1816
Richard Alien funda a Igreja Episcopal Metodista Africana

O incidente aconteceu em 1787, na Igreja Metodista de St. George, na Filadélfia. Richard Allen, um negro, pregara ali em algumas ocasiões, mas, naquele domingo, ele estava sentado na galeria. Por alguma razão, a área normalmente reservada aos crentes negros não estava disponível, e os responsáveis pela recepção dos membros direcionaram os negros para outra seção. Contudo, aparentemente houve um engano e eles se sentaram no lugar errado.
Quando se ajoelharam para orar, um dos diáconos percebeu que os crentes negros estavam na seção dos brancos e correu para lá a fim de segurar um dos negros. Ele era o reverendo Absolom Jones, destacado líder entre os metodistas negros.
— Você deve se levantar — disse o diácono. — Você não deve se ajoelhar aqui.
— Espere até que a oração termine — respondeu Jones.
Não, você deve se levantar agora, ou pedirei ajuda para levá-lo daqui.
Espere até que a oração acabe — disse Jones — e eu me levantarei e não lhe causarei mais nenhtim problema.
Parece que o diácono, contudo, não poderia esperar mais. Ele e os responsáveis pela recepção dos membros começaram a puxar Jones e os outros crentes negros para fora. Naquele momento, a oração havia acabado. Allen e os outros negros saíram da igreja. “Eles não ficariam mais perturbados pela nossa presença”, escreveu Allen, comentando que os negros haviam contribuído generosamente para a compra de mobiliário para a igreja. Eles pagaram pelo revestimento do chão no qual estavam ajoelhados.
Allen e Jones lideraram seu povo no sentido de começar a realizar seus próprios cultos em um galpão alugado. Por fim, compraram um terreno e construíram uma igreja. Contudo, continuaram a ter problemas com os metodistas brancos, especialmente aqueles que freqüentavam a Igreja de St. George.
Incidentes como esse eram bastante comuns naqueles dias. Porém, triste e ironicamente, o incidente durante o período de oração acontecera em uma igreja metodista, porque os metodistas da América foram bastante rápidos em perceber que os escravos também eram pessoas e que, além disso, precisavam conhecer Jesus e careciam de salvação, assim como as pessoas brancas. Missionários metodistas foram indicados para a tarefa de ministrar aos escravos e aos homens livres. Os líderes metodistas logo perceberam que os missionários negros eram mais eficientes entre seus irmãos negros.
Richard Allen nascera escravo, em 1760, na casa de Benjamin Chew, proeminente advogado da Filadélfia. Sua família foi vendida para um fazendeiro da região de Dover, no Estado de Delaware, onde, ainda na adolescência, Allen tornou-se cristão. Ele começou a se encontrar com um grupo metodista. Certa ocasião, conseguiu que o pregador fosse falar na casa de seu senhor. O amo, embora não fosse cristão, acabou por se convencer após a leitura da passagem escolhida pelo pregador (“Foste pesado na balança e achado em falta” [Dn 5.27]). Por conseqüência, ele deu a Alien e a seus irmãos uma oportunidade de comprar sua liberdade.
Liberto, Alen trabalhava cortando madeira e assentando tijolos. Continuou bastante ativo na igreja. Durante a revolução, dirigiu uma carroça entregando sal e pregando nas várias congregações pelas quais passava. Como era hábil com as palavras, acabou por tornar-se bastante popular, tanto entre brancos quanto entre os negros, à medida que passava pelos estados de Delaware, Nova Jersey e Pensilvânia, fazia trabalhos durante o dia e pregava todas as noites e nos finais de semana.
A Igreja Metodista Episcopal foi oficialmente estabelecida nos EUA em 1784. John Wesley apontou Thomas Coke e Francis Asbury como seus “assistentes” para supervisionar a igreja americana, e Richard Whatcoat e Thomas Vassey foram designados líderes. Especialmente durante a Guerra da Independência, o movimento metodista nos EUA ficou bastante fragmentado, em parte porque ainda era um movimento na Igreja Anglicana, e aquela guerra exigia lealdade. As ações de Wesley, em 1 784, reuniram os fragmentos e, pela primeira vez, estabeleceu os metodistas como urna igreja separada.
Richard Whatcoat, designado para a área de Baltimore, percebeu o potencial de Richard Alien. Whatcoat convidou Allen a viajar com ele enquanto visitava as igrejas. Allen foi mais tarde convidado a se unir a As-bury em suas viagens.
Quando chegou à Filadélfia, Allen costumava pregar na igreja de St. George, mas terminou por deixá-la, como já vimos. O crente que fora ofendido enquanto orava, Absolom Jones, rompeu com os metodistas, em 1793, fundando a Igreja Episcopal Protestante Negra, mas Allen recusou-se a participar dela. “Eu não poderia ser outra coisa senão um metodista”, escreveu ele. “Assim como nasci em Cristo e fui avivado por eles, posso continuar com eles.”
Ele realmente foi mais além com eles, dando início a Igreja Episcopal Metodista Africana Betei, em 1794, na Filadélfia. Francis Asbury fez o sermão de consagração do templo. Contudo, até mesmo ali, os líderes da Igreja de St. George tentaram obter algum controle sobre a igreja de Alien. Os negros, naquela época, tinham poucos direitos legais, mas a Igreja Betei conseguiu vencer um problema na justiça contra a Igreja de St. George.
O conceito de Allen continuou a subir na denominação metodista, mesmo diante do aumento das pressões da igreja que ficava do outro lado da cidade. Allen foi ordenado diácono em 1 799 e presbítero em 1816 — dois feitos jamais alcançados por um negro até então. Contudo, ainda em 1816, ele decidiu deixar os metodistas e começar outra denominação, a Igreja Metodista Episcopal Africana. A igreja de Allen reuniu várias igrejas negras independentes, e ele se tornou bispo do novo grupo. Baltimore e Filadélfia eram dois pontos centrais da nova dominação.
Allen foi um excelente administrador da nova igreja, moldando-a de acordo com as linhas metodistas. Ele continuou a viajar, a pregar e a desenvolver igrejas até sua morte em 1831. A Igreja Metodista Episcopal Africana seguiu adiante, experimentando um grande crescimento no despertar da guerra civil, quando os escravos libertos buscavam lugares de adoração verdadeiramente livres.
A nova denominação foi inspiração para todos os cristãos oprimidos. Ela representou uma notável declaração de independência para aquela época. Os crentes negros serviam a Cristo com alegria, sem ter de se submeter aos abusos de seus irmãos brancos. A audaciosa liderança de Alien fez muito para desenvolver a espiritualidade negra na América, ainda bem presente até os dias atuais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *