO APÓSTOLO PAULO. 
1. Ele foi duramente criticado por amigos e irmãos. 2 Co. 10:10-13; At. 15:39. 
2. Esmurrado por Satanás. 2 Co. 12:7. 
3. Ridicularizado pelos grandes deste mundo. At. 26:24. 
4. Apedrejado pelos inimigos. At. 14:19. 
5. Visitado por inúmeras aflições. 2 Co. l1:23-28. 
6. Abandonado por seus irmãos. 2 Tm. 4:10. 
7. Desgastado por falsos cristãos. Fp. 3:18,19. 



330. A GRAÇA DE DEUS NOS BASTA. 2 CO. 12:9. 
1. Em necessidades e faltas. Lc. 5:5-8. 
2. Resiste nas maiores tentações. 1 Pe. 1:6. 
3. É suficiente quando nossos planos são frustrados. At. 27:22-26. 
4. Consola-nos na sombra da morte. Sl. 23:4; 1 Ts. 4:18. 
5. Refrigera em sofrimentos e perseguições. Ap. 1:9-18. 
6. Alegra em sofrimento e prisões. 2 Tm. 4:16-18.
7. Revigora em aflição e fraqueza. 2 Co. 4:8-18. 

331. NÓS SOMOS, PELA GRAÇA: 
1. Chamados. Gl. 1:15. 
2. Salvos. Ef. 2:8. 
3. Fortificados. 2 Tm. 2:1. 
4.Firmados. Hb.13:9. 
5.Justificados. Rm. 3:24. 
6. Cheios de esperança. 2 Ts. 2:16. 
7. Herdeiros. Tt. 3:7. 

332. NÓS DEVEMOS NA FÉ: 
1. Viver. Gl. 2:20. 
2. Estar firmados. 2 Co. 1:24. 
3. Andar. 2 Co. 5:7. 
4. Perseverar. Hb. 11:27. 
5. Praticar a justiça. Hb. 11:33. 
6. Combater. 1 Tm. 6:12. 
7. Vencer. 1 Jo. 5:4. 

333. UNIFICADOS COM CRISTO. 
1. Na adoção de filhos. Gl. 4:4,5. 
2. Na santidade. Jo. 17:19. 
3. Na Sua crucificação. Rm. 6:6. 
4. Nas perseguições. Jo. 15:20. 
5. Na ressurreição. Cl. 3:1. 
6. Na herança celestial. Rm. 8:17. 
7. Na glorificação. Jo. 17:22. 

334. “NÃO NOS CANSEMOS DE FAZER O BEM”. GL. 6:9,10. 
1. Como devemos passar a nossa vida? Fazendo o bem. 
2. A quem devemos fazer o bem? A todos. 
3. Quem tem o primeiro direito? A família da fé. 
4. Que perigo que nos ameaça enquanto fazemos o bem? Cansaço. 
5. Qual a promessa ao benfeitor? Colher sem fim. 

335. A CRUZ É A MINHA GLÓRIA, PORQUE: GL. 6:14. 
1. Nela o pecado foi apagado. l Pe. 2:24. 
2. Nela minha salvação está garantida. Hb. 2:9. 
3. Lá minha santificação foi consumada. Hb. 10:14. 
4. Jesus selou ali a paz. Cl. 1:20. 
5. Nela estou crucificado com Cristo. Gl. 6:14. 

336. TUDO EM CRISTO, CONFORME EFÉSIOS 1. 
1. Abençoado em Cristo. V.3. 
2. Escolhido nEle. V.4. 
3. Agraciados nEle. V.6. 
4. Redimidos nEle. V.7. 
5. Remidos nEle. V.7. 
6. Selados nEle. V.13. 
7. Herdeiros nEle. V.11. 
8. Tudo nEle. Jo. 17:21-23. 

337. DESEJÁVEIS DÁDIVAS DE DEUS, EM EFÉSIOS. 
1. O mistério de Sua vontade. 1:9. 
2. A esperança do Seu chamamento. 1:18. 
3. A riqueza da Sua glória. 1:18. 
4. A grandeza do Seu poder. 1:19. 
5. A multiforme sabedoria de Deus. 3:10. 
6. O amor que excede todo entendimento. 3:19. 
7. O pleno conhecimento do Filho de Deus. 4:13. 

338. RICAS BÊNÇÃOS DO CRENTE. 
1. Somos predestinados para a adoção de filhos. Ef. 1:5. 
2. Somos chamados para Seu propósito. Rm. 8:28-30. 
3. Salvou-nos segundo Sua misericórdia. Tt. 3:5. 
4. Temos a remissão inteiramente pela graça. Ef. 1:7. 
5. Somos fortalecidos por Seu poder. Cl. 1:11. 
6. Supridos segundo a Sua riqueza. Fp. 4:19. 
7. Esperamos a manifestação de Sua glória. Tt. 2:13. 

339. FÉ, AMOR, ESPERANÇA NA CARTA AOS EFÉSIOS. 
1. Capítulo 1: 
a) Fé em Jesus Cristo. V.15. 
b) Amor por todos os santos. V.15. 
c) Esperança do chamamento. V.18. 
2. Capítulo 2: 
a) Salvos pela fé. Vv.8,9. 
b) Amados com Seu grande amor. V.4. 
c) Nenhuma esperança sem Cristo. V.12. 
3. Capítulo 4: 
a) Uma fé. V.5. 
b) Suportar-nos uns aos outros em amor. V.2. 
c) Em uma esperança da vocação. V.4. 

340. EM AMOR. 
Nós devemos: 1. Ser irrepreensíveis. Ef. 1:4. 
2. Ser arraigados e alicerçados. Ef. 3:17. 
3. Suportar-nos uns aos outros. Ef. 4:2. 
4. Seguir a verdade. Ef. 4:15. 
5. Crescer e edificar-nos. Ef. 4:15,16. 
6. Andar como Cristo. Ef. 5:2. 

341. A DESCRIÇÃO DA NOSSA VIDA. 
1. O que nós éramos. 
a) Mortos em pecados e delitos. Ef. 2:1. 
b) Filhos da ira. Ef. 2:3. 
c) Sem Cristo e sem Deus. Ef. 2:12. 
d) Filhos do pai da mentira, o diabo. Jo. 8:44. 
2. O que nós somos. 
a) Vivificados. Ef. 2:4,5. 
b) Filhos de Deus. Jo. 1:12; Rm. 8:15. 
c) Homens da eternidade. Jo. 5:24. 
3. O que nós seremos. 
a) Semelhantes a Ele. 1 Jo. 3:2. 
b) Herdeiros de Deus. Rm. 8:17. 
c) E herdeiros de toda glória. 1 Co. 3:22; 2:9,10. 
4. O que devemos ser e fazer por causa disso. 
a) Dedicados a Deus. Rm. 12:1. 
b) Pensar sempre nas cousas lá do alto. Cl. 3:2. 
c) Separados do mundo, santos. 1 Pe.2:9. 
d) Esperar por Sua volta. Tt. 2:11-15. 

342. O ANDAR DO CRENTE CONFORME A CARTA AOS EFÉSIOS. 
1. Nosso andar no passado. 2:2. 
2. Agora, porém, um andar em boas obras. 2:10. 
3. Um andar digno conforme a nossa vocação. 4:1. 
4. Não andar na vaidade dos próprios pensamentos. 4:17. 
5. Um andar no amor de Cristo. 5:2. 
6. Devemos andar como filhos da luz. 5:9. 
7. Devemos andar cuidadosa e sabiamente. 5:15. 

343. O CORAÇÃO NA CARTA AOS EFÉSIOS. 
1. Obscurecido. 4:18. 
2. Crente. 3:17. 
3. Agradecido. 5:20. 
4. Sincero. 6:5. 
5. Obediente. 6:5,6. 
6. Consolado. 6:22. 

344. O QUE JESUS FEZ POR NÓS. EF. 5. 
1. Amou-nos. V.25. 
2. Entregou-se. V.25. 
3. Santificou-nos. V.26. 
4. Purificou-nos. V.26. 
5. Alimentou-nos. V.29. 
6. Ele cuida de nós. V.29. 
7. Com que finalidade? V.27. 

345. OS SETE ELEMENTOS DA UNIDADE. EF. 4. 
1. Um corpo. V.4. 
2. Um Espírito. V.4. 
3. Uma esperança. V.4. 
4. Um Senhor. V.5. 
5.Uma fé. V.5. 
6.Um batismo. V.5. 
7. Um Deus e Pai. V.6. 

346. CRISTO EM EFÉSIOS 3. 
1. Seu mistério. V.4. 
2. Sua promessa. V.6. 
3. Seu evangelho. V.6. 
4. Sua riqueza. V.8. 
5. Seu propósito. V.11. 
6. Seu poder. V.16. 
7. Seu amor. V.19. 

347. NÓS SOMOS CHEIOS. 
1. Do Espírito Santo. Ef. 5:18. 
2. De grande conforto. 2 Co. 7:4. 
3. De alegria verdadeira. 2 Tm. 1:4. 
4. De frutos de justiça. Fp. 1:11. 
5. Do conhecimento da Sua vontade. Cl. 1:9. 
6. De muitos bens. Lc. 1:53. 
7. De toda plenitude de Deus. Ef. 3:19. 

348. ORDENS “NEGATIVAS” DO APÓSTOLO AOS EFÉSIOS. 
1. Não se deixem enganar por falsos ensinamentos. 4:14. 
2. Não mantenham conversas torpes. 4:29. 
3. Não sejam desonestos. 4:28. 
4. Não usem palavras vãs ou gracejos. 5:4. 
5. Não andem como os néscios. 5:15. 
6. Não ajam insensatamente. 5:17. 
7. Não agradem a homens, mas sim a Deus. 6:6. 

349. ORDENS “POSITIVAS” DO APÓSTOLO AOS EFÉSIOS. 
Eles devem: 
1. Crescer em tudo. 4:15. 
2. Transmitir palavras que edificam. 4:29. 
3. Socorrer aos necessitados. 4:28. 
4. Dar ações de graça. 5:4. 
5. Andar prudentemente, como sábios. 5:15. 
6. Agir segundo a vontade de Deus. 5:17. 
7. Ser servos de Cristo. 6:6. 

350. REMINDO O TEMPO. EF. 5:16. 
1. Orando diariamente como Daniel. Dn. 6:10. 
2. Sendo um seguidor fiel, como Josué e Calebe. Nm. 14:24; Js. 1:6,7. 
3. Dedicando-se ao serviço, como Neemias. Ne. 5:19. 
4. Suplicando pelos outros, como Epafras. Cl. 4:12. 
5. Apegando-se ao Senhor, como Davi. Sl. 63:8. 
6. Louvando e agradecendo, como o salmista. Sl. 34:1-3. 
7. Estudando a palavra, como os de Beréia. At.17:10-12. 

351. NA CARTA AOS FILIPENSES, PAULO ALEGRA-SE. 
1. Agradecendo pelos Filipenses. 1:3,4. 
2. Quando Cristo é anunciado. 1:18. 
3. Pela hora de sua morte. 1:23. 
4. Pela fé dos seus irmãos. 1:25. 
5. Sobre a unidade dos crentes. 2:2. 
6. Sobre o sacrifício pelos irmãos. 2:17. 
7. Na comunhão do Senhor. 3:1. 
8. Nos irmãos. 4:1. 
9. E motiva para a alegria permanente. 4:4. 
10. Sobre o cuidado dos irmãos. 4:10. 

352. NOSSO SENHOR É GRANDE EM HONRA E GLÓRIA. 
1. Diante dEle se dobrará todo joelho. Fp. 2:10. 
2. Toda língua O confessará. Fp. 2:11. 
3. Toda criatura O adorará. Ap. 5:13. 
4. A Ele pertencem todos os reinos do mundo. Ap. 11:15. 
5. Domina sobre todas as cousas. Hb. 2:8. 
6. É o herdeiro de todas as cousas. Hb. 1:2. 
7. É o cabeça sobre todas as cousas. Ef. 1:22. 
8. A Ele pertence toda honra e toda glória. Rm. 11:36. 


353. CRISTO EM FILIPENSES 2:5-11. 
1. Sua divindade eterna: subsistindo em forma de Deus. V.6. 
2. Sua encarnação: assumindo a forma de servo. V.7. 
3. Sua vida: de acordo com a vontade de Deus. Vv.7,8. 
4. Sua morte: até a morte de cruz. V.8. 
5. Sua ressurreição: exaltado sobremaneira. V.9. 
6. Seu tribunal: todo joelho se dobrará diante dEle. V.10. 
7. Seu governo: toda língua O glorificará. V.11. 

354. NÓS DEVEMOS BRILHAR! 
1. “No qual resplandeceis como luzeiros no mundo”. Fp. 2:15. 
2. Brilhar é um grande privilégio. Mt. 5.14; Jo. 8:12. 
3. A palavra é esta luz. Sl.119:105. 
4. A bênção do andar na luz. 1 Jo.1:7. 
5. Brilhar é o nosso dever. Mt. 5:16. 
6. A luz não deve estar escondida. Mt. 5:14,15. 
7. Nós fomos chamados para iluminar outros. At. 13:47. 
8. Cada um é semelhante a um farol. Fp. 2:15. 

355. CRESCER NO CONHECIMENTO DA PESSOA DE CRISTO. FP. 3:8-21 
1. O conhecimento de Cristo. V.8. 
2. A cruz de Cristo e Seus inimigos. V.18. 
3. A comunhão no sofrimento de Cristo. V.10. 
4. A morte de Cristo. V.10. 
5. A ressurreição de Cristo. V.10. 
6. A volta de Cristo. Vv.20,21. 
7. O poder de Cristo: Ele nos transformará. V.21. 

356. O QUE NÓS DEVEMOS SER. 
1. Homens de alegria. Fp. 3:1. 
2. Batalhadores. Jd. 3. 
3. Vigilantes. Lc. 12:37. 
4. Homens de oração. Ef. 6:18. 
5. Homens de amor. Rm. 12:10. 
6. Ajudadores. Rm. 12:13. 
7. Atalaias. 1 Ts. 1:10. 

357. O QUE NÓS ACHAMOS EM FILIPENSES 4:4-19. 
1. Uma exortação. V.4. 
2. Uma ordem. V.6. 
3. Um privilégio. V.6. 
4.Uma promessa. V.7. 
5.Um bom exemplo. Vv.11,12. 
6. Um segredo de poder. V.13. 
7. Um rico suprimento. V.19. 

358. NOSSA ALEGRIA. 
1. A razão da nossa alegria: Jesus. Fp. 3:1. 
2. A duração da nossa alegria: todo tempo. Fp. 4:4. 
3. O lugar da nossa alegria: debaixo de Suas asas. Sl. 63:7. 
4. O motivo da nossa alegria: 
a) A salvação do Senhor. 1 Sm. 2:1. 
b) O nome do Senhor. Sl. 89:16. 
c) Nossa esperança viva. Rm. 5:2. 
d) Nossos nomes estão escritos no céu. Lc.10:20. 

359. OS DESEJOS DE PAULO NA CARTA AOS FILIPENSES. 
1. Ganhar a Cristo, seu maior lucro. 3:8. 
2. Conhecê-lO melhor. 3:10. 
3. Ser semelhante a Ele. 3:10. 
4. Engrandecê-lO. 1:20. 
5. Ser achado nEle. 3:9. 
6. Alegrar-se somente em Cristo. 4:4. 
7. Estar com o Senhor. 1:23. 

360. QUEM REJEITA A CRISTO E SEU SANGUE: 
1. Não tem paz com Deus. Is. 48:22. 
2. Está debaixo da ira de Deus. Rm. 1:18; 2:5; 5:9. 
3. Não conhece a purificação do pecado. Tt. 1:15,16. 
4. Está longe de Deus. Lc. 15:13; Ef. 2:13. 
5. Não conhece reconciliação. Mt. 12:41; Mc.16:16b; Rm. 3:25. 
6. Não tem a vida eterna. Jo. 3:36; 6:53,54. 

361. PAULO VÊ O SENHOR EM COLOSSENSES 1, COMO: 
1. O eterno: Ele é antes de todas as coisas. V.17. 
2. O Criador: tudo foi criado por meio dEle. V.16. 
3. A imagem de Deus. V.15. 
4. Príncipe da paz: Ele fez a paz. V.20. 
5. O primogênito. V.18. 
6. O cabeça: Ele é o cabeça do corpo. V.18. 
7. O Sustentador do mundo: tudo nEle subsiste. V.17. 
8. O Consumador da igreja. V.22. 

362. NOSSA UNIDADE COM CRISTO SEGUNDO A CARTA AOS COLOSSENSES. 
1 . Nós O recebemos. 2:6. 
2. Andamos nEle. 2:6. 
3. Estamos radicados e edificados nEle. 2:7. 
4. Estamos aperfeiçoados nEle. 2:10. 
5. Morremos com Ele. 2:20. 
6. Fomos ressuscitados com Ele. 3:1. 
7. Seremos manifestados com Ele. 3:4. 



363. JOVENS CRISTÃOS EXEMPLARES. I TS. 
1. Realizaram obras da fé. V3. 
2. Trabalharam no amor de Cristo. V3. 
3. Manifestaram firmeza na esperança. V3. 
4. Imitaram o Senhor. V.6. 
5. Perseveraram nas tribulações. V.6. 
6. Foram modelos para outros cristãos. V.7. 
7. Testemunharam o evangelho. V.8. 
8. Serviram ao Deus vivo. V.9. 
9. Esperaram pela volta do Senhor. V.10. 

364. CONSAGRAÇÃO SÉTUPLA. 
1. Espírito, alma e corpo pertencem somente ao Senhor. 1 Ts. 5:23. 
2. Meus olhos estão fixados nEle. Hb. 12:2. 
3. Meus pés andam nos Seus caminhos. Hb. 12:1. 
4. Minhas mãos estão sempre prontas para fazer o bem. Ef. 4:28. 
5. Meus pensamentos ocupam-se com Ele. Cl. 3:2. 
6. Meu coração está confirmado pela graça. Hb. 13:9. 
7. Meu corpo é um sacrifício vivo. Rm. 12:1. 

365. OS RICOS CONSELHOS EM 1 TESSALONICENSES 5, DIZEM QUE DEVEMOS: 
1. Consolar-nos. V.11. 
2. Ser vigilantes e sóbrios. V.6. 
3. Consolar os desanimados. V.14. 
4. Sempre almejar o bem. V.15. 
5. Alegrar-nos sempre. V.16. 
6. Orar sempre. V.17. 
7. Dar graças em tudo. V.18. 
8. Julgar tudo e reter o que é bom. V.21. 
9. Abster-nos de toda forma de mal. V.22. 

366. NOSSA RESPONSABILIDADE PARA COM OS OUTROS, DIZ QUE DEVEMOS: 
1. Ser longânimos para com todos. l Ts. 5:14. 
2. Amar a todos os filhos de Deus. l Ts. 3:12. 
3. Viver em paz com todos. Rm. 12:18. 
4. Tratar a todos com honra. Rm. 12:17. 
5. Ser brandos com todos. 2 Tm. 2:24. 
6. Ser moderados com todos os homens. Fp. 4:5. 
7. Fazer o bem a todos os homens. Gl. 6:10. 

367. O CRIADOR É FIEL. 
1. No Seu chamamento. 1 Ts. 5:24. 
2. Nas Suas promessas. Hb. 10:23. 
3. No confirmar e guardar dos Seus filhos. 2 Ts. 3:3. 
4. Para conosco nas tentações. 1 Co. 10:13. 
5. No perdão após a confissão dos pecados. 1 Jo. 1:9. 
6. Como nosso Sumo Sacerdote. Hb.2:17. 

368. UM CHAMADO TRIPLO. 
1. Primeiramente, chamado através do evangelho. 2 Ts. 2:14. 
2. Agora, chamado para santificação. 1 Ts. 4:7. 
3. Futuramente, chamado para o Seu reino e glória. 1 Ts. 2:12. 

369. COLOCAÇÕES PRECIOSAS EM 2 TESSALONICENSES 2:13-17. 
1. Irmãos amados pelo Senhor. V.13. 
2. Escolhidos nEle para a salvação. V.13. 
3. Santificados em Cristo. V.13. 
4. Chamados para pertencer a Ele. V.14. 
5. Ensinados na Palavra. V.15. 
6. Assegurados de boa esperança. V.16. 
7. Consolados e confirmados nEle. V.17. 

370. NÓS FOMOS ESCOLHIDOS PARA: 
1. A salvação pela santificação do Espírito. 2 Ts. 2:13. 
2. Sermos santos e irrepreensíveis perante Ele. Ef. 1:4. 
3. Anunciar as virtudes de Cristo. 1 Pe. 2:9. 
4. Sermos testemunhas do Senhor. At. 1:8. 
5. Abrir os olhos dos outros. At. 26:17,18. 
6. Trazer fruto para o Senhor. Jo. 15:16. 
7. Conhecer, ouvir e ver o Senhor. At. 22:14. 

371. BOAS COUSAS NA PRIMEIRA CARTA A TIMÓTEO. 
1. Uma boa consciência. 1:5. 
2. Boas obras. 5:10,25; 6:18,19. 
3. Um bom testemunho. 3:7. 
4. Um bom ministro. 4:6. 
5. Uma boa doutrina. 4:6. 
6. Um bom combate. 6:12. 
7. Uma boa confissão. 6:12. 

372. UM BELO TESTEMUNHO. I TM. 1:12-14. 
1. O que Paulo era outrora: um blasfemador e perseguidor. 
2. Como ele cometeu estes pecados: na ignorância e incredulidade. 
3. O que ele se tomou depois: um servo de Cristo. 
4. Como ele chegou a esta graça: “eu obtive misericórdia”. 
a) Pela graça do Senhor. 
b) Por meio da fé e pelo amor em Cristo Jesus. 
c) Pela força do alto: “aquele que me fortaleceu”. 
5. O que Paulo fez posteriormente: 
a) Agradeceu: “Sou grato…a Cristo Jesus nosso Senhor”. 
b) Serviu fielmente: “que me considerou fiel”. 



373. UMA MENSAGEM MARAVILHOSA. I TM. 1:15. 
Jesus Cristo veio: 
1. Para este mundo mau. Jo. 3:16. 
2. Para salvar. Mt. 1.21. 
3. Para os pecadores. Mt. 9:13; 18:11. 
A melhor prova disso: “Eu sou o principal entre eles”. 

374. A PIEDADE CONFORME A PRIMEIRA CARTA A TIMÓTEO. 
1. O mistério da piedade. 3:16. 
2. O exercício na piedade. 4:7. 
3. O proveito da piedade. 4:8. 
4. O ensino da piedade. 6:3. 
5. O lucro da piedade. 6:6. 
6. O anseio pela piedade. 6:11. 
7. A vida na piedade. 2:2. 

375. NOSSO SALVADOR. I TM. 2:3-6. 
1. Ele deu a Sua vida como resgate. 
2. Seu grande poder: Ele é Deus. 
3. Seu nobre propósito: salvar a todos. 
4. Sua dádiva aos salvos: conhecimento. 
5. Sua posição: Ele é o Mediador entre Deus e os homens. 

376. SETE VERDADES PRECIOSAS. I TM. 3:16. 
1. Uma afirmação admirável da Bíblia: Grande é o mistério da piedade. 
2. Uma grande manifestação: Deus manifestado na carne. 
3. Uma justificação completa: justificados em Espírito. 
4. Uma aparição maravilhosa: contemplado por anjos. 
5. Uma pregação abençoada: pregado entre os gentios. 
6. Uma aceitação consciente: crido no mundo. 
7. Um desfecho divino : recebido na glória. 

377. O TESTEMUNHO DE UM PRISIONEIRO. 2 TM. 1:8-10. 
Seu tema é a grande salvação de Deus. 
1. A salvação vem do poder de Deus. V.8; Rm. 1:16. 
2. Foi dada a nós através de Cristo. 
3. Não vem das nossas obras. 
4. E uma dádiva segundo o propósito de Deus. 
5. Foi manifestada através do aparecimento de Cristo. 
6. Destrói a morte. 
7. Traz vida e imortalidade. 

378. O CRISTÃO, UM SOLDADO. 2 TM. 2:1-6. 
1. Suas características são: 
a) Obediência total ao seu superior. Js. 1:16. 
b) Prontidão para o sofrimento. 2 Tm. 2:3; 1:8. 
c ) Bem equipado. Ef. 6:10-17. 
d) Combatente do bom combate. 1 Tm. 6:12.
e) Sem envolvimento em negócios desta vida. V.4. 
2. A recompensa do guerreiro: 
a) Depois da luta. Fp. 3:8-14; 2 Tm. 4:7,8; Ap. 2:10. 
b) Em relação a eternidade. 2 Co. 5:1-9; Jo. 14:1-4; Ap. 22:1-6. 

379. OITO INDICAÇÕES PARA UM SERVO DE CRISTO. 2 TM. 2. Ele deve: 
1. Fortificar-se na graça. V.1. 
2. Estar pronto, para passar por duras provações. V.3. 
3. Manejar bem a Palavra. V.15. 
4. Evitar falatórios inúteis e profanos. V.16. 
5. Fugir das paixões da mocidade. V.22. 
6. Repelir questões que causam contendas. V.23. 
7. Ser brando, apto para ensinar e paciente. V.24. 
8. Praticar a justiça, a fé e o amor. V.22. 

380. O CRISTÃO E A BÍBLIA. 
1. O cristão é um guerreiro. A Bíblia é sua espada. 2 Tm. 2:3,4; Ef. 6:17. 
2. Ele é um semeador. A Bíblia é a semente. Lc. 8:5,11. 
3. E um lavrador. O fruto é sua recompensa. 2 Tm. 2:6. 
4. É um vaso. A Bíblia é o meio para sua purificação. 2 Tm. 2:21; Ef. 5:25-27. 
5. É um servo de Cristo. A Bíblia é sua força. 2 Tm. 2:24; Mt. 4:4; Jo.6:32. 
6. É um pregador. A Bíblia é sua mensagem. 2 Tm. 4:2; Ef. 1:13. 
7. É um obreiro. A Bíblia é sua ferramenta. 2 Tm. 2:15; Jr. 23:29. 

381. CERTEZA DE SALVAÇÃO. 
1. Você descansa sobre um firme fundamento que não se abala. 2 Tm. 2:19. 
2. E Deus quem completa Sua obra em você. Fp. 1:6. 
3. Cumpre fielmente Suas promessas. Rm. 4:20,21. 
4. Nunca o abandonará. Hb. 13:5b. 
5. Nada pode separá-lo dEle. Rm. 8:38,39. 
6. Guarda-o de todo tropeço. Jd. 24. 
7. Está com você também no vale da sombra da morte. Sl. 23 :4. 
8. Você será levado por Ele à glória celestial. Ef. 5:27. 

382. SETE BONS CONSELHOS A PREGADORES DA PALAVRA. 2 TM. 4:2-5. 
1. Pregue a Palavra (não a sua própria sabedoria). 
2. Pregue-a em todo tempo. 
3. Convença da culpa do pecado. At. 24:25. 
4. Discipline, como outrora, Natã a Davi. 2 Sm. 12:1-14. 
5. Exorte com toda longanimidade e doutrina. 
6. Faça a obra de um evangelista. 
7. Cumpra cabalmente seu ministério. 

383. O HOMEM NATURAL AMA: 
1. O dinheiro. 1 Tm.6:10. 
2. O mundo. 2 Tm. 4:10. 
3. A si mesmo. 2 Tm. 3:2. 
4. O pecado. 2 Tm. 3:4. 

384. DESPENSEIROS DE DEUS. 
1. Ser despenseiro de Deus é uma grande honra. Tt. 1:7. 
2. A um despenseiro é confiado muito. l Pe. 4:10; 1 Co. 4:1. 
3. Dele se exige, principalmente, fidelidade. l Co. 4:2. 
4. O despenseiro sábio cumpre seus deveres pontualmente. Lc. 12:42. 
5. O despenseiro injusto é egoísta e perde o seu ministério. Lc. 16:1,2. 

385. A PROVAÇÃO DA FÉ. I PE. 1:6,7. 
A fé daqueles cristãos passou por provações, mas eles perseveraram e suportaram muito. Hb. 10:32-34. 
1. O que é provado? 
Nossa fé, a confiança absoluta em Deus e na Sua direção. Gn.17:22. 
2. Como nossa fé é provada? 
a) Às vezes, através de muitos sofrimentos, como Jó. Jó 1. 
b) Ou, por fortes tentações, como José. Gn.39:7-23. 
c) Ou, pela astúcia do inimigo, como Daniel. Dn.6. 
d) Ou, através de um espinho na carne, como Paulo. 2 Co.12:7. 
3. Por que Deus prova nossa fé? 
a) Para que o nosso coração seja conhecido. Jr. 17:10; Sl. 139:23. 
b) Para que o valor da nossa fé seja mais precioso que o ouro. l Pe. 1:7; Pv. 17:3. 
c) Para a glorificação de Deus. Gn.22:12. 


386. PRECIOSIDADES NAS CARTAS DE PEDRO. 
1. A prova preciosa da fé. 1 Pe. 1:7. 
2. O precioso sangue de Cristo. 1 Pe. 1:19. 
3. A preciosa pedra angular. 1 Pe. 2:6. 
4. O precioso fundamento da fé. 1 Pe. 2:7. 
5. O precioso tesouro interior do cristão. 1 Pe. 3:4. 
6. A fé preciosa na justiça de Deus. 2 Pe. 1:1. 
7. As mais preciosas promessas. 2 Pe. 1:4. 

387. NOSSA HERANÇA. 
1. É permanente. 1 Pe. 1:4. 
2. É pura e imaculada. 1 Pe. 1:4. 
3. É incorruptível. 1 Pe. 1:4. 
4. Está seguramente guardada no céu. 1 Pe. 1:4. 
5. É preciosa, Ele mesmo é a nossa herança. Sl. 16:5; Nm. 18:20. 
6. É eterna. Hb. 9:15. 
7. Vem de Deus. Cl. 1:12.
8. Porém, é prometida somente aos filhos de Deus. Rm. 8:17. 

388. SEGUNDO AS CARTAS DE PEDRO, NÓS SOMOS CHAMADOS PARA: 
1. Sermos santos. 1 Pe. 1:15. 
2. A maravilhosa luz. l Pe. 2:9. 
3. Seguir os Seus passos. 1 Pe. 2:21. 
4. Abençoar. 1 Pe. 3:9. 
5. Sua glória. 1 Pe. 5:10. 
6. Sua virtude. 2 Pe. 1:3. 

389. A VIDA DO CRISTÃO É: 
1. Santa em seu ser. 1 Pe.1:15,16. 
2. Cheia de compaixão e amor. 1 Pe. 3:8. 
3. Preparada para dar testemunho do Senhor. 1 Pe. 3:15. 
4. Humilde e mansa. 1 Pe. 5:5. 
5. Zelosa para santificar-se. 2 Pe. 3:14. 
6. Preparada para a revelação da redenção. 1 Pe.1:5. 
7. Firme e inabalável na fé, progredindo na obra. 1 Co. 15:58. 

390. NOSSO PROCEDIMENTO SEGUNDO AS CARTAS DE PEDRO. 
1. Somos chamados para andar em santo procedimento. 1 Pe. 1:15. 
2. Resgatados do fútil procedimento. 1 Pe. 1:18. 
3. Convencemos outros através do nosso bom procedimento. 1 Pe. 2:12. 
4. Ganhamos outros através do bom procedimento. 1 Pe. 3:1. 
5. Atraímos outros através do nosso honesto comportamento. 1 Pe. 3:2. 
6. Testemunhamos, pelo bom procedimento, nos sofrimentos. 1 Pe. 3:16,17. 
7. Vivemos em santo procedimento. 2 Pe. 3:11. 

391. A REDENÇÃO. 
1. Foi planejada antes da fundação do mundo. 1 Pe. 1:19,20. 
2. Foi conquistada na cruz. 1 Co. 6:20; At. 20:28. 
3. É recebida através da fé. Rm. 10:9; At. 16:31. 
4. É manifestada na nossa vida diária. Tt. 2:11-14. 
5. É admirada por anjos. 1 Pe. 1:12. 
6. É celebrada no céu. Ap. 5:9. 

392. O VALOR DO PRECIOSO SANGUE DE CRISTO. 
1. É preciosíssimo. 1 Pe. 1:19. 
2. Protege da condenação. Êx. 12:13. 
3. Purifica-nos de todo pecado. 1 Jo. 1:7. 
4. Outorgou-nos grandes privilégios. Hb. 10:19. 
5. Intermedia a paz com Deus. Cl. 1:20. 
6. Concede vitória sobre Satanás. Ap. 12:10,11. 


393. CARACTERÍSTICAS DE UM FILHO DE DEUS. 
1. É regenerado para uma viva esperança. 1 Pe. 1:3.  
2. Está plenamente ciente da sua adoção. Jo. 1:12; Gl.3:26; Rm. 8:16. 
4. Tem a justiça de Deus. Rm. 4:6-8; 5:1. 
5. Prova sua fé através de uma nova vida. Tt. 2:14; Ef. 5:8-10. 
6. Confessa o Senhor perante o mundo. Rm. 10:10. 
7. Serve a Deus e aguarda a vinda do Seu Filho. 1 Ts.1:9,10. 

394. PEDRO CHAMA OS CRENTES DE: 1 PE. 2. 
1. Crianças recém-nascidas na família de Deus. V.2. 
2. Pedras vivas na casa de Deus. V.5. 
3. Sacerdotes santos no templo de Deus. V.5. 
4. Forasteiros e peregrinos. V.11. 
5. Servos de Deus. V.16. 
6. Seguidores dos passos de Cristo. V.21. 
7. Ovelhas do Bom Pastor de suas almas. V.25. 

395. A CASA DE DEUS. 
1. Consiste somente de pedras vivas. 1 Pe. 2:4,5. 
2. A casa de Deus somos nós. Hb. 3:6; 1 Co. 3:9. 
3. É estabelecida por Deus. Hb. 3:4. 
4. Está fundamentada sobre alicerce inabalável. 1 Co. 3:11; Ef. 2:20. 
5. É edificada para habitação de Deus. 1 Co. 3:16. 
6. Jesus é o Senhor da casa. Ef. 5:23; Hb. 3:4-7. 

396. SOMOS CO-PARTICIPANTES. 
1. Da natureza divina através do novo nascimento. 2 Pe. 1:4. 
2. Do evangelho. Fp. 1:5,7. 
3. Da herança celestial. Cl. 1:12. 
4. Da disciplina paterna. Hb. 12:4-11. 
5. De Cristo. Hb.3:14. 
6. Do Espírito Santo. Hb. 6:4. 
7. Dos Seus sofrimentos e Sua glória. 1 Pe. 5:1. 

397. NÓS DEVEMOS SER SANTOS. I PE. 1:15. 
1. Sacerdotes santos, oferecendo sacrifícios espirituais a Deus. 1 Pe. 2:5. 
2. Mulheres santas, com adorno conveniente. l Pe. 3:5. 
3. Homens santos, para testemunhar. 2 Pe. 1:21. 
4. Um monte santo, para reflexão. 2 Pe. 1:18. 
5. Mandamentos santos, para os observar. 2 Pe. 2:21. 
6. Profetas santos, como arautos de Deus. 2 Pe. 3:2. 
7. Um procedimento santo, para advertir outros. 2 Pe. 3:11. 

398. MODELOS. 
1. Cristo é o nosso modelo sublime. 1 Pe. 2:21. 
2. Paulo era um modelo para os crentes. Fp. 3:17; 1 Co. 11:1. 
3. Os profetas eram modelos convincentes. Tg. 5:10. 
4. Nós devemos ser exemplos para os crentes. 1 Tm. 4:12. 
5. Devemos também ser um exemplo para o mundo. Mt. 5:16. 
6. Através disso devemos emudecer o mundo. 1 Pe.2:15. 
7. Devemos viver a Bíblia para o mundo ver. 2 Co. 3:2. 
8. Não devemos ser um exemplo escandaloso. Luc. 17:32; 1 Co. 10:5-11. 

399. O QUE ACONTECEU COM OS NOSSOS PECADOS? 
1. Foram colocados sobre Cristo. 1 Pe.2:24; Is.53:6; 2 Co. 5:21. 
2. Foram aniquilados através do sangue de Cristo. Is. 44:22; Cl. 2:14; 1 Jo. 1:7. 
3. Foram afastados de nós. Sl. 103:12; Lv. 16:21,22. 
4. Foram totalmente perdoados. Rm. 4:7; Ef. 1:7; 1 Jo.1:7-9. 
5. Deus os lançou para trás de si. Is. 38:17. 
6. Foram lançados nas profundezas do mar. Mq. 7:19. 
7. Foram esquecidos para sempre. Jr. 31:34; Hb. 8:12; 10:17. 


400. O QUE UM MEMBRO DE IGREJA SABE? 
1. Sabe porque é um membro. Ef. 2:19. 
2. Sabe o que Deus espera dele. Hb. 10:24,25. 
3. Conhece seus deveres para com seus irmãos. Rm.12:9-18. 
4. Sabe que deve participar no sustento. 1 Co. 16:1,2. 
5. Conhece seus deveres para com o pastor. Ef. 4:15; Hb.13:7. 
6. Sabe que deve fazer o bem a seu próximo. Gl. 6:10. 
7. Sabe que não deve difamar ninguém. Tt. 3:2. 

401. JESUS MORREU POR NÓS, PARA: 
1. Conduzir-nos a Deus. 1 Pe. 3:18. 
2. Remir-nos de toda iniqüidade. Tt. 2:14. 
3. Fazer-nos povo exclusivamente Seu. Tt. 2:14. 
4. Libertar-nos deste mundo perverso. Gl. 1:4. 
5. Fazer-nos filhos de Deus. Gl. 4:5. 

402. SEMPRE PRONTOS PARA: 
1. Testemunhar. 1 Pe. 3:15. 
2. Agir. 1 Tm. 4:12-14. 
3. Ajudar. 1 Tm. 6:18. 
4. Lutar. 2 Cr. 17:12-19. 
5. Pregar. Rm. 1:15. 
6. Servir. 2 Sm. 15:15. 
7. As bodas. Mt. 25:10. 

403. SER FIRMES: 
1. Na fé. 1 Pe. 5:9. 
2. No serviço. 1 Co. 15:58. 
3. No olhar para cima. At. 1:10. 
4. No propósito. Rt. 1:18. 
5. Na humildade. 1 Pe. 5:5. 
6. No ensino. At. 2:42. 
7. Na esperança. 2 Co. 1:7. 

404. AMOR VERDADEIRO. 
1. O amor cobre multidão de pecados. 1 Pe. 4:8. 
2. Pastoreia o rebanho de Cristo. Jo. 21:15-17. 
3. Suporta as fraquezas dos outros. Ef. 4:2. 
4. Dá o melhor, entrega tudo. 1 Sm. 18:1-5. 
5. Serve outros nas suas necessidades. 1 Jo. 3:17,18. 
6. Desiste dos próprios direitos. Êx. 21:1-5. 
7. Supera todos os obstáculos. Ct. 8:7. 
8. É sobre tudo. 1 Co. 13:4-7. 

405. TESTEMUNHAS FIÉIS EM CIRCUNSTÂNCIAS DIFÍCEIS. 
1. Noé, em um mundo sem Deus. 2 Pe. 2:5. 
2. José, na casa de Potifar. Gn. 39:2-20. 
3. Davi, na casa de Saul. 1 Sm. 16:14-23. 
4. Daniel, na corte pagã. Dn. 1:8. 
5. Mordecai, diante do inimigo. Et. 3:1-6. 

406. NOMES GLORIOSOS DO NOSSO DEUS. 
1. O Deus de toda graça. 1 Pe. 5:10. 
2. O Deus da paz. Rm. 15:33. 
3. O Deus de amor. 2 Co. 13:11. 
4. O Deus de toda consolação. 2 Co. 1:3. 
5. O Deus de paciência. Rm. 15:5. 
6. O Deus da esperança. Rm. 15:13. 
7. O Deus da glória. At. 7:2. 

407. CRISTO EM HEBREUS 1:1-3. 
1. O Filho de Deus. V.2. 
2. O herdeiro de todas as cousas. V.2. 
3. O Criador do universo. V.2. 
4. O resplendor da glória de Deus. V.3. 
5. A expressão exata do Seu Ser. V.3. 
6. O Sustentador de todas as cousas. V.3. 
7. O purificador dos nossos pecados. V.3. 
8. O exaltado á destra de Deus. V.3. 
Nós, todavia, vemos Jesus: Hb. 2:9. 
1. Em maior glória e igual a Deus. Jo. 1:1-4; Hb. 1:2,3. 
2. Em profunda pobreza e humildade. Mt. 8:20; 2 Co. 8:9. 
3. Em grande aflição e desamparo. Is. 53; Sl. 22. 
4. Em completa abnegação e sacrifício. Mt. 20:28. 
5. Em total obediência a Deus. Jo. 6:33; Fp. 2:7,8. 
6. Em indizível compaixão. Hb. 4:15,16. 
7. Em Seu grande poder. Ef. 1:20; Fp. 2:9,10. 
8. Em Sua imponente glória. Ap. 22:1-5. 

408. O AUTOR DA NOSSA SALVAÇÃO. HB. 2:9-11. 
1. Sua grande humilhação: menor que os anjos. 
2. Sua humildade, sofrimento e morte. Fp. 2:5-8. 
3. Sua grande honra: coroado de glória. Fp. 2:9-11. 
4. Sua graça e amor: Ele provou a morte por nós. Rm. 8:32. 
5. Sua perfeição: aperfeiçoado através do sofrimento. Lc. 24:26. 
6. Sua humildade: Ele não se envergonha de nós. Hb. 2:11.  
7. Nosso grande privilégio: nós, todavia, vemos Jesus. Jo. 1:46;  Hb. 2:9. 

409. NOSSO SUMO SACERDOTE. 
1. Misericordioso. Hb. 2:17. 
2. Fiel. Hb. 2:17. 
3. Poderoso para socorrer. Hb. 2:18. 
4. Compassivo. Hb. 4:15. 
5. Provado na tentação. Hb. 4:15. 
6. Eterno. Hb. 6:20. 
7. Ofereceu a Si próprio como sacrifício. Hb. 7:27; Jo. 17. 

410. NOSSO SENHOR PODE: 
1. Salvar. Hb. 7:25. 
2. Guardar. Jd. 24. 
3. Socorrer. Hb. 2:18. 
4. Livrar. Dn. 3:17. 
5. Fortalecer. Ef. 3:20; Cl. 1:11. 
6. Glorificar. Fp. 3:20,21; 2 Co. 3:18. 
7. Subordinar. 1 Co. 15:24-27. 

411. NÓS TEMOS: 
1. Um grande Sumo sacerdote. Hb. 4:14. 
2. Um advogado diante de Deus. 1 Jo. 2:1,2. 
3. Intrepidez, para entrar no santo dos santos. Hb. 10:19. 
4. Um forte alento. Hb. 6:18. 
5. Uma âncora da alma. Hb. 6:19. 
6. Um patrimônio permanente no céu. Hb. 10:34. 
7. Uma morada na casa do Pai. Jo. 14:2,3,23. 

412. O GRANDE SUMO SACERDOTE. 
1. Sua vocação: chamado por Deus. Hb. 5:4. 
2. Sua ordem: segundo Melquisedeque. Hb. 5:10. 
3. Sua obra: oferecer dons como sacrifícios. Hb. 5:1,7. 
4. Seu caráter: santo, inocente. Hb. 7:26. 
5. Seu sacrifício: de eterno valor. Hb. 10:12. 
6. Sua posição: perante a face de Deus. Hb. 9:24. 
7. Sua grandeza: a direita de Deus. Hb. 1:3; Mc. 16:19. 

413. PROGRESSO NA VIDA DE FÉ. 
1. Devemos prosseguir até o crescimento pleno. Hb. 6:1. 
2. Correr para alcançar o maior prêmio. 1 Co. 9:24-26. 
3. Aumentar o amor fraternal. 1 Ts. 4:9-11. 
4. Enriquecer na esperança. Rm. 15:13. 
5. Crescer no conhecimento de Deus. Cl. 1:10. 
6. Crescer na fé e no amor. 2 Ts. 1:3. 

414. O QUE O TODO-PODEROSO PODE: 
1. Salvar totalmente. Hb. 7:25. 
2. Livrar de qualquer situação. Dn. 3:17,18. 
3. Socorrer aos homens na tentação. Hb. 2:18. 
4. Guardar-nos em toda parte. Jd. 24. 
5. Dar toda graça. 2 Co. 9:8. 
6. Cumprir toda promessa. Rm. 4:21. 
7. Fazer infinitamente mais do que tudo que pedimos. Ef. 3:20. 

415. PLENA SEGURANÇA. 
1. O destino do incrédulo é mais tenebroso do que as mais densas trevas. Hb. 9:27; 2 Pe. 2:4. O destino do crente é mais brilhante do que o brilho do Sol. l Ts. 5:9; 1 Pe. 1:4. 
2. Deus faz uma grande diferença entre Seus filhos e o mundo. Nós não seremos julgados com ele, Jo. 5 :24. Estamos amparados e seguros pela Sua obra no Gólgota. 
3. O filho de Deus tem garantia plena, Rm. 8:1. Ele está seguro, como Noé na arca. É intocável, como Israel pela proteção do sangue, Êx. 12:23. Salvo, como aquele perseguido pelo vingador do sangue, Nm. 35 :25-27. Seguro, como Raabe, Js. 2:13,14.  
4. O Senhor garante a nossa segurança, Jo. 3:18. A Sua palavra “não pereça” nos é suficiente, Jo. 3:16.  
5. Não temos medo do juízo. l Jo. 4: 17. 
6. Quem ainda nos condenará, sabendo que Deus nos justifica? Rm. 8:33,34. Sabendo que Cristo morreu por nós e o Espírito Santo habita em nós? Poderá a lei nos condenar? Não. Cristo é o fim da lei. Rm. 10:4. 

416. O QUE O SENHOR É PARA NÓS EM HEBREUS 9 E 10. 
1. A redenção dos nossos pecados. 9:12. 
2. Aquele que nos purifica de todos os pecados. 9:14. 
3. Nosso mediador. 9:15. 
4. Nosso substituto perante Deus. 9:24. 
5. O aniquilador dos nossos pecados. 9:26. 
6. O Cordeiro que tira nossos pecados. 9:28. 
7. Aquele que aparecerá para a nossa salvação. 9:28. 
8. Quem se sacrificou em obediência. 10:5-9. 
9. Nossa santificação. 10:10. 
10. O que se assentou à destra de Deus. 10:12. 
11. O vencedor eterno. 10:12,13. 
12. O grande (sumo) sacerdote. 10:21. 

417. O QUE É UM CRISTÃO? HB. 11. 
1. Um pecador como Abel, mas reconciliado com Deus. V.4; Rm. 5:9-11. 
2. Um santo como Enoque, que andava com Deus. V.5. 
3. Um servo como Noé, que trabalhava com Deus. V.7. 
4. Um peregrino como Abraão, separado do mundo. Vv.8-10. 
5. Um convertido que confia em Deus em todas as situações. Vv.33,34. 
6. Um desprezado pelo mundo. Vv.36-38. 
7. Alguém que espera pelo galardão. Vv.2526. 

418. NÓS HONRAMOS NOSSO DEUS: 
1. Através de plena confiança. Hb. 11. 
2. Ao andarmos com Ele. Cl. 1:10. 
3. Em nosso falar. 1 Ts. 2:4. 
4. Através de sacrifícios agradáveis a Ele. Fp. 4:18. 
5. Pela prática do bem e a mútua cooperação. Hb. 13:16. 
6. Guardando os Seus mandamentos. 1 Jo. 3 :22. 

419. CRISTO DEVE SER O NOSSO EXEMPLO. 
1. Na plena confiança. Hb. 12:2,3. 
2. No amor. Ef. 5:2. 
3. Na pureza. 1 Jo. 3:5. 
4. No sofrimento. 1 Pe. 2:21. 
5. Na paciência e no suportar dos inimigos. Hb. 12:3. 
6. No sacrifício próprio. Fp.2:5-8. 
7. Em todos os momentos. 1 Jo. 2:6. 

420. OLHANDO PARA JESUS, COMO: 
1. O Autor da nossa fé. Hb. 12:2. 
2. A Luz nas trevas. Jo. 8:12. 
3. O Senhor, para obedecê-lO. Jo. 13:14,15. 
4. O Pastor, para segui-lO. Jo. 10:27. 
5. O Mestre, para servi-lO. Mt. 23:8-12; Rm. 14:18. 
6. O destino eterno, que queremos alcançar. 1 Co. 9:24,25; Fp. 3:12-14. 

421. O SANGUE QUE FALA. HB. 12:24. 
1. O sangue de Abel clamava a Deus por vingança. Gn. 4:10. 
2. O sangue de Cristo fala da reconciliação com Deus. Hb. 12:24. 
3. Do eterno propósito de Deus. Ap. 13:8. 
4. Do pleno perdão. Cl. 1:13,14. 
5. Da purificação de todo pecado. 1 Jo. 1:7. 
6. Da liberdade para se aproximar de Deus. Hb. 10:19. 
7. Da paz com Deus. Cl. 1:20.
8. Do ingresso na eterna glória. Ap. 7:14,15. 

422. CRISTO, QUE SE OFERECEU POR NOSSOS PECADOS. HB. 13:12. 
1. Entregou-se. Gl. 1:4. 
2. A finalidade do Seu sacrifício foi a santificação do Seu povo. Jo. 17: 19; Hb. 10:10. 
3. O preço do sacrifício foi Seu sangue. At. 20:28. 
4. O lugar do Seu sacrifício foi fora do acampamento. Hb. 13:11-13. 
5. Quem desfruta desse sacrifício? O crente. Is. 53:5. 
6. O exemplo do sacrifício é o de levar a vergonha da cruz. Is. 53:3 ss.; Hb. 13:13. 

423. UM ANTEGOZO DO CÉU. HB. 12:22-24. 
1. Nós chegamos ao monte Sião. Ap. 14. 
2. Chegamos à cidade do Deus vivo. Hb. 11:10; Gl. 4:26. 
3. Alcançamos as miríades de anjos. Dt. 33:2 Dn. 7:10; Ap. 5:11. 
4. Chegamos ao corpo de Cristo, a igreja. Cl. 1:18. 
5. Vamos até Deus, o Juiz e Galardoador. 2 Tm. 4:8; 1 Co. 6:2,3. 
6. Chegamos aos espíritos dos justos aperfeiçoados. Hb. 12:23. 
7. Chegamos ao Mediador da nova aliança. 1 Tm. 2:5. 
8. Chegamos ao sangue da aspersão. Gn. 4:10; Êx. 12:13. 

424. UMA PROMESSA MARAVILHOSA. HB. 13:5B. 
1. Seu autor: Deus. Gn. 28:15. 
2. O fundamento : Sua aliança. Dt. 4:31. 
3. A utilidade no ministério. Dt. 31:7,8. 
4. O poder da promessa na luta. Dt. 31:6. 
5. A certeza diante do trabalho. Js. 1:5. 
6. O desafio da promessa. 1 Cr. 28:20. 
7. O destinatário da promessa. Is. 41:17. 
8. A sua validade. Hb. 13:5,6. 

425. O QUE DEVEMOS FAZER? TG. 1. 
1. Alegrar-nos nas provações. V.2. 
2. Perseverar pacientemente nas provações. V.4. 
3. Levar nossas necessidades, em oração, a Deus. V.5. 
4. Confiar, em oração, como criança. V.6. 
5. Gloriar-nos na humildade da nossa dignidade. V.9. 
6. Ler, ouvir e praticar a palavra. V.22. 
7. Servir a Deus de maneira correta. V.27. 

426. A PALAVRA DE CRISTO ATUA: 
1. Salvando. Tg. 1:21. 
2. Libertando. Jo. 11:44. 
3. Julgando. Hb. 4:12. 
4. Purificando. Ef. 5:26. 
5. Consolando e alentando. Hb. 6:18. 
6. Santificando. Jo. 17:17. 
Aproveite-a. Cl. 3:16. 
A palavra de Deus é: 
1. Um espelho. Tg. 1:23,24. 
2. Um fogo. Jr. 23:29. 
3. Um martelo. Jr. 23:29.
4. Alimento. Jr. 15:16. 
5.Uma luz. Sl. 119:105. 
6. Boa semente. Lc. 8:11. 
7. Uma espada. Ef. 6:17. 

427. O QUE DEVEMOS FAZER COM A PALAVRA DE DEUS. 
1. Acolhê-la com mansidão, para nossa salvação. Tg. 1:21. 
2. Fazer com que ela habite ricamente em nós. Cl. 3:16. 
3. Observá-la, para o crescimento no amor. 1 Jo. 2:5. 
4. Permanecer nela, para sermos discípulos de verdade. Jo. 8:31. 
5. Apegar-se a ela, para servir aos outros. Tt. 1:9. 
6. Praticá-la, para não se enganar a si mesmo. Tg. 1:22. 
7. Falar dela a outros, com alegria. Fp. 1:14. 
8. Representá-la na nossa vida. Fp. 2:15,16. 



428. HOMENS DE FÉ SÃO HOMENS: 
1. De oração, como Elias. Tg. 5:17. 
2. Trabalhadores, como Noé. Hb. 11:7. 
3. Obedientes, como Abraão. Hb. 11:8. 
4. Agradáveis a Deus, como Enoque. Hb. 11:5,6. 
5. Separados do mundo, como Moisés. Hb. 11:25-28. 
6. Vitoriosos, como Davi. Hb. 11:32,33. 
7. Como Daniel. Hb. 11:33. 

429. NOSSA COMUNHÃO É COM SEU FILHO. I JO. 1:2,3. 
1 . Na vida de Cristo. Cl. 3:1-3; Gl. 2:20. 
2. Na Sua natureza. 2 Pe. 1:4. 
3. No Seu serviço. Jo. 17:18. 
4. No Seu sofrimento. 1 Pe. 4:13. 
5. Na Sua morte. Gl. 2:20. 
6. Na Sua glória. Rm. 8:17; Jo. 17:24. 

430. NÓS TEMOS COMUNHÃO: 
1. Como Pai. 1 Jo. 1:3. 
2. Como Filho. 1 Jo. 1:3. 
3. Com o Espírito Santo. Fp. 2:1. 
4. Uns com os outros. 1 Jo. 1:7. 
5. No Evangelho. Fp. 1:5. 
6. Nas necessidades dos santos. 2 Co. 8:4. 
7. Nos sofrimentos do Senhor. Fp. 3:10. 

431. COMUNHÃO MÚTUA. I JO. 1:7. 
Razões para a comunhão uns com os outros, todos: 
1. Somos filhos do mesmo Pai. Jo. 1:12,13. 
2. Fomos comprados pelo mesmo preço. 1 Co.6:20. 
3. Somos membros do mesmo corpo. Cl. 1:18. 
4. Somos ensinados pelo mesmo Espírito. Jo. 16:13. 
5. Andamos no mesmo caminho. 2 Co. 5:7. 
6. Servimos ao mesmo Senhor. Mt. 23:8.
7. Somos herdeiros da vida eterna. Rm. 8:17. 

432. PURIFICAÇÃO DIVINA. 1 JO. 1:7. 
1. A impureza horrível: o pecado. Is. 64:5. 
2. O meio divino para a purificação: o sangue de Jesus. Ap. 1:5. 
3. O resultado maravilhoso: purificação de todo pecado. Ap. 7:14.  

433. UMA QUÁDRUPLA TOMADA DE POSIÇÃO EM RELAÇÃO AO PECADO. I JO. 
1. Negar o pecado. 1:8-10. 
a) Negar sua natureza, inerente ao ser humano. 1:8. 
b) Negar a queda no pecado. 1:10. 
2. O que envolve esta negação? 
a) Enganar-se. 1:8. 
b) Fazer de Deus um mentiroso. 1:10. 
c) A palavra de Deus não está em nós. l:10. 
3. Devemos confessar o pecado. 1:9. 
a) Confessá-lo a Deus franca e sinceramente. 
b) Deixar o pecado. 
c) Crer no Sangue purificador! 
d) Crer no perdão prometido! 1:9. 
4. Nós temos vitória sobre o pecado. 2:1. 
a) Esta vitória é possível, sim, é certa. 2:1. 
b) Chega até nós pela palavra. 2:14. 
c) Porque somos nascidos de Deus. 3:9. 
d) Porque Ele está em nós. 4:4. 

434. CRISTO NA PRIMEIRA CARTA DE JOÃO. 
1. Purifica-nos de todo pecado. 1:7. 
2. É nosso Advogado junto ao Pai. 2:1. 
3. E a propiciação pelos nossos pecados. 2:2. 
4. O Destruidor das obras do diabo. 3:8. 
5. O Doador da vida divina. 4:9. 
6. O Salvador enviado ao mundo. 4:9. 
7. O Revelador do Deus verdadeiro. 5:20. 

435. “FILHINHOS MEUS”. I JO. 
1. Não pequeis. 2:1. 
2. Vossos pecados são perdoados. 2:12. 
3. Permanecei nEle, para possuir confiança. 2:28. 
4. Não vos deixeis enganar por ninguém. 3:7. 
5. Amai-vos de verdade. 3:18. 
6. Vós sois de Deus. 4:4. 
7. Guardai-vos dos ídolos. 5:21. 
8. Já é a última hora. 2:18. 

436. CRISTO, NOSSO ADVOGADO. 1 Jo. 2:1. 
1. “Filhinhos meus”: a certa e original relação entre Deus e o homem. 
2. O fazer e o não fazer do homem: em pensamentos, palavras e atos, e também na omissão, ele peca e rompe a comunhão entre ele (como filhinho) e Deus-Pai. Rm. 3 :23; 1 Jo. 1:8. Ele tornou-se culpado e sujeito ao juízo. 
3. O fazer e o não fazer do Advogado: Ele não encobre e não diminui o pecado. Lc. 19:41-45. Ele não nega o direito de Deus sobre Seus filhos caídos; pelo contrário, Ele expõe o pecado e abre os olhos do pecador para ver sua culpa e perdição. Sl. 32. Intercede pelo pecador diante de Deus e indica para o Seu sofrimento e morte na cruz em substituição do pecador. Lc. 23:34. 
4. A reação de Deus: Aceita esta substituição, mas somente, quando o homem reconhece, confessa e deixa seu pecado. Pv. 23:18. 

437. A RESPONSABILIDADE DOS FILHOS DE DEUS. 1 JO. 2:6. 
O nosso dever é andar como Ele andou. Todos os que O aceitaram e confessam, são Seus filhos. A permanência nEle, Jo. 15:7, é o grande segredo: 
1. Da vida frutífera. Jo. 15:2,16. 
2. Da oração respondida. Jo. 15:7,16. 
3. Do pleno amor. Jo. 15:9,10. 
4. Do gozo completo. Jo. 15:1 1. 
5. Do conhecimento de Deus. Jo. 15:15. 

438. COMO ANDOU O SENHOR JESUS? I JO. 2:6. 
1. Olhando constantemente para o Pai. Jo. 17. 
2. Em plena submissão á vontade de Deus. Jo. 8:29. 
3. À procura de pecadores perdidos. Lc. 19:10; 1Tm. 1:15. 
4. Em oração permanente. Hb. 5:7; Mt. 26:39 ss. 
(Em 89 capítulos fala-se de Sua vida e em 25 capítulos fala-se da oração). 
5. A Palavra e a vontade de Deus eram Seu alimento. Jo. 4:32,34; Mt. 4:4. 

439. “VEDE, QUE GRANDE AMOR”. 1 JO. 3:1. 
A palavra “vede/eis” encontramos muito nos escritos de João, (Jo. 1:29,36,47 ; 19:5; Ap. 1:7; 21:3). 
1. O apóstolo admirado: “Vede, que grande amor”. Ninguém olhou tão profundamente para o coração de Jesus como João, (Jo. 13:23; 19:26; 20:2; 21:20). Muitos milagres ele presenciou, mas não encontrou nada maior do que Seu amor. 
2. O amor incompreensível: Nós somos chamados filhos de Deus, nós que éramos pecadores, rebeldes e transgressores dos Seus mandamentos. João fala dos filhos de Deus e dos filhos do diabo. 
a) Este amor perdoa ao pior pecador, que se arrepende. 2 Cr. 33. 
b) Purifica a todos. Lc. 7:37-47; Ap. 1:5b. 
c) Restaura. Sl. 51; Jo. 21:15 ss. 
3. O privilégio irresistível: Outrora éramos pecadores, agora somos filhos. Nós o somos! Não como muitos dizem: “Gostaríamos de sê-lo”. l Jo. 3:2; Jo. 1:12; Gl. 4:6. 
a) Possuímos a natureza divina. 2 Pe. 1:4. 
b) Temos um relacionamento familiar e íntimo com Jesus. Hb. 2:11. 
c) Temos acesso ao Pai. Ef. 2:18; Hb. 10:19-33. 
d) Tomamo-nos co-herdeiros. Rm. 8:17; Ap. 21:7. 
4. A conseqüência óbvia: A obrigação do filho é de obedecer e honrar aos pais. Ef. 6:1,2. 
Assim nós também vivemos para a glória de Deus. 

440. OS EFEITOS DA FILIAÇÃO DE DEUS. I JO. 3. 
1. O filho de Deus sujeita-se a Seu governo e não é do mundo. V.1. 
2. Purificação e transformação na imagem de Jesus. Vv.2,3. 
3. Vitória sobre o pecado. Vv.4-10. 
4. Amor para com os irmãos. Vv.11-18. 
5. Intrepidez e confiança para com Deus. Vv.19-21. 
6. Certeza na oração. Vv.22,23. 
7. Certeza que Deus habita em nós. V.24. 

441. A FILIAÇÃO DE DEUS É: 1 JO. 3:2. 
1. Um grande privilégio: ser chamado de filho de Deus. 
2. Uma perspectiva confortadora: ainda não se manifestou o que seremos. 
3. Uma certeza plena: nós sabemos. 
4. Uma esperança bem-aventurada: nós O veremos. 

442. A ESPERANÇA VIVA. 1 JO. 3:2,3. 
1. Qual é a nossa esperança? 
a) Ver a Jesus. Sl. 17:15; 1 Co. 13:12. 
b) Ver a manifestação de Jesus (Sua segunda vinda). Cl. 3:4. 
c) Ver o lar eterno. Jo. 14:3. 
d) Ser semelhante a Ele. Seremos transformados, imortais. Fp. 3:21. 
2. Qual é o efeito dessa esperança? 
a) Purificação e santificação. 
b) Aspiração de ser como Ele. 
Pela purificação manifesta-se a fé, pois quem não crê também não se purifica. 2 Co. 7:1. 

443. O PECADO. l JO. 3:4. 
1. O que é pecado? 
a) Desobediência e impureza. Is. 1. 
b) Rebelião contra Deus. Ef. 2:1-3; Sl. 2:1-3. 
2. As conseqüências do pecado. 
a) Cativeiro. Jr. 20:4-6. 
b) Maldição. Rm. 5:12; 6:23; Gl. 3:10. 
c) Morte e perdição. Ef. 2:1; Rm. 5:12; Fp. 3:18,19. 
3. A salvação. 2 Co. 5:21; Gl. 3:13. 

444. ALEGRIA EM SABER QUE: 1 JO. 
1. Os nossos pecados foram perdoados. 3:5. 
2. Passamos da morte para a vida. 3:14. 
3. Somos da verdade. 3:19. 
4. Ele permanece em nós e nós nEle. 4:13. 
5. Temos a vida eterna. 5:13. 
6. Ele ouve nossas orações. 5:15. 
7. O maligno não pode nos tocar. 5:18. 
8. O mundo inteiro jaz no maligno. 5:19. 
9. Seremos semelhantes a Ele. 3:2. 
10. Temos todo este saber de Deus. 5:20. 

445. O FILHO DE DEUS LIBERTADOR. 1 JO. 3:8. 
Nosso texto salienta dois conceitos contraditórios, o divino e o satânico: pecado e salvação, perdição e redenção. 
1. O pecado é uma doença. 
a) Tem raízes profundas. Is. 1:4-6. 
b) É muito velho, Satanás pecou desde o principio. Jo. 8:44. 
c) É totalmente generalizado, penetrou em todos. Rm. 3:23; 5:12. 
2. A cura. 
a) Chama-se: o Filho de Deus. Hb. 9:28. 
b) Procede de Deus. Jo. 3:14-16. 
c) É oferecida através do Filho de Deus. 1 Jo. 4:9. 
d) É poderosa e destrói todas as obras do maligno. 1 Jo. 3:8. 

446. SETE BENEFÍCIOS DE DEUS NA PRIMEIRA CARTA DE JOÃO. 
1. Nascido de Deus: a fonte da nova vida. 3:9. 
2. A Palavra de Deus: o fundamento de toda autoridade. 2:12-14. 
3. A vontade de Deus: a glória eterna. 2:17. 
4. O Filho de Deus: o vencedor sobre o diabo. 3:8. 
5. A filiação de Deus: o maior parentesco. 3:1. 
6. O Espírito de Deus: o poder iluminador. 4:2. 
7. O testemunho de Deus acerca do Seu Filho. 5:9. 

447. DEVEMOS AMAR-NOS UNS AOS OUTROS, POR QUÊ? 
1. Jesus deu Sua vida por nós. 1 Jo. 3:16. 
2. Passamos da morte para a vida. 1 Jo. 3:14. 
3. Prova que somos nascidos de Deus. 1 Jo. 4:7,8. 
4. Jesus deu-nos o exemplo. Jo. 13:14,15. 
5. E a ordem do Senhor. Jo. 13:34. 
6. As Sagradas Escrituras ordenam. Rm. 12:10. 
7. O Senhor perdoou-nos. Ef. 4:32; 5:1. 

448. DEUS É PERFEITO. 
1. No amor. 1 Jo. 4:16-19. 
2. Em Sua vontade. Rm. 12:2. 
3. Em Suas obras. Dt. 32:4. 
4. Em Seus caminhos. Sl. 18:32. 
5. Em Suas dádivas. Tg. 1:17. 
6. Como Pai. Mt. 5:48. 
7. No conhecimento. Jó 37:16. 

449. O QUE NÓS TEMOS. 
1. Vida eterna de Deus. 1 Jo. 5:11. 
2. Paz com Deus. Rm. 5:1. 
3. Acesso a Deus. Ef. 2:18. 
4. Convicção plena. Cl. 2:2. 
5. Comunhão. 1 Jo. 1:3. 
6. Ampla suficiência. 2 Co. 9:8. 
7. Advogado. 1 Jo. 2:1. 

450. SINAIS DO NOVO NASCIMENTO. 
Da mesma forma, como se conhece uma árvore pelos seus frutos, assim também se conhece o nascido de novo através dos frutos do Espírito. Gl. 5:22. 
O nascido de Deus: 
1. Tem fé pessoal no Senhor. l Jo. 5:1; Jo. 1:12; 3:36. 
Nossa alma sarou ao olhar para o crucificado, e como Pedro, nós também glorificamos a Deus por esta graça. 1 Pe. 1:3. 
2. Pratica a justiça. l Jo. 2:29. 
a) Revestiu-se do novo homem. Cl. 3:10. 
b) Vive agora praticando boas obras. Ef. 2:10. 
3. Não vive mais na prática de pecado. 1 Jo. 3:9; 5:18. 
Pode errar, mas não pode mais viver no pecado. 
4. Ama os irmãos da fé. 1 Jo. 3:14; 4:7. 
5. Vence o mundo. 1 Jo. 5:4. 
6. Cuida da vida de oração. 1 Jo. 5:14,15. 
7. Confessa-se ao Senhor. 1 Jo. 4:2; Rm. 10:10. 
8. Serve ao Senhor. l Ts. 1:9,10. 
9. Ama a Palavra de Deus. 1 Pe. 2:2. 
10. É co-participante da natureza divina. 2 Pe. 1:4. 

451. AQUELE QUE ESTÁ EM VÓS É MAIOR DO QUE AQUELE QUE ESTÁ NO MUNDO. I JO. 4:4. 
1. Quem é aquele que está no mundo? 
O espírito do anticristo, manifestado naqueles que: 
a) Desprezam o nome de Cristo; 
b) Rejeitam a Sua palavra; 
c) Desprezam o povo de Deus; 
d) Têm sua alegria nas coisas deste mundo; 
e) Justificam o pecado. 
2. Quem é Aquele que está em nós? 
a) O Espírito de Deus; Vv.12,13. 
b) O Espírito da verdade; 
c) O Espírito do poder; 
d) O Espírito da santidade. 
3. Ele é maior por quê? 
a) A luz é maior do que as trevas; 
b) A verdade é maior do que o engano; 
c) O Rei é maior do que os Seus súditos; 
d) O Criador é maior do que a criação. 

452. O AMOR. 
1. É a prova da fé viva. 1 Jo. 4:19. 
2. Testifica da vida de Deus. 1 Jo. 3.14. 
3. Manifesta a autenticidade da nova vida. 1 Co. 13:2. 
4. É a verdadeira motivação para o serviço. 2 Co. 5:14,15. 
5. Guarda os mandamentos de Deus. Jo. 14:15. 
6. É fruto do Espírito Santo. Gl. 5:22. 
7. E a graça que sobressai a tudo. 1 Co. 13:13. 

453. DEUS É AMOR. 1 JO. 4:8. 
1. Ele se compadece da miséria do pecador perdido. Lc. 15:20; Sl. 103:3,4. 
2. O efeito do amor é benignidade. Tt. 3:4. 
3. Deus enriquece Seus filhos pelo Seu amor. 2 Co. 8:9. 
4. O amor de Deus se manifesta na Sua misericórdia. Ef. 2:4. 
5. O sentido mais profundo do Seu amor é sacrificar-se. Ef. 5:2. 
6. O amor anela por comunhão. Fp. 1:8. 

454. SETE GARANTIAS QUE FAZEM A FELICIDADE DO CRISTÃO. 
1. Que o Filho de Deus veio por ele. 1 Jo. 5:20. 
2. Passou pela transformação mais profunda. l Jo. 3:14. 
3. Recebeu a unção. l Jo. 2 :20. 
4. Tem o maior privilégio. l Jo. 5:14. 
5. Será transformado á semelhança de Jesus. l Jo. 3:2. 
6. É de Deus. 1 Jo. 5:19. 
7. Tem uma morada no céu. Jo. 14:2. 

455. SETE “EU” NA TERCEIRA CARTA DE JOÃO. 
1. Eu amo a verdade – o amor de João era genuíno. V.1. 
2. Eu desejo ao meu próximo prosperidade em todo sentido. V.2. 
3. Eu alegro-me do andar fiel do meu próximo. V.3. 
4. Eu não tenho maior alegria do que ouvir que meus filhos andam na verdade. V.4. 
5. Eu escrevi alguma cousa à igreja. Como agradecemos ainda hoje a João por isso. V.9. 
6. Eu quero lembrá-lo de suas obras. V.10. 
7. Eu espero vê-lo em breve. V.14. 

456. NOMES DE CRISTO EM APOCALIPSE 1. 
1. Jesus: Redentor, Salvador. V.1; Mt. 1:21. 
2. Cristo: o ungido. V.1; Hb. 1:9; Lc. 7:38; At. 4:27. 
3. A fiel testemunha. V.5. 
4. O soberano dos reis da terra. V.5. 
5. O Alfa e o Ômega. Vv.8,17. 
6. O Todo-poderoso. V.8. 
7. Aquele que há de vir. V.8. 
8. O Filho do homem. V.13. 
9. Aquele que vive. V.18. 

457. SETE BEM-AVENTURANÇAS EM APOCALIPSE. 
1. Bem-aventurados os leitores desse livro. 1:3. 
2. Os mortos que morrem no Senhor. 14:13. 
3. Aqueles que vigiam. 16:15. 
4. Os convidados para a ceia das bodas. 19:9. 
5. Os que tem parte na primeira ressurreição. 20:6. 
6. Bem-aventurados aqueles que guardam a palavra da profecia. 22:7. 
7. Bem-aventurados todos os que lavam suas vestiduras no sangue do Cordeiro. 22:14; 7:14. 

458. COISAS DE OURO EM APOCALIPSE. 
1. Sete candeeiros de ouro. 1:12,20. 
2. A cinta de ouro do Senhor e dos anjos. 1:13; 15;6. 
3. As coroas. 4:4; 9:7. 
4. As taças. 5:8; 15:7. 
5. O altar. 9:13. 
6. O incensário. 8:3. 
7. A vara. 21:15. 
8. A cidade. 21:18. 
9. A praça. 21:21. 

459. JOÃO, O PROFETA VERDADEIRO. AP. 1. 
Ele vê o Cristo glorificado e descreve: 
1. Como o Filho do homem. 
2. Suas vestes. 
3. Vê a cinta de ouro. 
4. Admira-se dos Seus cabelos brancos. 
5. Seus olhos são como chama de fogo, que penetram tudo. 
6. Seus pés brilham como bronze polido. 
7. Sua voz é tremenda. 
8. Sua mão é suficientemente forte para segurar as sete estrelas. 
9. Sua boca é semelhante a uma afiada espada de dois gumes. 
10. Seu rosto brilha como o sol. 

460. NOSSO SENHOR MARAVILHOSO. 
1. É o Alfa e o Ômega. Ap. 1:8. 
2. E o Criador de todas as cousas. Cl. 1:16. 
3. Sustenta todas as cousas. Hb. 1:3. 
4. Preenche todas as cousas. Ef. 4:10. 
5. Todas as cousas Lhe são subordinadas. Fp. 3:21. 
6. Reconcilia consigo mesmo todas as cousas. Cl. 1:20. 
7. É o herdeiro de todas as cousas. Hb. 1:2. 

461. A VOZ DE CRISTO. 
1. E poderosa. Ap. 1:15. 
2. Convence. At. 9:4. 
3. Dá vida. Jo. 11:43. 
4. Convida. Mt. 11:28.
5. Consola. Jo. l1:23,25,26. 
6. Guia. Jo. 10:27,28. 
7. Pede. Ap. 3:20. 

462. UMA VISITA DA GLÓRIA CELESTIAL. AP. 3:20. 
Aqui fala o Senhor que subiu ao céu. 
1. O que nos ensina Sua mensagem? 
a) Que Ele está diante da porta, do lado de fora. 
b) Que você dá preferência a outros convidados. 
c) Que Ele, apesar disso, quer estar com você. 
d) Que Ele, porém, dá liberdade de escolha a você. 
2. Através do que Ele anuncia a Sua presença? 
a) Do Seu bater na porta. 
b) Da pregação da palavra. 
c) Do despertar da consciência. 
d) De várias experiências da vida. 
3. Como é preparada a entrada de Jesus? 
a) Pela atenção dada à Sua voz. 
b) Ao abrirmos a porta do coração. 
4. Que bênção recebemos quando O deixamos entrar? 
a) Cristo faz morada em nós. Jo. 14:23. 
b) Temos comunhão com Ele. Lc. 12:35-38. 
c) Ele toma conosco a ceia. Lc. 24:30,31. 

463. ANCIÃOS RECOMPENSADOS. AP. 4, 5 E 7. 
1. Sua posição elevada no céu. 4:4. 
2. Suas vestes celestiais. 4:4. 
3. Suas coroas de ouro. 4:4,10,11. 
4. Sua adoração e sua mensagem. 4:11; 5:5; 7:13 ss. 
5. Seu ministério múltiplo. 5:8-10. 
6. Seu ministério de sacerdote. 5:8. 
7. Seu louvor. 5:9,10. 

464. SETE ESPÍRITOS. AP. 4:5; IS. 11:1,2. 
1. Do Senhor. Lc. 4:18. 
2. De sabedoria. Êx. 31:3; Dt. 34:9; Tg. 1:5. 
3. De entendimento. Ef.4:23. 
4. De conselho. Is. 9:6,7; 1 1:2. 
5. De poder. Lc. 4:14,32-36. 
6. De conhecimento. Jo. 1:48; 2:24,25. 
7. De temor do Senhor. Is. 11:2. 

465. A NOSSA OCUPAÇÃO NO CÉU. 
Lá nós iremos: 
1. Cantar e louvar. Ap. 5:12-14. 
2. Adorar. Ap. 5:12 ss. 
3. Servir. Ap. 7:15; 22:3. 
4. Reinar. Ap. 22:5. 
5. Apreciar coisas boas. Ap. 2:7; 22:2. 
6. Descansar. Ap. 14:13. 
7. Receber nosso galardão. Gl. 6:9; 1 Co. 3:8. 

466. A GRANDE MULTIDÃO EM APOCALIPSE 7. 
1. Passou por grande tribulação. V.14. 
2. É lavada. V.14. 
3. É vestida. V.9. 
4. É suprida de todas as suas necessidades. V.16. 
5. É guiada corretamente. V.17. 
6. Não conhece mais miséria e lágrimas. V.17. 
7. É vitoriosa e carrega palmas nas mãos. V.9. 

467. OS REDIMIDOS. AP. 7. 
1. Seu número: é incontável. V.9. 
2. Sua diversidade: de todos os povos. V.9. 
3. Sua condição: eles estão lavados. V.14. 
4. Sua posição gloriosa: estão diante do trono. V.9. 
5. Sua prosperidade: o Cordeiro apascenta-os. V.17. 
6. Seu canto de louvor. V.12; Ap. 5:9-14 
7. Seu ministério abençoado: servem a Deus dia e noite. V.15. 



468. “EIS QUE FAÇO NOVAS TODAS AS COUSAS”. AP. 21:5. 
1. Ele dá-nos um novo nome. Ap. 2:17.  
2. Dá-nos um novo cântico. Ap. 5:9; 14:3; Sl. 33:3. 
3. Prepara a nova cidade. Ap.21:2; Jo.14:3; Hb. 11:16. 
4. Fará uma nova terra onde habita a justiça. 2 Pe. 3:13. 
5. Nós esperamos o novo céu. 2 Pe. 3:13. 

469. PURIFICAÇÃO. 
– Impuros não podem entrar no céu. Ap. 21:27. 
– Por natureza somos todos impuros. Is. 64:6. 
– Todo esforço próprio de se tomar puro é inútil. Jó 9:30,31. 
1. Como nós podemos nos tornar puros? 
a) Através do sangue de Cristo. 1 Jo. 1:7; Hb. 9:14. 
b) Pela Palavra de Deus. Jo. 15:3; Ef. 5:26. 
c) Pelo Espírito Santo. Tt. 3:5. 
2. Sinais da purificação. 
a) Mãos limpas, para obter bênção. Sl. 24:4,5. 
b) Pés limpos para andar na luz. Jo.13:10. 
c) Corações puros para a adoração. Sl. 24:4; 29:2; 96:9. 
d) Um corpo lavado com água pura. Hb. 10:22; Ef. 5:26. 
e) Vestes alvas de honra. Ec. 9:8. 

470. “EU SOU O ALFA E O ÔMEGA”. O ETERNO DEUS. AP. 1:8; 21:6. 
1. Deus é o começo e o fim. 
2. Abraão falou a respeito do Deus eterno. Gn. 21:33. 
3. Moisés adorou o Deus eterno. Sl.90:2. 
4. A Palavra de Deus é eterna. Is. 40:8. 
5. Sua graça e Sua misericórdia são eternas. Sl. 100:5; 106:1. 
6. Seu reino é eterno. Sl. 145:13; 2 Pe. 1:11. 


471. O QUE É O CÉU? 
1. Uma cidade gloriosa. Ap. 21:10-27; Hb. 13:14. 
2. Um reino eterno e permanente. 2 Pe.1:11; Mt. 6:20; 2 Co. 5:1. 
3. Um lindo lar e casa paterna. Jo. 14:2. 
4. O paraíso. 2 Co. 12:4. 
5. Um lugar de descanso. Hb. 4:9; Ap. 14:13. 
6. Uma linda paisagem (Monte Sião). Ap. 14:1; Hb. 12:22. 
7. Uma pátria. Hb. l1:14-16. 

472. SETE GLÓRIAS DOS REMIDOS. AP. 22:3-5. 
1. Não haverá mais maldição. Zc. 14:11. 
2. O trono do Cordeiro é o centro. 
3. Um olhar permanente de Deus. 
4. Um serviço glorioso: Seus servos servi-lO-ão. 
5. Uma gloriosa condecoração: eles levam o nome de Deus. 
6. Não haverá mais trevas, nem noite: Deus será sua luz. 
7. Eles reinarão com Cristo. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *