BIOGRAFIAS  DO  ANTIGO  TESTAMENTO.

651. CAIM.
Da mesma forma como a fé e a obediência se relacionam, assim também a incredulidade e a desobediência.
O incrédulo:
1. Anda em seus próprios caminhos. Jd. 10,11; Pv. 14:12; Is. 55:8.
2. É condenado por Deus. Gn. 4:5 ; Jo. 3:36.
Abel trouxe um holocausto agradável a Deus. Lv. 9:24; Jz. 6:21; 1 Rs. 18:38; 1 Cr. 21:26; 2 Cr. 7:1. O fogo do alto manifestava o agrado de Deus ao sacrifício e ao caráter do ofertante. Caim foi presunçoso; por isso seu sacrifício surgiu de uma falsa mentalidade e foi rejeitado por Deus.
3. Não se humilha, irrita-se com os caminhos de Deus.
A soberba de Caim era abominação para Deus. l Pe. 5:5b.
4. Age conforme sua própria vontade. Gn. 4:7.
O problema estava em Caim e na sua constante rejeição de Deus. Por isso seu sacrifício não foi agradável a Deus, como o de Abel. Assim, tornou-se arquétipo do anticristo.
5. Causa sua própria infelicidade como Caim.
Seu ódio foi contra o seu irmão crente e o incitou ao fratricídio. Gn. 4:8; 1 Jo. 3:12,15.
O primeiro homicídio concretizou-se já na segunda geração. O último e grande assassino será o anticristo.
6. Não escapa do seu castigo.
Rejeitou a Cristo, o sacrifico único para todos. Gn. 4:11-13. Quem não aceitar a Cristo como seu único Salvador, já está julgado. At. 4:12; Jo. 3:18.

652. ABEL.
Logo no começo da Bíblia e por toda Escritura Sagrada vemos duas linhas marcantes: a dos crentes e a dos incrédulos; filhos de Deus e filhos do maligno (Satanás); justos e injustos. Abel foi um homem de fé, nele vemos uma imagem agradável do homem para Deus.
A) Confiança em Deus e no seu sacrifício pelo pecado.
B) Consagração a Deus.
C) Comunhão com Deus.
1. A fé verdadeira age segundo os pensamentos de Deus. Hb. 11:4.
É dirigida pela palavra de Deus e não por vontade própria como Caim. Certamente Caim também conhecia a vontade de Deus tão bem quanto seu irmão, mas não a seguiu.
2. A fé verdadeira é aceita por Deus. Gn. 4:4.
Deus olhou, com agrado, para o sacrifício de Abel, como, mais tarde, para o de Seu Filho. Mt. 3:17. Somente em Cristo somos agradáveis a Deus. Ef. 1:5.
3. A fé verdadeira é odiada e perseguida pela incredulidade. Gn. 4:4,5.
Veja exemplos como Caim e Abel, Saul e Davi, os fariseus e o Senhor Jesus e mais tarde, a igreja perseguida. Jo. 17:14-16. Cada novo convertido experimenta logo o ódio dos incrédulos que o rodeiam. l Jo. 3:13; Mt. 10:22; Jo. 15:20. As trevas odeiam a luz.
4. A fé verdadeira recebe a aprovação divina. Mt. 23:35; Lc. 11:50,51; Hb. 11:4; 12:23; 1 Jo. 3:12.
Deus sente as necessidades daqueles que sofrem por causa do Seu Nome, como se fossem Suas próprias necessidades. At. 9:5; Zc. 2:8.

653. ENOQUE.
1. Era um filho de Jerede. Gn. 5:18.
2. Teve uma fé viva em Deus. Hb. 11:5.
3. Pela fé, possuiu o agrado de Deus. Hb. 11:5.
4. Testemunhou da salvação obtida. Jd. 14.
5. Andou em comunhão com Deus. Gn. 5:22.
6. Foi o primeiro a ser trasladado por Deus. Hb. 11:5.
7. Somente a fé verdadeira conduz ao arrebatamento.

654. ENOQUE.
Seu nome significa “consagrado a Deus”. Certamente teve pais piedosos que consagraram a Deus.
1. Enoque foi o sétimo a partir de Adão. Jd. 14.
2. Foi o primeiro a profetizar a vinda de Jesus.
3. Certamente teve muitos filhos. Gn. 5:21,22.
Em famílias assim existem muitas dificuldades, mesmo assim Enoque andava com Deus. Gn. 5:22; Sl. 16:8.
4. A trasladação de Enoque é:
– Uma prova de fé viva.
– Uma honra para Deus. Sl. 116:15.
– Uma prova da redenção do corpo. Fp. 3:21.
– Uma advertência séria para os que ficaram.

655. NOÉ.
1. Seu nome significa “consolo, repouso”. Gn. 5:29.
2. Achou graça diante de Deus. Gn. 6:8.
3. Foi um homem justo. Gn. 6:9.
4. Andou com Deus. Gn. 6:9; Fp. 2:5.
5. Seu testemunho foi intocável. Gn. 6:9; 1 Sm. 12:3,4; At. 24:16.

656. O QUE DEUS FEZ DE NOÉ.
1. Fez dele Seu confidente, como Abraão. Gn. 18:16 ss.
2. Seu amigo. Compare Gn. 6:13 ss. com Jo. 15:14.
3. Um pregador da justiça. 2 Pe. 2:5.
4. O pai das gerações vindouras.
5. O portador da promessa. Gn. 6:18.
6. Um monumento da graça, como Paulo. 1 Tm. 1:16.
– O tempo de Noé é uma indicação para o nosso tempo. Mt. 24:37.

657. TERÁ, O PAI DE ABRÃO. GN. 11:31,32.
1. Descendia de Sem, a semente da promessa. Gn. 9:26,27; 11:10 ss.
2. Apesar disso, foi um idólatra. Js. 24:2.
3. Recebeu conhecimento da salvação através de Abrão, com quem ele também se pôs a caminho para Canaã.
4. Terá fez um bom começo, mas chegou apenas até Harã.
5. Sua influência negativa: impedia Abrão de seguir sua viagem.
6. Seu fim: não entrou na terra da promessa.

658. O CHAMADO DE DEUS A ABRÃO. GN. 12.
– Era um chamado para separação.
– Partia de Deus. V.1.
– Devia deixar sua pátria, seus amigos, e até a casa de seu pai. Mt. 19: 27; Lc. 14:33.
1. A promessa que resultou do chamado.
a) Uma terra maravilhosa como herança. V. l.
b) Uma maravilhosa missão: ser uma bênção. V.2.
c) Ser uma bênção para todas as famílias da terra. V.3.
2. Como Abrão avaliou este chamado.
a) Respondeu-o com obediência, como de uma criança.
b) Sua saída foi imediata. V.5.
c) Deixou tudo. Mt. 19:27; Fp. 3:7.
3. O que Abrão experimentou depois da saída.
a) Uma maravilhosa revelação de Deus. V.7.
b) Recebeu uma grande promessa. V.7.
c) Seu coração estava cheio de adoração a Deus. V.7.
d) Anunciou a Deus em sua nova circunvizinhança.

659. LÓ, UM MEIO FILHO DE DEUS. GN. 13
1. Ló aceitou, sem hesitar, o que Deus havia prometido a Abrão. 13:10,11.
2. Abandonou a comunhão com os crentes. 13:11.
3. Estabeleceu-se em Sodoma (comunhão com o mundo). 13:12.
4. Foi aprisionado e perdeu seus bens. 14:12.
5. Foi salvo por Abrão. 14:14-16.
6. Casou suas filhas com incrédulos. 19:14.
7. Contudo, ao final, foi salvo. 2 Pe. 2:6-8.

660. MELQUISEDEQUE. GN. 14, HB. 7.
Era uma personalidade muito importante, maior do que Abrão. Ele levava o título “rei da justiça” e “rei da paz”. Sobretudo ele foi comparado com o Filho de Deus.
1. A aparição de Melquisedeque.
Encontrou Abrão após a batalha dos reis e o abençoou. Abrão recebeu esta bênção antes do rei dos sodomitas tentar homenageá-lo, de modo que Abrão rejeitou qualquer outra homenagem. Jo. 5:44.
2. A personalidade misteriosa.
Nós não sabemos de onde veio e para onde foi, conhecemos somente seu ministério abençoado. Um exemplo para servos de Deus.
3. Seus três títulos.
a) Rei da justiça;
b) Rei da paz;
c) Sacerdote do Deus Altíssimo.
Ele é um modelo de Cristo e dos crentes. Ap. 1:6.
4. Seu ministério.
Condiz com seus títulos. Melquisedeque abençoou Abrão “em nome do Deus Altíssimo”. Também fortificou Abrão com pão e vinho. Quem experimentou o pão e o vinho de Melquisedeque não deseja mais os bens de Sodoma. A grande importância de Melquisedeque está no fato de apontar para Jesus e sua dádiva. Jo. 6:31-36.
5. O efeito desse encontro.
Abrão deu-lhe o dízimo de tudo que possuía.

661. HAGAR, OU: DUAS PERGUNTAS IMPORTANTES. GN. 16:8.
Donde, para onde – são duas perguntas importantes e muito discutidas. Donde venho, e para onde vou? Somente a Escritura pode respondê-las. Foram dirigidas por um anjo a uma simples serva.
Nós ouvimos estas perguntas desde Adão até o Trono branco.
1. Donde você vem?
Hagar havia fugido do melhor lar do país e foi barrada por Deus em uma fonte no deserto.
Como foi barrada? Não com repreensões, porém com as perguntas: donde vens e para onde vais?
Hagar devia confessar voluntariamente seu caminho errante e certamente o fez. Isto nos mostra o final da história.
2. Para onde você quer ir?
Todos nós sabemos donde viemos, conhecemos nosso passado. Mas para onde vamos, onde passaremos a eternidade, isto muitos não podem e não querem responder.
3. O anjo ordenou: Volte! V.9.
A princípio, foi muito duro, porque ela deveria se humilhar. Não é a soberba que impede muitos de tomarem o caminho de volta?
4. Uma grande promessa. V.10.
O que os convertidos recebem?
a) Perdão. Is. 55:7; Ez. 33:11; Sl. 130:4; Lc. 15:22 ss.
b) Paz com Deus. Ef. 2:14,15; Cl. 1:20.
c) Um novo coração. Ez. 11:19; 36:26.
d) O Espírito Santo. At. 2:38; Mt. 28:19; Rm. 8:15,16.
e) Um novo ministério. l Ts. 1:9.

662. A MULHER DE LÓ. GN. 19.
1. A esposa de Ló partiu junto com Abrão e andou muito tempo com o povo de Deus.
2. Desejou os bens de Sodoma e escolheu uma cidade atéia como sua residência.
3. Abrão orou por ela. Gn. 18.
4. Deus ouviu as orações. Gn.19:15,22.
5. Foi advertida insistentemente pelos anjos. Gn.19:17.
6. Hesitou muito para sair. Gn. 19:16.
7. Olhou para trás desobedecendo a ordem de Deus. Gn,19:26.
8. Pereceu, apesar de a salvação estar tão perto. Gn.19:26.

663. A EXPERIÊNCIA DA VIAGEM DE JACÓ. GN. 28.
1. O motivo da viagem.
Seu pecado obrigou-o a fugir. Gn. 27:41-45.
2. A experiência.
Jacó chegou a uma cidade, chamada Luz. V.19.
E pousou precariamente fora da cidade. Ali, provavelmente, refletiu:
a) Sobre seu passado pecaminoso.
Duas vezes enganou Esaú e até seu pai Isaque. Gn.27:19,36.
Seu pecado separou-o do pai e colocou-o em perigo. Gn. 27:41; Rm. 6:23.
b) Sobre seu futuro incerto.
Como Labão me receberá? Regressarei em segurança? Esaú irá me prejudicar?
O pecador odiado pelos homens é amado e procurado por Deus.
3. A misericórdia divina. Mt. 12:20.
Deus encontrou Jacó em sonho.
a) Jacó viu uma escada.
Uma figura da cruz, a única e verdadeira saída para todo o pecador. Ela atinge o céu.
b) Viu anjos de Deus subindo e descendo. V.12.
Alegram-se pelo pecador que se arrepende. Lc. 15:10.
c) Viu o Senhor. V.13.
Cheio de misericórdia o Senhor olhou para ele e lhe prometeu uma grande bênção:
“Eis que estou contigo, e te guardarei e te farei voltar”. V.15.
4. Jacó acordou do seu sonho.
Impressionado com a bondade e misericórdia de Deus, prometeu três cousas:
a) Que o Deus dos seus pais seria seu Deus.
b) Que aquela pedra seria um memorial. (Betel = casa de Deus).
c) Que daria o dízimo a Deus.

664. UM SINAL DE ADVERTÊNCIA. GN. 27.
Esta é a história de Esaú.
1. Seus muitos privilégios.
a) Era filho de pais crentes.
b) Criou-se no lar mais piedoso do seu tempo.
c) Como primogênito, era o herdeiro natural da promessa.
2. Sua leviandade.
a) Esaú não viveu para Deus, mas para seus próprios prazeres.
b) A bênção de Deus era para ele coisa secundária. Gn. 25:32; Hb. 12:16,17; Ap. 21:8.
c) Causou grande desgosto a seus pais. Gn. 26:35.
3. Seu despertar tardio.
a) Despertou quando a benção já havia sido dada. Gn. 27:33 ss.
b) Procurou, como as virgens néscias, quando já era tarde demais.
c) Seu arrependimento era falso, porque depois quis matar seu irmão.

665. O SOFRIMENTO DE JOSÉ – O SOFRIMENTO DE JESUS. GN. 37.
1. José foi odiado por seus irmãos. V.8; Jo. 15:25.
2. Invejaram-no. V.11; Mt. 27:18; At. 7:9.
3. Conspiraram contra ele. V.18; Mt. 21:38.
4. Tentaram matá-lo. V.20; Jo. 5:16-18.
5. Foi despido. V.23; Mt. 27:28,35.
6. Foi aprisionado. V.28; Mc. 14:46; 15:1.
7. Foi vendido por 20 ciclos de prata. V.28; Mt. 26:15; 27:3.

666. SETE DESCULPAS DE UM SERVO DE DEUS.
1. Quem sou eu para ir ao Faraó? Êx. 3:11.
2. Que lhes direi? Êx. 3:13.
3. Israel não crerá nas minhas palavras! Êx. 4:1.
4. Não sou um bom orador! Êx. 4:10.
5. Envie um outro homem! Êx. 4:13.
6. Os filhos de Israel não Me ouvem, como Me ouvirá faraó? Êx. 6:12.
7. Eu não sei falar bem, portanto indigno! Êx. 6:30.

667. ARÃO.
Arão era filho de pais crentes.
1. Seus privilégios.
a) Tornou-se porta-voz do tímido Moisés. Êx.2:1-10.
b) O próprio Deus chamou-o de profeta. Êx. 4:16.
c) Tomou-se pai do sacerdócio levítico. Êx. 7:1.
d) Deus confirmou seu sacerdócio. Êx. 28:1,2.
e) Experimentou a mais íntima comunhão com Deus. Nm. 17:13; 18.
f) Transmitiu a Israel a bênção sacerdotal. Êx. 19:24.
2. Sua falha. Nm. 6:22-27.
a) Seduziu Israel a cometer um pecado terrível. Êx. 32:2-4.
b) Concordou com o pecado de Miriã. Nm. 12.
3. Seu fim.
a) Por causa do pecado não entrou em Canaã. Nm.20:24.
b) Morreu no monte Hor, aos cento e vinte e três anos. Nm. 20:23-29; 33:39.

668. MOISÉS, O SERVO DE DEUS, CONFORME NÚMEROS 12.
1. Sua humildade: era afamo, riais do que todos os homens. V.3.
2. Sua comunhão extraordinária com Deus. V.6.
3. Seu relacionamento íntimo com Deus. V.8.
4. Sua boa fama: era fiel em todo seu ministério. V.7.
5. Seus problemas : difamado e invejado pelos próprios irmãos. V.2.
6. Seu amor fraternal: orou por seus difamadores. V.13.
7. Deus atendeu as suas súplicas. V.14.

669. A INVEJA, UM GRANDE MAL.
– O amor não é invejoso (ciumento). l Co. 13:4.
– A inveja é a podridão dos ossos. Pv. 14:30.
– Jesus foi entregue por causa dela. Mt. 27:18.
– Foi o motivo de perseguições. At. 5:17; 13:45.
– Move os corações incrédulos contra os filhos de Deus. At. 17:5; 7:9.
– É demoníaca. Tg. 3:14-16.
– Faz parte das obras da carne. Gl. 5:21.
– O difamador peca de múltiplas maneiras:
a) Contra o Senhor.
b) Contra aquele, quem difama.
c) Contra aqueles, perante quais ele difama.
d) Contra si mesmo.
1. Qual a razão da inveja de Miriã?
a) Inveja da família, porque não concordou com o casamento de Moisés. Nm. 12:1.
b) Ambição pessoal, porque Moisés era maior do que ela. Nm. 12:2.
2. As conseqüências do pecado.
a) Miriã ficou leprosa. Nm. 12:10.
b) Foi excluída da comunidade. Nm. 12:14.
c) Atrapalhou Israel no seu caminho. Nm. 12:15,16.
3. A intervenção divina.
a) Foi uma extraordinária justificação para Moisés. Nm. 12:6-8.
b) Uma humilhação para Arão. Nm. 12:11.
4. Moisés, o servo exemplar.
a) Conseguiu calar-se.
b) Manifestou o caráter de Cristo. 1 Pe. 2:23.
c) Orou pela difamadora. Nm. 12:13.

670. CALEBE. NM. 14:24; JS. 14:6-15.
1. Seu caráter nobre.
a) Era um seguidor fiel. Nm.14:24.
b) Era um homem honesto. Js. 14:7.
c) Era cheio do amor fraternal; chamou aos rebeldes de seus irmãos. Js. 14:8.
d) Tinha um espírito diferente. Nm. 14:24.
e) Era decidido no agir. Nm. 13 :30.
2. Sua fé.
a) Calebe firmava-se na promessa.
b) Cria na palavra do Senhor. Nm. 14:24; 2 Co. 5:7.
c) Tinha certeza da vitória. Nm. 13:30.
d) Esperou 45 anos pela promessa, sem vacilar. Js. 14:10.
3. Sua atitude inabalável.
a) Seguia fielmente ao Senhor. Js. 14:8.
b) Testemunhou da fidelidade de Deus entre os incrédulos. Nm. 14:1-9.
c) Permanecia fiel, apesar de grandes ameaças. Nm. 14:10.
4. Seu galardão.
a) Calebe pôde entrar na terra de Canaã.
b) Obteve Hebrom, que significa comunhão, como herança.
c) Deus deu-lhe uma saudável e longa vida. Js. 14:11.
d) Teve uma família ricamente abençoada. Js. 15:19.
e) Tornou-se uma bênção para todos os tempos.

671. O CAMINHO PARA O SUCESSO. JS. 1.
Obter sucesso é o desejo de todos os homens. No capítulo 1 de Josué temos boas indicações para isso.
1. Josué foi chamado por Deus para o serviço. V.2.
2. Deus mostrou-lhe claramente sua tarefa. Vv.1,2.
3. Deus deu-lhe uma grande promessa. Vv.3,4.
4. Josué recebeu a confirmação da vitória. V.5.
5. Pode contar com a presença de Deus. V.5.
6. A ordem de Deus era: “Sê forte e mui corajoso”. V.7.
7. A base para o sucesso é a palavra. V.8.
8. Assim serás bem sucedido. V.8.

672. A FÉ DE RAABE. Js. 2.
1. Seu nome significa “insolência”.
2. Seu caráter: foi uma grande pecadora. Vv.1,3.
3. Seu grande perigo: a ameaça do juízo sobre Jericó.
4. A advertência recebida: os mensageiros de Deus falaram com ela.
5. Sua fé: recebeu a mensagem. Hb. 11:31.
6. Sua confissão: pendurou um cordão na janela. Vv.18,21.
7. Seu desejo de salvar outros: salvou a sua casa. V.13.
8. Seu desejo pela garantia da salvação. Vv.12-14.
9. Sua salvação definitiva. Js. 6:25; Mt. 1:5.

673. DÉBORA, UMA HEROÍNA EM ISRAEL. JZ. 4 E 5.
1. Seu caráter.
a) Era uma mulher consagrada a Deus.
b) Também era uma profetisa. 4:4,5.
c) Era uma juíza, do mesmo modo como Deus dava juízes a Israel em tempos difíceis. Dt. 17:8,9.
d) Tinha uma fé plena, e vivia em comunhão com Deus. 4:6.
e) Era muito modesta, abnegada, apesar da mulher ser considerada parte mais frágil. 1 Pe. 3:7. Porém, possuiu grande coragem.
2. O tempo difícil em que ela viveu.
a) Era um tempo de idolatria aberta.
b) De castigo divino sobre Israel. 4:2.
c) De grande sofrimento e tribulação. 4:3.
3. O refúgio seguro de Débora.
a) Para ela, era o Deus de Israel. 4:3.
b) Confiava nas promessas e ordens de Deus. 4:6.
4. Sua grande vitória. 4:15-24.
Débora deu toda glória e honra a Deus. 5.

674. SANSÃO COMPARADO COM JESUS CRISTO.
1. Seu nascimento foi anunciado por um anjo. Jz. 13:3-5.
O mesmo aconteceu com o Senhor. Lc. 1:30.
2. Sansão foi um nazireu de Deus. Jz. 13:5; Nm. 6:2.
Nosso Senhor era o Filho amado de Deus e consagrado ao ministério da salvação. Mt. 3:16,17.
3. Agiu no poder do Espírito. Jz. 13:25; 14:6; 15:14.
Isto, nos vemos com maior evidência no Senhor. Lc. 3:22; 4:1,14,18.
4. Foi poderoso contra seus inimigos. Jz. 15:15.
Jesus venceu todos os inimigos. Hb. 2:14; 1 Co. 15:24-26.
5. Conquistou sua maior vitória na morte e libertou Israel. Jz. 16:30.
Nosso Senhor clamou: “Está consumado!”, libertando-nos dos nossos pecados.

675. ANA, UMA MÃE EM ISRAEL. I SM.
1. Era muito amada por seu marido. 1:5.
2. Era atormentada e afligida. 1:7.
3. Era uma mulher séria e constante na oração. 1:10,12.
4. Era uma serva humilde do Senhor. 1:16,18.
5. Creu na promessa divina. 1:17-19.
6. Fez um voto e o cumpriu pontualmente. 1:11,28.
7. Deus recompensou seu sacrifício ricamente. 2:21.
8. Ana glorificou a graça e a fidelidade de Deus. 2:1-10.

676. Os FILHOS DE ELI. I SM. 2-4.
1. Seu grande privilégio (sacerdotes de Deus).
2. Seu caráter baixo e infame. 2:12 ss.
3. Seus graves pecados. 2:17.
4. Sua teimosia e dureza de coração. 2:25.
5. A advertência divina. 2:3,29-34; 3:11.
6. O juízo terrível. 4:1 1.

677. SAMUEL. I SM.
1. Teve uma mocidade abençoada. 2:18.
2. Foi chamado bem cedo por Deus. 3:4.
3. Respondeu prontamente ao chamado. 3:10.
4. Foi corajoso e destemido. 3:18;13:13;15:16-29.
5. Foi um homem de oração. 7:8; 8:6.
6. Foi um profeta revestido com a autoridade dada por Deus. 3:19; 8:22.
7. Foi um juiz de Israel muito fiel. 7:15-17.

678. UM RETRADO DE DAVI EM 1 SAMUEL 18.
1. Davi foi um homem estimado por todo povo. V.5.
2. Foi um homem perseguido pelo rei Saul. V.11.
3. Deus era com ele. Vv.14,28.
4. Foi amado por todo povo. V.16.
5. Foi um homem bastante humilde. V.18.
6. Foi um herói vitorioso. V.27.
7. Foi um homem honrado e respeitado. V.30.

679. O CAMINHO DE SAUL PARA A PERDIÇÃO.
1. Sua obediência incompleta para com Deus. 1 Sm. 15.
2. Seu orgulho ilimitado. 1 Sm. 18:8-11.
3. Sua inveja e seu ciúme. 1 Sm. 18:8.
4. Seu grande ódio contra Davi. 1 Sm. 18:11,25; 19:10 ss.
5. Sua chacina contra os sacerdotes de Deus. l Sm. 22:18,19.
6. Seu envolvimento na feitiçaria. 1 Sm. 28.
7. Seu fim trágico no suicídio. 1 Sm. 31.

680. ABIGAIL. I SM. 25.
1. Sua beleza.
a) Ela estava no seu nome, que significa “Meu pai é alegria”.
b) Na sua aparência, porque era formosa. V.3.
c) No seu caráter, era humilde e sensata. V.3.
2. Sua fé.
a) Reconheceu, que Deus estava com Davi. V.28.
b) Viu nele o príncipe de Israel. V.30.
3. Sua obra.
a) Cuidou do rei que estava em fuga. V.27.
b) Alegrou Davi através do seu agir sensato e evitou que ele cometesse um grave pecado. Vv.32-34.
4. Sua recompensa.
a) Tornou-se rainha em Israel e foi grandemente honrada. V.40.

681. SALOMÃO EM BOM CAMINHO. I RS. 3.
1. Sua obra: construiu a casa do Senhor. V.1.
2. Seu amor: amou a Deus. V.3.
3. Seu andar: como o de seu pai Davi. V.3.
4. Seu culto a Deus: ofereceu muitos sacrifícios. V.4.
5. Sua humilde petição :pediu um coração compreensivo. V.9.
6. Sua sabedoria foi a maior de todas. Vv.12,16-28.
7. Sua riqueza foi incontável. V.13.
8. Sua profunda gratidão. V.15.

682. A RAINHA DE SABÁ. l RS. 10.
1. Foi uma pessoa famosa: uma rainha.
2. Ouviu da boa fama de Salomão em todo o mundo. Vv.1,24.
3. Estava intimamente comovida, tinha muitas perguntas. V.1.
4. Encontrou plena satisfação: o rei respondeu todas as suas perguntas.
5. O rei superou todas as suas expectativas. Vv.6,7.
6. Seu testemunho entusiasmado. Vv.8,9.
7. Deu muitos presentes em profunda gratidão. V.10.
8. Enriquecida grandemente, voltou para casa. V.13.
9. É uma advertência para todos os incrédulos. Mt. 12:42.

683. NÃO VOS ENGANEIS! GL. 6:7; 1 RS. 13.
Paulo escreve: “…, tendo começado no Espírito, estejais agora vos aperfeiçoando na carne?” Gl. 3:3.
Assim, devemos concluir em relação à mensagem de 1 Reis 13:
1. Um homem de Deus, um profeta. V.1.
2. Veio com uma mensagem do Senhor. V.1; 1 Pe. 4:10,11.
3. Foi uma testemunha destemida. V2.
4. Deus confirmou seu testemunho. Vv.4,5.
5. Inicialmente, foi obediente e não desejou bens materiais. Vv.7,8.
6. Depois, porém, sucumbiu à tentação. Vv.18,19.
7. Desobedeceu à ordem de Deus. Vv.20-22.
8. Sofreu as conseqüências do seu pecado. V24.
9. Um profeta também pode tornar-se um tentador. V.18.

684. ELIAS, UM HOMEM ABENÇOADO. I RS. 17.
1. Foi humano como nós. Tg. 5:17.
2. Foi poderoso na aliança com Deus. Tg. 5:17,18.
3. Foi uma testemunha destemida. 1 Rs. 17:1; 18:15.
4. Foi um homem sustentado por Deus. 1 Rs. 17:4-6.
5. Foi um homem perseguido. 1 Rs. 18:10; 19:2
6. Mas também foi um homem aprovado por Deus. 2 Rs. 2:11.

685. ELIAS SOZINHO. l RS. 17.
1. Na oração. Tg. 5:17,18.
2. Diante de Acabe. 1 Rs. 17:1.
3. Na torrente de Querite. 1 Rs. 17:3-7.
4. Com a viúva. 1 Rs. 17:9-11.
5. Como falecido. 1 Rs. 17:19-22.
6. No deserto. 1 Rs. 19:3,4.
7. Diante de Deus. 1 Rs. 19:11-18. 686.

686. MICAÍAS! RS. 22.
1. Um profeta em tempos difíceis. V.8.
2. Familiarizado com os pensamentos de Deus. V.8.
3. Um homem corajoso. Vv.17-23.
4. Odiado por causa do seu testemunho. Vv.8,18.
5. Um mensageiro desprezado e perseguido. V.24.
6. Um servo sofredor de Deus. Vv.26,27.
7. Comprometido com sua palavra. V.28.
8. Sua profecia cumpriu-se. Vv.34-40.

687. NAAMÃ. 2 RS. 5.
1. Foi um vitorioso comandante do exército da Síria. V.1.
2. Rico, bem sucedido e conceituado diante do rei. V.1.
3. Era leproso. (Lepra – símbolo do pecado). V.1.
4. Foi um homem que procurava. VV.4,5.
5. Procurou em lugares errados. Vv.6,7.
6. Desprezou a mensagem do profeta. Vv.10-12.
7. Finalmente, chegou à conclusão correta. Vv.13,14.
8. Seguiu a ordem e foi curado. V.14.

688. UMA SERVA EXEMPLAR. 2 RS. 5.
1. A jovem israelita foi uma escrava. V.2.
2. Testemunhava fielmente de Deus em terra distante. V.3.
3. Era cheia de compaixão e de misericórdia. V.3.
4. Anunciava as grandes obras de Deus, feitas através do profeta. V.3.
5. Aceitaram e creram em seu conselho. V.5.
6. Tornou-se o instrumento para a salvação do seu Senhor. Vv.14,15.

689. UM SERVO INDIGNO. 2 RS. 5:20-27.
1. Geazi viveu na companhia santificada de Eliseu.
2. Viu grandes sinais e milagres, porém, não se converteu.
3. A sua mente estava presa nas coisas terrenas. l Tm. 6:9,10.
4. Escandalizou a Naamã e seus companheiros. Vv.21-24; Mt. 18:6.
5. Mentiu ao seu fiel Senhor e encobriu seu pecado. V.25; Sl. 32:3,4; Js. 7.
6. Deus revelou sua hipocrisia. V.26; At. 5:1-11.
7. Deus julgou seu pecado. V.27.
8. Geazi tomou-se maldição para sua família. V.27.

690. EZEQUIAS. 2 RS. 18.
1. Sua grande confiança em Deus.
a) Ele apegou-se de todo coração a Deus. Vv.3-5.
b) Seu coração era totalmente de Deus. 2 Cr. 16:9; V.5.
c) Manteve-se firme na palavra de Deus. V.6.
2. O que Deus fez por Ezequias.
Deus estava com ele e deu-lhe grande êxito no seu agir. V.7.
3. O que Ezequias fez por Deus.
a) Fez o que agradou a Deus. V.3.
b) Eliminou os ídolos. V.4.
c) Foi mais piedoso do que todos os seus antecessores. V.5.
d) Separou-se dos incrédulos. V.7.
e) Conseguiu grandes vitórias sobre seus inimigos. V.8.

691. UZIAS, UM BOM COMEÇO. 2 CR. 26:3-16.
1. Fez o que era reto perante os olhos do Senhor. V.4.
2. Recebeu a bênção de Deus. V.5.
3. Venceu todos os seus inimigos. Vv.6,7.
4. Teve cooperadores fiéis. Vv.11-13.
5. Fez grandes invenções. V.15.
6. Sua fama divulgou-se até muito longe. V.15.
7. Foi ajudado maravilhosamente. V.15.

692. OS CAMINHOS DA DISCIPLINA DE DEUS COM UZIAS. 2 CR. 26.
1. Deus educou Uzias pelo exemplo negativo de seu pai. 25:14-28.
2. Educou-o através de sua mãe. V.3.
3. Por meio do profeta Zacarias, o educador. V.5.
4. Através de benefícios, sucesso, honra e riqueza. V.8 ss.
5. Por Sua palavra.
6. Por meio da advertência dos sacerdotes. V.17 ss.
7. Pela lepra. V.21.

693. A HISTÓRIA DO PECADO E DO PERDÃO DO REI MANASSÉS.
Sob o reinado de Manassés, Judá chegou ao auge da apostasia.
1. A história do seu pecado. 2 Cr. 33.
a) Ele resistiu grandemente à influência divina, que Ezequias seu pai, um homem piedoso, exerceu sobre ele. 2 Rs. 18:5.
b) Manassés prostrou-se diante dos ídolos. Vv.3,4.
c) Destruiu os altares de Deus no templo. V.5.
d) Sacrificou seus filhos como oferta a Moloque. V.6; Lv. 18:21.
e) Também fez uma imagem de escultura. V.7.
f) Com isso, tomou-se um exemplo do anticristo. 2 Ts. 2:4; Ap. 13:14.
g) Induziu outros a cometerem pecado. V.9.
h) Não deu ouvidos à advertência divina. V.10.
2. A história do seu perdão.
a) Começou com grande aflição. V.11.
b) Humilhou-se diante de Deus. Vv.12,13.
c) Reconstruiu os muros. V.14.
d) Fortificou Judá. V.14.
e) Eliminou os ídolos. V.15; 2 Tm. 2:19.
f) Purificou o templo. V.15; Jo. 14:23.
g) Restaurou o altar destruído. V.16.
h) Conduziu outros a Deus. V.16.

694. OS QUE CEDO ME BUSCAM… 2 CR. 34 E 35; PV. 8:17.
1. Josias, ainda moço, buscou a Deus e O serviu. 34:3.
2. Escolheu para si um bom exemplo (Davi). 2 Rs. 22:2.
3. Eliminou toda idolatria e falsidade religiosa. 34=3-7.
4. Restaurou o culto ao Deus verdadeiro. 34:8-13.
5. Deu atenção para a palavra de Deus. 34:15,18.
6. A palavra de Deus tocou-o profundamente. 34:19.
7. Consagrou-se, inteiramente, a Deus. 34;27.
8. Influenciou, beneficamente, seu povo. 35.
9. O seu fim trágico. 35:20-27.

695. A PROFETISA HULDA. 2 CR. 34.
1. Foi consultada pelo rei. V.21.
2. Foi uma serva fiel de Deus em Jerusalém. Vv.22,23.
3. Josias e Hilquias reconheceram o seu ministério. V.22.
4. Recebia revelações de Deus. V.23.
5. Anunciou a verdade destemidamente. Vv.24,25.
6. Ajudava aqueles que buscavam a Deus. Vv.26-28.
7. A sua mensagem era aceita e bem sucedida.

696. A MULHER VIRTUOSA. PV. 31:10-31; 1 PE. 3:1-6.
1. É digna de confiança: seu marido confia nela. V.11.
2. É prestativa: faz o bem. V.12.
3. É trabalhadora. Vv.13-15,19,22.
4. É cuidadosa, e adquire uma propriedade. V.16.
5. Fala com sabedoria. V.26.
6. Influencia e é aceita: é louvada por seus filhos. Vv.28,29.
7. É despreocupada e olha confiantemente para o futuro. V.25.

697. O SERVO DE DEUS. IS. 50:4-9.
1. Sua sabedoria: possui língua de eruditos. V.4.
2. Sua missão: consolar aos cansados. V.4.
3. Sua obediência: ouve a palavra e não é rebelde. V.5.
4. Seu sofrimento é indescritível: suporta-o sem protesto. V.6.
5. Sua confiança: “O Senhor ajuda-me”. Vv.7,9.
6. Sua fé: “Aquele que me justifica está perto”. V.8.
7. Seu desafio aos adversários: “Apresentemo-nos juntamente”. V.8.

698. O SENHOR, COMO SERVO, EM ISAÍAS 52 E 53.
1. É chamado de servo prudente. 52:13.
2. E o servo sublime. 52:13.
– Isto pela ressurreição e ascensão à destra de Deus. At. 3:15; Ef. 1:20.
– Por meio do grande Nome. Ap. 19:16.
– Todos se prostrarão diante dEle. Fp. 2:9-11.
3. O servo humilhado. 53:2.
4. Sofredor. 53:3.
5. Submisso. 53:4.
6. Que carregou a iniqüidade de todos. 53:6.
7. Justo e honrado no devido tempo. 53:11,12.

699. A VOCAÇÃO DE JEREMIAS. JR. 1.
1. Deus conhecia Jeremias antes de ser formado. V.5.
2. Separou-o antes de ter nascido. V.5.
3. Constituiu-o como profeta sobre as nações. V.7.
4. Enviou-o: “A todos a quem eu te enviar”. V.7.
5. Ordenou-lhe: “Fale o que eu te mandar”. V.7.
6. Animou-o: “Não temas, eu estou contigo”. V.8.
7. Falou através dele: “Eis que ponho na tua boca as minhas palavras”. V.9.

700. EBEDE-MELEQUE O SALVADOR DE JEREMIAS – CRISTO, SALVADOR DE TODOS. JR. 38 E 39
Ebede-Meleque apareceu como um raio de sol numa hora escura e tornou-se assim uma figura maravilhosa do evangelho de Cristo.
1. Os príncipes lançaram Jeremias na cisterna.
Pelo pecado, caímos num poço de perdição. Sl. 40:2.
2. Ebede-Meleque tentou salvar Jeremias. 38:7 ss.
Da mesma forma o Senhor veio para salvar-nos. Mc. 10:45; 1 Tm. 2:6.
3. Ebede-Meleque agiu conforme a ordem do rei. 38: 10.
O Senhor veio como enviado do Pai. Jo. 17:4; Hb. 10:9.
4. Ebede-Meleque procurou meios para salvar o profeta. 38:11.
O Senhor utiliza seus filhos para transmitir sua mensagem. Jo. 20:21; At. 4:12.
5. Jeremias foi salvo pelo cumprimento da ordem recebida. 38:12.
Nós fomos salvos através da fé na Palavra de Cristo. Jo. 5:24.
6. Jeremias pôde confiar no juramento do rei. 38:16.
Nós podemos confiar na salvação que vem do Senhor. Jo. 10:28.
7. Ebede-Meleque foi recompensado. 39:16-18.
Cristo recompensa seus servos e mensageiros. Ap. 11:18; Ef. 1:3.

701. EZEQUIEL.
1. Sua situação externa.
Um prisioneiro. 1:1.
– Uma situação difícil, mas em comunhão com Deus.

2. Sua vocação.
a) Foi chamado por Deus. 2:1.
b) Foi revestido por Deus. 2:2.
c) Foi enviado por Deus. 2:3-7.
d) Foi animado por Deus. 2:6.
e) A mensagem deixou-o triste. 3:15.
f) Foi fortalecido e sustentado. 3:14.

3. Seu trabalho de atalaia.
Para a teimosia do seu povo, precisou de olhos abertos.
a) Teve que advertir fielmente. 3:17,18.
b) Teve que reconhecer sua grande responsabilidade. 3:20.

702. OS TRÊS HOMENS NA FORNALHA DE FOGO. DN. 3.
1. Eram corajosos e testemunhas fiéis.
2. Tinham uma fé como de criança em Deus.
3. Para provar sua fidelidade e como testemunho perante o mundo, foram lançados na fornalha ardente.
4. Suas algemas caíram.
5. Viram o Senhor dentro da fornalha ardente.
6. Alcançaram a liberdade.
7. E de Deus receberam grande recompensa. V.30.

703. DANIEL. DN. 6.
Foi um homem:
1. De oração constante. V.10.
2. De coração agradecido a Deus. V.10.
3. Perseguido e ameaçado por uma morte terrível. Vv.13-17.
4. Honrado por Deus e guardado por seu anjo. Vv.22,23.
5. Intocável por homens e feras. Vv.22,23.
6. Ricamente abençoado. V. 28.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *