Esta cerimônia é geralmente realizada naquelas Igrejas que não praticam o
batismo infantil, como forma de dedicar a criança a Deus.
1. Saudação
2. Palavras introdutórias (Lc 2.25-32)
Havia em Jerusalém um homem chamado Simeão; homem este justo e
piedoso que esperava a consolação de Israel; e o Espírito Santo estava
sobre ele. Revelara-lhe o Espírito Santo que não passaria pela morte antes
de ver o Cristo do Senhor. Movido pelo Espírito, foi ao templo; e, quando
os pais trouxeram o menino Jesus para fazerem com ele o que a Lei
ordenava, Simeão o tomou nos braços e louvou a Deus, dizendo: Agora,
Senhor, podes despedir em paz o teu servo, segundo a tua palavra; porque
os meus olhos já viram a tua salvação, a qual preparaste diante de todos os
povos: luz para revelação aos gentios, e para glória do teu povo de Israel.
3. Leitura responsiva (Lc 1.46-47; Sl 102.12,27-28; S1103.1 -2,8)
Dirigente: A minha alma engrandece ao Senhor,
Igreja: E o meu espírito se alegrou em Deus, meu Salvador.
Dirigente: Tu, SENHOR, permaneces para sempre, e a memória do teu
nome, de geração em geração.
Igreja: Tu, porém, és sempre o mesmo, e os teus anos jamais terão fim.
Dirigente: Os filhos dos teus servos habitarão seguros, e diante de ti se
estabelecerá a sua descendência.
Igreja: Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e tudo o que há em mim
bendiga ao seu santo nome.
Dirigente: Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e não te esqueças de nem
um só de seus benefícios. Igreja: O SENHOR é misericordioso e
compassivo; longânimo e assaz benigno.
4. Louvor
5. Pregação da Palavra de Deus
O pregador pode basear sua mensagem em um dos seguintes textos
bíblicos: SI 144.12-15; ISm 1.9-28; Lc 2.25-40; ou em outra passagem
bíblica de sua escolha.
6. Apresentação/dedicação da criança (S1103.17-18; S1144.12; Pv
14.26; Is 8.18)
Nesse momento a criança é trazida à frente da Igreja por seus pais.
Dirigente: A misericórdia do SENHOR é de eternidade a eternidade, sobre
os que o temem, e a sua justiça, sobre os filhos dos filhos,
Igreja: Para com os que guardam a sua aliança e para com os que se
lembram dos seus preceitos e os cumprem.
Dirigente: Que nossos filhos sejam, na sua mocidade, como plantas
viçosas.
Igreja: E nossas filhas, como pedras angulares, lavradas como colunas de
palácio.
Dirigente: No temor do SENHOR, tem o homem forte amparo, e isso é
refúgio para os seus filhos. Igreja: Eis-me aqui, e os filhos que o SENHOR
me deu.
Oração
Durante a oração, o dirigente pode impor as mãos sobre a criança, em
sinal da bênção a ela conferida.
8. Bênção (At 2.39; SI 121.7-8)
Dirigente: Pois para vós outros é a promessa, para vossos filhos e para
todos os que ainda estão longe.
Igreja: O SENHOR te guardará de todo mal; guardará a tua alma.
Dirigente: O SENHOR guardará a tua saída e a tua entrada, desde agora e
para sempre. Amém.

FONTE: BÍBLIA DO OBREIRO