1206
Francisco de Assis renuncia à riqueza
Na virada do século XII, ο futuro parecia brilhante para o jovem Francisco Bernardone. Filho de um rico comerciante da cidade de Assis, na Itália, Francisco podia olhar para o futuro, que lhe reservava uma vida de nobreza e de abundância.
A cidade de Assis guerreava contra Perúgia, cidade vizinha, de modo que Francisco se encaminhou para a batalha, resplandecente em sua armadura de cavaleiro com um elmo emplumado e uma lança ao seu lado. Capturado na batalha, foi mantido prisioneiro de guerra por um ano em Perúgia. Pouco depois de sua libertação, ficou bastante doente. Essas experiências fizeram com que ele questionasse o valor da riqueza que herdara.
Certa vez, enquanto cavalgava, ele viu um leproso na estrada. Francisco já sentira repugnância por esse tipo de mendigo e começou a galopar para deixá-lo para trás mais rapidamente, mas esse homem era diferente, pois tinha a face de Cristo. Tomado por um senso de devoção espiritual, Francisco desceu de seu cavalo e beijou o mendigo. Deu dinheiro ao homem e, colocando-o na garupa de seu cavalo, levou-o até seu destino.
Esse desejo de cuidar dos necessitados cresceu dentro de Francisco, embora seu pai zombasse dele. Em 1206, Francisco saiu de casa, renunciando à riqueza do pai, que terminou por deserdá-lo. O jovem se dedicou a uma vida de pobreza. Passou a dar comida e roupas a todos os que precisavam. Ele próprio se tornou um mendigo, pedindo aos ricos, sem qualquer vergonha, para partilhar com os que “não possuíam nada”.
Francisco começou a pregar em capelas desertas próximas de Assis. Seu evangelho simples de amor e de serviço produziu um séquito fiel. Para os que estavam dispostos a se juntar a ele na renúncia à riqueza, estabeleceu um conjunto de regras para a vida, as regras básicas da ordem franciscana. Ele e onze amigos caminharam até Roma para receber a aprovação papal para sua ordem.
Em 1218, havia pelo menos três mil seguidores de Francisco. Contudo, ele tocara em um ponto nevrálgico. A igreja já acumulara poder e riqueza. Na sociedade italiana, os ricos ficavam cada vez mais ricos, com as bênçãos da igreja, enquanto os pobres eram deixados à míngua. Francisco, no entanto, ofereceu um novo caminho de humildade, não contaminado pela ganância. Muitos devotos seguiram seu exemplo. Outras pessoas, que não estavam dispostas a fazer esses sacrifícios, admiravam os pregadores pobres e os apoiavam com ofertas.
Séculos mais tarde, Martinho Lu-tero criticaria severamente a tradição franciscana devido à sua ênfase nas boas obras — a salvação vem somente pela fé, diria ele. Contudo, de muitas maneiras, esses dois reformadores lutaram contra o mesmo inimigo: a igreja que se importava basicamente com a preservação de sua própria e que se esquecera do ensinamento simples das Escrituras.
Francisco morreu no auge da fama, em outubro de 1226. Foi canonizado dois anos depois. Suas últimas palavras foram: “Cumpri a minha missão; mas agora Cristo lhe ensinará qual é a sua”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *